O que é o Efeito da Vítima Identificável?

O Efeito da Vítima Identificável é um fenômeno estudado por cientistas comportamentais, que determina a probabilidade de uma conduta em cenários distintos.

Segundo este estudo, estamos propensos a tomar decisões em todos os momentos de nossas vidas; ou seja, nossa vida é pautada através das escolhas que realizamos.

E com isso, em determinados eventos tendemos a escolher pela opção mais frágil.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como Funciona o Efeito da Vítima Identificável?

Neste importante estudo, o Efeito da Vítima Identificável funciona através do viés cognitivo em escolher algo unicamente identificável em detrimento de outros, ainda que na mesma situação.

Invariavelmente em algum momento somos acometidos pelo Efeito da Vítima Identificável.

Podemos citar alguns exemplos para melhor ilustrar a questão: o Brasil é um país cujo Direito à Saúde é universal, ou seja, teoricamente todos têm acesso a remédios e tratamentos.

Como se sabe, o orçamento para a saúde é pré-determinado, devendo abarcar o gasto de todos. Imaginemos uma criança que padece de grave enfermidade, necessitando de remédio de alto custo.

Sem este remédio de alto custo sua saúde pode ser comprometida, aumentando o risco de morte. Pois bem, neste cenário a compra do referido remédio compromete grande parte do orçamento.

Lembremos que o orçamento é destinado a todos. Como resolver essa situação? Qual decisão deve ser tomada?

Pelo Efeito da Vítima é muito provável que escolhêssemos auxiliar a criança em detrimento da generalidade das pessoas.

Isto porque, nos identificamos com a situação; não se trata de um viés romantizado. O ser humano tende a se compadecer em cenários onde é possível identificar a vítima.

Efeito da Vítima Identificável no comportamento do investidor

É possível a ocorrência do Efeito da Vítima Identificável na vida do investidor? Certamente que sim, inclusive, é bem mais comum do que imaginamos.

 A vítima pode ser uma pessoa jurídica, por que não?

O ato de investir, sobretudo em valores mobiliários, deve ser pautado por uma análise técnica e racional, longe de vieses.

Contudo, como absolutamente ninguém é imune a decisões ruins, é possível que o Efeito da Vítima Identificável transpasse a razão e afete a tomada de decisão.

Imaginemos uma sociedade de capital aberto, cuja administração vai de mal a pior, comprometendo o futuro da companhia.

Todavia, tal empresa possui grande prestígio no mercado financeiro, o que a ajuda a mitigar estes problemas, no entanto, há inúmeros questionamentos sobre sua saúde financeira.

O investidor que possui o papel da empresa, acredita no carisma do gestor e esquece totalmente os balanços financeiros negativos, pois sente um “carinho” pela companhia.

Tal investidor, por pena, mantém o papel em vez de vendê-lo imediatamente; por conseguinte, as ações caem e a empresa entra em regime de recuperação judicial. O investidor amarga o prejuízo.

Concluindo: a empresa era identificável, o investidor conhecia os detalhes, a análise empregada foi completamente equivocada e a informação era individualizada.

Temos, portanto, o Efeito da Vítima Identificável. Nota-se que é plenamente possível a incidência do Efeito da Vítima Identificável em cenários de investimento.

Outro exemplo que podemos destacar é o seguinte: há uma queda abrupta da bolsa de valores. Sabemos que investir no mercado de valores mobiliários é arriscado.

Quando há esta queda, inúmeros investidores migram seus investimentos para outros considerados mais seguros.

Ora, antes da queda não era um investimento arriscado? Novamente é destacado o Efeito da Vítima Identificável, agora em diferente cenário.

Após a queda da bolsa, identificou-se de maneira individualizada o mercado financeiro em detrimento de outros investimentos.