O que é déficit comercial?

Déficit comercial se refere ao resultado negativo do comércio que um país faz com o exterior.

Basicamente, dizemos que houve um déficit comercial em um determinado período quando as importações de uma economia são maiores do que as exportações.

O contrário do déficit comercial é o superávit comercial, que é quando o país conseguiu exportar mais do que importar em um determinado período.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Déficit comercial e balança de pagamentos

O déficit ou superávit comercial está relacionado ao resultado da balança comercial do país como um todo, que é a conta em que se mensura as transações comerciais que um país tem com o mundo exterior.

A balança comercial é um dos itens que compõem o balanço de pagamentos. Este, por sua vez, mensura a quantidade total de dinheiro que entra e sai do país.

O balanço de pagamentos inclui três grandes contas, mais uma conta de erros e omissões:

  • Balança comercial: exportações - importações
  • Balança de capital: vendas de ativos financeiros para estrangeiros - compra de ativos financeiros de residentes no estrangeiro
  • Balança financeira: investimentos estrangeiros no país - investimentos de residentes no estrangeiro

Embora seja apenas uma parte do balanço de pagamentos, analisar o resultado da balança comercial é muito importante para saber qual o desempenho econômico de um país.

Quando um país apresenta déficit comercial é sinal de que ele tem necessidade de importar muitos bens que não produz internamente.

Geralmente estas importações são realizadas em moeda estrangeira. Para isso o país precisa acumular divisas, sendo o dólar a principal moeda, para transacionar com outros países.

Desde que os demais itens do balanço de pagamentos tenham um superávit necessário para cobrir o déficit comercial, o país em questão não terá grandes problemas em importar mais do que exporta.

Entretanto, quando não é este o caso, ou seja, quando as importações não conseguem serem pagas com o dinheiro advindo das exportações e nem do saldo dos capitais estrangeiros, então o país terá dificuldade.

O Brasil, por exemplo, vivenciou muito esse problema no passado, principalmente nos anos 80, quando nossas reservas de dólares eram de cerca de apenas US$7 bilhões.

Isso criava dificuldades para pagamento da dívida externa e também para comprar produtos do estrangeiro.

Felizmente, hoje em dia nossa situação melhorou bastante, visto que temos mais de US$300 bilhões de dólares em reservas. 

Dinheiro esse que é suficiente para realizar comércio com os outros países e também para pagamento de dívida externa.

Interpretando o déficit comercial

Não podemos confundir o resultado comercial de um país com o seu nível de riqueza. 

Ou seja, um país que tenha déficit comercial não significa que seja mais pobre ou rico que outros que tenham superávit comercial. 

A única coisa que podemos inferir desse resultado é que o país possui uma dependência externa para conseguir produtos que não produz internamente. 

Por exemplo, um país que não consegue produzir todo o alimento que necessita, pode estar contraindo um déficit comercial.

Entretanto, isso não significa que esteja em situação ruim, pois ele pode ter a capacidade de atrair capitais externos que servirão para cobrir esse gasto com importação de alimentos.

Além disso, pode ocorrer também do déficit comercial no setor de alimentos ser compensado por um superávit em outro ramo de comércio, como o de bens manufaturados.

Esse é o caso de países como o Japão, que têm sua pauta importadora representada por um déficit em produtos in natura (alimentos e insumos agrícolas), mas que é compensada pelas vendas de produtos de alta tecnologia. 

Já o Brasil é um país considerado forte exportador de commodities, como soja e minério de ferro. Muitas vezes isso permitiu a presença de grandes superávits comerciais.

Entretanto, isso não foi suficiente para fazer com que o país se tornasse desenvolvido, visto que o que se exportava, e ainda exporta, são produtos de baixo valor agregado.

Ou seja, precisamos exportar uma tonelada de minério de ferro para que consigamos importar um chip de computador de poucas gramas e que emprega mais trabalhadores e tecnologia para ser fabricado.

Em suma, o déficit comercial é um indicativo que pode ser utilizado para analisar quando os produtos feitos por um país estão pouco valorizados e demandados no mercado internacional.