A economia global está a caminho de registar a pior meia década de crescimento em 30 anos, segundo o Banco Mundial.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Seu relatório “Perspectivas Econômicas Globais”, prevê que o crescimento global desacelere pelo terceiro ano consecutivo em 2024, caindo para 2,4%, de 2,6% em 2023, afirmou a organização.

Já para 2025, espera-se que o crescimento aumente marginalmente para 2,7%, embora a aceleração ao longo do período de cinco anos permaneça quase três quartos de ponto percentual abaixo da taxa média da década de 2010.

Apesar da economia global ter se mostrado resiliente perante aos riscos de recessão em 2023, o aumento das tensões geopolíticas apresentará novos desafios a curto prazo, disse a organização.

Como consequência, a maioria das economias estão preparadas para crescer mais lentamente em 2024 e 2025 do que na década anterior.

“Há uma guerra na Europa Oriental, a invasão russa da Ucrânia. Temos um conflito sério no Médio Oriente. A escalada destes conflitos pode ter implicações significativas nos preços da energia que podem ter impactos na inflação, bem como no crescimento económico”, disse Ayhan Kose, vice-economista-chefe do Banco Mundial e diretor do Grupo Prospects, a Silvia Amaro da CNBC.

O banco alertou que sem uma “grande correção de rumo”, a década de 2020 será considerada “uma década de oportunidades desperdiçadas”.

Economias em desenvolvimento serão as mais atingidas

Segundo perspectivas do Banco Mundial, as economias em desenvolvimento deverão ser as mais atingidas a médio prazo, uma vez que o comércio global lento e as condições financeiras restritivas pesam fortemente sobre o crescimento.

“O crescimento a curto prazo permanecerá fraco, deixando muitos países em desenvolvimento – especialmente os mais pobres – presos numa armadilha: com níveis paralisantes de dívida e acesso tênue aos alimentos para quase uma em cada três pessoas”, disse Gill à CNBC.

Espera-se que as economias em desenvolvimento cresçam apenas 3,9% em 2024, mais de 1 ponto percentual abaixo da média da década anterior. 

Até ao final do ano, as pessoas de 1 em cada 4 países em desenvolvimento e cerca de 40% dos países de baixo rendimento ainda serão mais pobres do que eram na véspera da pandemia de Covid-19 em 2019, afirmou a organização.

Para o Banco Mundial, os dados mostram que o mundo está falhando no seu objetivo de fazer da década de 2020 uma “década transformadora” no combate à pobreza extrema, às principais doenças transmissíveis e às alterações climáticas. 

Contudo, acrescentou que existe uma oportunidade de virar a maré se os governos agirem rapidamente para aumentar o investimento e fortalecer os quadros de política fiscal.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

“Os booms de investimento têm o potencial de transformar as economias em desenvolvimento e ajudá-las a acelerar a transição energética e alcançar uma ampla variedade de objectivos de desenvolvimento”, disse Kose no relatório, divulgado antes do Fórum Econômico Mundial na próxima semana.

“Para desencadear esses booms, as economias em desenvolvimento precisam de implementar pacotes de políticas abrangentes para melhorar os quadros fiscais e monetários, expandir o comércio transfronteiriço e os fluxos financeiros, melhorar o clima de investimento e fortalecer a qualidade das instituições”, disse ele.

“É um trabalho árduo, mas muitas economias em desenvolvimento já conseguiram fazê-lo antes. Fazer isso novamente ajudará a mitigar a desaceleração projetada no crescimento potencial no resto desta década.”

Fonte: CNBC

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.