O que é Direito de Subscrição?

O Direito de Subscrição é um direito de preferência referente aos acionistas que já possuem ações da determinada empresa.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Quando ocorre uma nova emissão de ações, aqueles que possuem as ações da firma em questão, geralmente recebem uma espécie de bonificação.

Bonificação que é a subscrição das ações. Quando o acionista deseja fazer a subscrição e aumentar sua posição o investimento será menor em comparação com aqueles que estão entrando agora.

Existe também a possibilidade de vender os tickers referentes à bonificação da subscrição. Assim o investidor terá a oportunidade de liquidar e transformar a subscrição em dinheiro.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Direito de Subscrição na Prática

Em uma nova emissão de ações, a maioria das empresas oferece àqueles que já têm ações o Direito de Subscrição.

Esse direito pode vir através da possibilidade de simplesmente comprar mais ações para manter sua participação, ou pode vir através de bonificação.

As bonificações em questão vêm por meio de um ticker. Assim, o acionista tem a possibilidade de executar o seu Direito de Subscrição e executar a compra das ações aumentando sua participação.

Mas caso não seja do interesse, o investidor pode vender o ticker da bonificação e liquidar os valores.

Vantagens do Direito de Subscrição

A vantagem do Direito de Subscrição está ligada na opção de fazer o aumento da posição ou não.

Como o Direito de Subscrição pode vir acompanhado de bonificações, é possível fazer dinheiro, caso não seja do interesse do investimento de aumentar a posição.

Outra vantagem está relacionada ao tempo que o investidor tem para decidir se vai ou não subscrever e participar da oferta de ações.

Com um tempo que pode variar de emissão para emissão, o investidor tem um tempo mínimo para decidir se vai ou não participar.

Quando o Direito de Subscrição é seguido da bonificação, os valores recebidos através da subscrição são isentos de imposto de renda, fato que favorece o investidor na declaração de ajuste anual do imposto de renda

Ou seja, ao receber a bonificação você pode lançar o valor do ativo como Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Querendo ou não, a bonificação referente à subscrição fará o seu patrimônio aumentar (considerando que o investidor liquide a posição ou execute a subscrição). 

Nada melhor do que reconhecer esses ganhos na declaração de ajuste anual e assim, dar uma origem ao seu aumento patrimonial.

Direito de Subscrição em Fundos Imobiliários

O Direito de Subscrição acontece com mais ativos além das ações. Um desses investimentos que é possível receber o direito à subscrição são os fundos imobiliários.

Ao manter a cota de um fundo imobiliário que está realizando uma nova rodada de investimentos por meio de uma emissão de cotas, você receberá bonificações condicionadas a quantidades de cotas que possui.

Vamos supor que o fundo possui um total de 1.000 cotas no mercado e está prestes a lançar mais 200 cotas, isso gera um aumento de um quinto.

Portanto, se o investidor possui algo como 10 cotas em carteira, é provável que o cotista receba um total de duas bonificações por meio de um ticker para efetivar ou não a opção de subscrição.

Da data do recebimento da bonificação até a escolha se vai ou não efetivar a subscrição, existem alguns dias onde o cotista pode decidir inclusive se vendem os tickers a fim de ficar com os recursos e, portanto, não integralizar mais dinheiro.

A subscrição que ocorre em fundos imobiliários é bem similar ao que ocorre com as ações. Para saber se vale a pena ou não realizar a subscrição o investidor precisa avaliar por si só o interesse.

Se estamos tratando de um investimento de boa qualidade com alta procura no mercado, a subscrição ganha mais relevância. Se não, o melhor a se fazer é liquidar a bonificação recebida e manter os recursos.