O agravamento das tensões entre Rússia e Ucrânia e a proximidade do fim de trimestre provocaram nervosismo no mercado financeiro nesta quarta-feira (30). O dólar aproximou-se de R$ 4,80, após iniciar o dia em baixa.

A bolsa de valores resistiu ao mercado internacional e fechou em leve alta, com apoio de empresas de commodities (bens primários com cotação internacional).

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira vendido a R$ 4,78, com alta de R$ 0,029 (+0,62%).

Após operar em queda durante quase toda a manhã, a cotação disparou à tarde, pressionada pela guerra e pela compra de dólares por grandes empresas que querem fechar o caixa no fim de trimestre.

Mesmo com a alta de hoje, a divisa acumula queda de 7,15% em março. Em 2022, o recuo chega a 14,15%.

O mercado de ações resistiu mais às pressões externas. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 120.260 pontos, com alta de 0,2%.

Pressionado pela queda nas bolsas norte-americanas, o indicador alternou altas e baixas ao longo do dia, mas encerrou em leve alta apoiado pelas ações da Petrobras, os papéis mais negociados, e de mineradoras.

O avanço do preço das commodities decorrente da guerra entre Rússia e Ucrânia tem garantido a entrada de divisas em países latino-americanos, segurando a fuga de capitais em dias de maior tensão, como hoje.

Os juros altos, como a taxa Selic a 11,75% ao ano, também ajudam a manter recursos financeiros no Brasil.

Nesta quarta-feira, a Rússia intensificou os ataques em diversos pontos da Ucrânia, apesar da promessa feita ontem (29) de que o país diminuiria as incursões para concentrar-se na defesa de regiões separatistas do leste ucraniano.

Fonte: Agência Brasil.