O que é DFC?

A DFC (Demonstração do Fluxo de Caixa) é uma demonstração confeccionada pela contabilidade, onde mostra o fluxo de caixa de uma empresa em um determinado período.

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

A DFC pode ser feita de duas formas: indireta ou direta. Quando direta, a DFC mostra as alterações que envolveram o caixa diretamente.

Ou seja, através da DFC você terá os dados referentes à saída do caixa com diferentes tipos de gastos. O relatório pode ser tanto analítico quanto simplificado.

Já o relatório indireto mostrará as contas que influenciaram na alteração da conta caixa. Ou seja, ao invés de mostrar a evolução do caixa, a DFC mostrará aquelas contas que registraram mudanças no período cujos valores influenciaram na volatilidade do caixa.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

DFC na Prática

Na contabilidade os relatórios mais relevantes são o balanço patrimonial e o DRE (Demonstração do Resultado do Exercício).

Posteriormente nós temos outros relatórios, como o DFC, DMPL (Demonstração da mutação do patrimônio líquido) e notas explicativas.

A DFC é um relatório que vai mostrar os itens e valores que alteraram o caixa. Portanto, caso a DFC seja direta, o profissional que vai confeccionar vai colocar os itens e valores que alteraram o caixa de forma direta.

Pagamento de fornecedores, salários, despesas com alimentação, e demais itens que provocaram a volatilidade do caixa.

No caso do relatório indireto, haverá diversas contas, como: salários, fornecedores, compram e vendem de imobilizado e outras que vão mostrar as variações.

Essas variações de alguma forma influenciam na conta caixa. Sendo que o resultado final das variações da DFC vai bater com as variações de cada uma das contas.

Entre as duas formas de fazer uma DFC, aqueles que optarem por uma DFC direta terão mais facilidade para confeccionar e para ler o relatório.

Já a DFC indireta tem a mesma validade, porém é um pouco mais complexa, tanto na confecção quanto na leitura.

Importância da DFC

Empresas que buscam linhas de crédito e participar de licitações precisam mostrar bons números e uma vasta gama de relatórios contábeis.

Além do Balanço e do DRE, algumas instituições solicitam a DFC também. Sendo que as licitações vão mais longe, pedindo até declarações, como o ECD (Escrituração Contábil Digital).

Observando a relevância da DFC, é importante que a empresa tenha em mãos a demonstração e que conferia se a mesma está de acordo com a realidade e com o balanço.

Para fazer a conferência é simples. Basta ter a DFC em mão e o Balanço junto do DRE. Assim, você pode ir analisando as variações das contas apresentadas no DFC junto do Balanço e DRE.

Se as variações baterem, tudo ok. Se não, confira junto à contabilidade o porquê da diferença.

Benefícios da DFC

Para aqueles que esperam mais da contabilidade, mais do que emitir impostos, os relatórios são importantes.

Através do Balancete, Balanço e DRE, o empresário tem uma noção da contabilidade e dos próprios números da empresa.

A DFC trará mais detalhes, principalmente referente ao caixa da firma. Vale destacar que no caso, o caixa não se refere simplesmente aos valores do caixa (dinheiro), mas às contas bancárias também.

Com todos esses dados o empresário pode conferir como anda a DFC, além de analisar se os dados batem com a realidade.

Às vezes, devido à alta carga de trabalho, as contabilidades podem interpretar de forma equivocada alguns pagamentos e valores.

Isso pode ser pego nos relatórios, como a DFC. Desse modo, o empresário pode identificar eventuais problemas e orientar a melhor forma de contabilizar os documentos e valores.