O que é DTVM?

DTVM, ou Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários são empresas que fazem a intermediação de investidores e títulos referentes ao mercado financeiro.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Quando uma pessoa pretende investir na bolsa de valores, em ativos de diferentes tipos fornecidos por várias instituições financeiras e no mercado de câmbio, essa pessoa provavelmente abrirá uma conta em uma DTVM.

Ao procurar uma DTVM para investir ou fazer negócios, o investidor encontrará desde grandes instituições financeiras, até aquelas que são consideradas pequenas e não são bancos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

DTVM na pratica

A DTVM é uma corretora que faz intermediação entre o mercado financeiro e investidores. Essas corretoras são constituídas sob a forma de sociedades anônimas S.A.

Os serviços que as corretoras de valores mobiliários prestam são dos mais variados e podem incluir o seguinte:

  • Margem para operações no mercado futuro e derivativos;
  • Compra e venda de ações, fundos imobiliários, ETF (Extended Trend Fund) e demais ativos;
  • Compra e venda de títulos de renda fixa, como CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letra de crédito imobiliário), LCA (Letra de crédito do Agronegócio) e demais ativos similares;
  • Compra e venda de produtos do mercado futuro e derivativos;
  • Compra e venda de títulos do Tesouro Direto;
  • Administração de carteiras de investimento e custódia;
  • Intermediação de negociação de debêntures;
  • Entre outros serviços.

A abertura de conta em uma corretora DTVM é bem tranquila. Para conseguir acesso a plataforma, o investidor precisa preencher um pequeno cadastro e enviar alguns documentos.

Depois a conta já é liberada e o investidor já consegue iniciar seus investimentos e fazer transferência de valores.

Quando a DTVM é ligada a um grande banco, a liberação de acesso é ainda mais simples, uma vez que o cliente pode ser correntista do banco. Aí basta fazer o cadastro para DTVM e o acesso é liberado.

Operações referentes à conta margem, corretagens e custódia podem envolver custos, portanto antes de abrir conta em qualquer corretora, faça uma breve análise referente aos custos.

Atualmente já existem corretoras que vem isentando os seus clientes de custos referentes à corretagem e custódia de diversos ativos.

Diferença entre CTVM e DTVM

Desde 2009, quando saiu a Decisão Conjunta 17/2009 referente às instituições DTVM, tanto as CTVM (Sociedades Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários) quanto às DTVM passaram a poder atuar no mercado financeiro como intermediárias.

Antes as DTVM eram as distribuidoras de produtos financeiros, enquanto as CVTM tinham uma atuação mais próxima dos investidores.

Sendo assim, as CTVM recebiam a permissão de atuar na bolsa de valores intermediando os negócios junto aos investidores, quanto às DTVM faziam o trabalho de distribuição dos produtos financeiros.

Depois da decisão conjunta, ambas as instituições podem atuar intermediando as transações dos investidores junto à bolsa de valores.

O que é valor mobiliário?

Valor mobiliário são títulos distribuídos, onde aquele que comprar o mesmo terá alguma remuneração, ou poderá negociar o título no mercado e assim registrar lucro ou prejuízo.

Segundo a Lei 10.303 de 2001, houve uma definição mais ampla referente ao assunto do  “valor mobiliário”.

Considerando os títulos que podem ser considerados “valores mobiliário”, nós temos:

  • As ações;
  • CDB, LCI, LCA e demais títulos similares;
  • As cédulas de debêntures;
  • As cotas de fundos de investimento;
  • Cotas de fundos imobiliários;
  • Cotas de ETF;
  • Cotas de clubes de investimento;
  • Notas comerciais;
  • Contratos futuros;
  • Derivativos;
  • Opções:
  • E demais ativos similares.

Em outras palavras, praticamente todos os papéis negociados em bolsa de valores ou no mercado financeiro, podem ser considerados “valores mobiliários”.