O que é downside?

Downside é um termo inglês para denominar um período onde o indicador alvo está com uma tendência de queda.

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Além de indicadores, podem ser alvo da análise ativos dos mais diferentes. Um exemplo de indicador utilizado pode ser a inflação, economia, taxa de juro entre outros.

Já com relação a ativos nós temos as ações, fundos imobiliários, títulos do tesouro e demais ativos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Downside na prática

Ao analisar indicadores ou ativos, os profissionais da área geralmente reconhecem alguma projeção para o alvo.

Essa projeção pode ser de upside ou downside. Quando tratamos de downside, estamos lidando com uma movimentação de queda.

Vamos supor que foi identificada uma movimentação de queda da economia brasileira. Isso significa que teremos em mãos um downside para a economia.

Coisa similar acontece com a análise de uma ação. Na tentativa de traçar uma estratégia de investimento, o interessado pode avaliar o eventual downside da ação e identificar o risco downside.

O risco downside também trabalha com a expectativa de queda do indicador ou ativo, mas o foco do risco downside é relacionado à dimensão da queda.

A partir da análise do risco downside dá para traçar uma eventual recuperação e possível ganho (no caso de um investimento).

Downside e os investimentos

Ao identificar uma situação de downside referente ao contexto econômico do país onde o investidor atua, ele pode tomar algumas medidas, dentre elas: Investir, vender as posições e proteger o capital ou manter tudo.

Em alguns momentos os investidores ficam mais animados com os preços dos ativos e na expectativa de conseguir ganhos maiores em uma possível recuperação, o investidor acaba comprando no downside.

Já outros investidores com receio das perdas se tornarem maiores e até irreversíveis, eles acabam liquidando as posições e colocando o capital em algo mais seguro e de elevada liquidez.

Mesmo aqueles que não alteram em nada seus investimentos, de alguma forma sofrem influência do downside.

Proteção downside

Para evitar perdas com um momento de downside, o investidor pode tomar algumas iniciativas e reduzir possíveis perdas. Dentre as opções que temos em mãos há:

Venda de call

A opção denominada de call dá a opção para o comprador dela de comprar o ativo alvo pelo preço da opção.

O vendedor será obrigado a vender a opção pelo valor do strike, ou seja, pelo preço da opção.

Sendo assim, se a ação vale 50 reais e o investidor vende opções com o valor de venda de 55, ele será obrigado a vender por 55 caso o detentor das opções queira.

Lembrando que a venda das opções gera ganhos ao detentor das ações. Desse modo, mesmo com a desvalorização o acionista vai receber o valor pela venda da call.

Compra de put

A opção, put, vai dar a opção para o detentor de vender as ações pelo preço alvo da opção.

Então se o investidor comprar put com preço alvo de 50 reais e a ação que estava em 50 cair para 48, o detentor da put poderá exercer a opção de vender as ações por 50 para aquele que vendeu a put.

Stop loss

O stop loss quando configurado em seu ativo, pode disparar um ordem de venda, caso o valor do ativo caia no mercado.

Assim, o investidor evita carregar uma posição que aparentemente está em queda ou em downside.