A Eletrobras (ELET3) marcou para 22 de fevereiro a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que vai viabilizar a desestatização da empresa, separando os ativos que não serão objeto da capitalização prevista para ocorrer no segundo trimestre deste ano.

A companhia observou que a operação na B3, porém, ainda depende da aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU).

Na AGE será votada a reestruturação societária da Eletrobras, para manter sob o controle da União, via Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional (ENBpar), direto ou indireto, na Eletronuclear e na usina hidrelétrica binacional de Itaipu.

Também passará pela avaliação dos acionistas o preço estipulado para Itaipu, de R$ 1,2 bilhão, e as condições para que a ENBPar assuma a Eletronuclear e outros programas do governo que não vão ser privatizados, como o programa de revitalização do rio São Francisco, o Centro de Pesquisa de Energia Elétrica (Cepel) e o programa de redução de custos da energia elétrica na Amazônia Legal.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

Resultado da Eletrobras no Terceiro Trimestre de 2021

O resultado da Eletrobras (ELET3) no terceiro trimestre de 2021 (3t21), divulgado no dia 16 de novembro, apresentou um lucro líquido de R$ 965 milhões no 3t21, uma queda de 66% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Eletrobras atingiu R$ 5,6 bilhões no 3t21, apresentando crescimento de 4% na comparação com o 3t20.

A margem Ebitda da Eletrobras totalizou 56% no 3t21, apresentando retração de -25,0 ponto percentual na comparação com o 3t20.

As ações da Eletrobras (ELET3) acumulam alta de 6,49% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 7,57% nos últimos 12 meses.

Informe o DDD + 9 dígitos

Fonte: Estadão Conteúdo.