O que é DVA?

DVA é uma sigla para Demonstração do Valor Adicionado. A DVA é mais uma demonstração confeccionada pela contabilidade com o propósito de mostrar a evolução dos ganhos provenientes da produção da empresa.

Portanto, a DVA vai mostrar ao interessado a soma de valores que foram acrescentados à empresa através do seu resultado operacional, ou seja, por meio do lucro.

Em caso de prejuízo, a DVA será negativa, não haverá aumento dos valores no balanço e sim uma queda.

A DVA é um importante demonstrativo que pode ajudar na hora de mensurar qual foi o resultado da empresa  em um determinado período

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

DVA na Prática

A DVA como boa parte das demonstrações contábeis, exige uma série de valores referentes às mais diferentes contas. Para a construção da DVA será preciso as seguintes contas contábeis:

  • RECEITAS (+)
  • Vendas de mercadoria, produtos e serviços;
  • Provisão p/devedores duvidosos – Reversão/(Constituição);
  • Não operacionais;
  • INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS (inclui ICMS e IPI) (-);
  • Matérias-Primas consumidas;
  • Custos das mercadorias e serviços vendidos;
  • Materiais, energia, serviços de terceiros e outros;
  • Perda/Recuperação de valores ativos;
  • VALOR ADICIONADO BRUTO (=);
  • RETENÇÕES (-);
  • Depreciação, amortização e exaustão;
  • VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO PELA ENTIDADE (=);
  • VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA(+);
  • Resultado de equivalência patrimonial;
  • Receitas financeiras;
  • VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR (=);
  • DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO (-);
  • Pessoal e encargos;
  • Impostos, taxas e contribuições;
  • Juros e aluguéis;
  • Juros s/ capital próprio e dividendos;
  • Lucros retidos / prejuízo do exercício.

A DVA de forma similar a DRE trabalha com várias contas de resultado. As contas de resultado são aquelas que estão no grupo de receitas, custos e despesas.

No início nós temos as receitas geradas pela empresa, depois existem os custos e em seguida nós temos as despesas com depreciação, resultados financeiros e por último as distribuições dos valores.

Essas distribuições podem ir para diversas contas, como lucros retidos, custos com funcionários e encargos, juros e aluguéis e diversas outras contas similares.

A ideia da DVA é mostrar o quanto a empresa consegue gerar a mais, em comparação a todos os seus custos.

Análise da DVA

A análise da DVA é importante para identificar qual é o valor adicionado da empresa. Ao final da DVA nós conhecemos o valor que pode ser distribuído nas mais diferentes contas.

Para aqueles que estão analisando a empresa a DVA é importante para determinar se a companhia consegue gerar riquezas suficientes para pagar todos os seus custos.

Dependendo das receitas que a empresa consegue gerar, a operação pode ser boa ou não. Por exemplo: em uma DVA onde a receita financeira é elevada, as receitas com a própria operação podem não ser a principal fonte de ganhos.

Se os ganhos vêm provenientes de outras fontes a empresa pode ter algum problema e isso deve ser mais bem avaliado.

Agora uma empresa que apresenta um DVA com boas receitas e um resultado final alto, mostrando que consegue extrair um bom valor de sua operação, tem um demonstrativo mais interessante.

DVA nos investimentos

Na hora de avaliar uma ação, o investidor pode olhar a DVA da empresa alvo. Empresas que possuem lucros, provavelmente vão apresentar valores adicionados a distribuir.

Aí o investidor precisa verificar as origens das receitas e dos ganhos da empresa. Se os ganhos vêm referentes à atividade principal, a operação da firma aparenta estar bem.

Se a companhia consegue manter um bom nível de lucro através dos ganhos financeiros, ou não operacionais, aí o investidor precisa avaliar melhor a empresa.

Sem os ganhos financeiros, será que a companhia conseguirá entregar bons resultados? Através da DVA, dá para analisar esses detalhes.