O que são Divisas?

O termo divisas descreve, no mercado financeiro, o uso de moedas fora do seu país de origem. Ou seja, fora da divisa (região) na qual ela surgiu e pertence oficialmente.

Em alguns casos, não se atendo apenas a divisão entre países, como também a diferentes regiões dentro de uma única nação - apesar de menos comum.

Chamado ainda de mercado de divisas ou mercado de câmbio, esse sistema é um dos mais procurados. Pois, ele permite que negociações aconteçam a qualquer momento, sendo atrativo para:

  • Fundos de investimentos;
  • Investidores individuais.

As divisas são os investimentos com maior volume dentro do mercado financeiro mundial. Isso acontece porque ele permite a aplicação de capital em ativos de outros países.

Considerado um mercado completo, nele é possível realizar operações de compra, venda e troca de moedas. Além de converter moedas como forma de liquidar transações internacionais e outros investimentos.

Bastante popular, em abril de 2013, o mercado de câmbio alcançou $5,1 trilhões em negociações diárias. Já em 2019, uma estimativa de $6,6 trilhões diários chegou a ser registrada.

Dados esses fornecidos pelo Banco de Compensações Internacionais, a entidade internacional responsável pelas fiscalizações bancárias desse mercado.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como Funciona o Mercado de Divisas?

O mercado de divisas atua de forma descentralizada à Bolsa de Valores e nem possui uma sede física. Portanto, suas operações ocorrem através de redes eletrônicas compostas por:

Em divisas, o lucro que investidores obtêm é gerado através da variação cambial. Ou seja, as oscilações que a taxa de câmbio de uma moeda em relação a outra apresenta.

Digamos, por exemplo, que um investidor compra uma moeda com cotação de R$2,50. Então, dias depois as venda, quando sua cotação está em R$4,83.

Isso representaria um lucro de R$2,33 para cada moeda que ele comprar, certo? Mas, não é preciso esperar dias ou longos períodos, é possível operar considerando horas.

Acontece que dentro desse mercado, os preços sofrem influência em tempo real pelo fluxo de operações internacionais. Tal como, pelos investimentos que têm sido feitos nas duas moedas em questão.

Toda negociação acontece em par considerando o quanto uma moeda "x" consegue comprar de moedas "y", ou ao contrário. Indicando assim, a relação entre a cotação de cada moeda.

Porém, as políticas e condições econômicas de um país, e sua taxa de inflação são fatores que podem contribuir com a desvalorização de uma moeda. 

Em resumo, o mercado de divisas trabalha com base na especulação cambial. Desse modo, quando os investidores especulam qual valor uma moeda vai atingir, suas alternativas para operar são:

  • Comprar moedas com a expectativa de que sua cotação aumente;
  • Vender as moedas acreditando em uma queda na cotação.

Quais são as Vantagens do Mercado de Divisas?

O que torna tão atrativo investir em divisas? A maior vantagem que esse mercado oferece é sua liquidez elevada. O que permite que investidores apliquem tanto pequenos, quanto grandes valores. 

Durante os dias úteis da semana, o mercado de câmbio ainda funciona 24 horas por dia. Mas, quando ele fecha fim de semana em um país, em outro ele está abrindo. 

No fim das contas, é como se ele praticamente não fechasse nunca. Além dessas vantagens, outros fatores que tornam investir em divisas algo tão atrativo são:

  • Pouca burocracia: as divisas não contam com tantas regras quantos outros mercados financeiros, considerados rígidos - mas, isso pode oferecer também alguns riscos;
  • Alavancagem: já que os empréstimos oferecidos por corretores nesse mercado são os mais altos, possibilitando a compra de quantidades altas de uma moeda estrangeira que aumenta as chance de lucratividade;
  • Spread: é a taxa de custo das operações obtida através da diferença gerada entre o preço real e aquele de venda ou compra dos pares de moeda, sendo menor que o cobrado por corretoras.

Apesar de oferecer muitas vantagens, o mercado de divisas não é o mais seguro e exige cuidados. É preciso realizar uma boa análise antes de operar e tomar decisões dentro dele.

Os investidores devem considerar aspectos da macro e microeconomia.

Especialmente se estes forem iniciantes, investidores individuais ou de perfil conservador, já que os riscos de perda podem se tornar altos.