O que é o Dólar Flutuante?

Dólar Flutuante é um termo utilizado para nomear a economia que trabalha com a política de câmbio flutuante, ou seja, o dólar ou demais moedas vão ser cotadas por meio da oferta e procura.

Caso haja muita procura por dólar, consequentemente o dólar vai se valorizar frente ao Real, por exemplo.

Se o contrário acontecer, então o Real se valoriza em frente ao Dólar. Vale destacar que o Brasil trabalha com a política do Câmbio Flutuante, sendo assim, existe o dólar flutuante no Brasil.

Em outros países o Dólar flutuante também é uma realidade, mas isso não significa que seja uma regra.  Existem países que possuem outras políticas com relação ao dólar.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Dólar Flutuante na Prática

Quando um país trabalha com o Dólar Flutuante é comum ver a moeda norte-americana variar bastante ao longo do dia, de semanas e meses.

Na verdade, dificilmente a cotação do dólar permanecerá constante, por exemplo. A volatilidade do dólar será algo comum no país que adota o câmbio flutuante como política cambial.

Uma das cotações vinculadas ao dólar que sofre bastante com a flutuação é o Dólar Comercial. O Dólar Comercial pode variar bastante de minuto para minuto de segundo para segundo.

Conforme o mercado vai flutuando e as forças de oferta e procura lutam entre si, a cotação do dólar varia.

Com base no Dólar Comercial nós temos o Paralelo e o Turismo também. Sobre a influência da flutuação do Dólar, nós temos os preços que são cotados em dólar, além da própria inflação.

O órgão competente que faz a gestão do dólar flutuante é o Banco Central. Quando a variação do dólar é muito forte, o BC pode entrar no mercado aumentando ou reduzindo a oferta da moeda norte-americana.

Às vezes o BC faz isso por meio dos Swap cambial, ou da venda à vista dos dólares que estão em reserva.

Benefícios do Dólar flutuante

Um dos benefícios está com relação ao mercado. O mercado costuma ser favorável aos países que possuem uma política cambial flutuante e sem restrições.

Ou seja, se o dólar subir muito, o BC até pode intervir, mas de qualquer forma, se a tendência de alta se confirmar, o dólar vai subir.

Já os países que tentam controlar o câmbio de forma artificial, podem acabar sendo prejudicados pelo receio do mercado e pela própria política em si.

Com uma depreciação maior da moeda local frente ao dólar, o país em questão terá produtos mais baratos e mais competitivos no mercado exterior.

O Dólar Flutuante pode trazer alguns malefícios, como o aumento dos preços, mas por outro lado, pode transformar o país em uma terra mais barata e competitiva sob a vista do exterior.

Desvantagens do Dólar Flutuante

A desvalorização da moeda local frente ao dólar pode influenciar na disparada da inflação e dos riscos com relação ao país.

Além da perda do poder de compra, o país pode acabar se tornando um lugar ruim para empresas do exterior.

O aumento dos preços às vezes vem junto de outros problemas, principalmente de cunho fiscal.

Uma das tentativas do BC para melhorar o câmbio e favorecer a moeda local é através do juro.

Subir o juro é um mecanismo que o BC tem para tentar atrair investidores do exterior e segurar, tanto a inflação quanto o câmbio.

Porém, isso pode acabar reduzindo a oferta de capital no país e pode não surtir efeito de médio a longo prazo. Ou seja, mesmo com juro alto, o câmbio ainda pode se depreciar.