O que é Debt Capital Market (DCM) e como funciona

Debt Capital Market (DCM)

O que é Debt Capital Market (DCM). Significado, conceito, para que serve e como funciona.

O que é Debt Capital Market (DCM)?

Debt Capital Market (DCM) é um mercado no qual as organizações (empresas e governos) levantam fundos por meio da negociação de títulos de dívida, para financiar investimentos e demais atividades. 

As formas de capitalização no DCM incluem títulos corporativos (debêntures), títulos públicos e demais modalidades de financiamento.

O DCM também é conhecido como mercado de renda fixa, sendo caracterizado como um mercado de capital de baixo risco. 

Geralmente, os recursos levantados no DCM são de longo prazo e com taxas de juros relativamente baixas, quando comparamos com linhas de financiamento das instituições financeiras.

Outro aspecto de grande importância do DCM é que ele contribui para que as organizações consigam diversificar suas formas de financiamento.

Banner will be placed here

Como funciona o Debt Capital Market (DCM)?

O DCM é nada mais do que o mercado de dívida, ou crédito, ou ainda de títulos de renda fixa.

Quando uma organização emite títulos no DCM ela está buscando captar recursos para financiar suas atividades ou mudar sua estrutura de dívida.

Neste último caso, o que ocorre é que o objetivo é pagar dívidas antigas, com juros mais altos, a partir de dívida nova, com juros menores.

Isso significa que uma entidade toma fundos emprestados e depois paga juros sobre esses recursos contratados. 

Esse processo é semelhante aos casos de pessoas que pedem dinheiro emprestado em um banco para comprar uma casa ou carro. 

Porém, as organizações, ao atuarem no mercado de títulos de dívida, fazem isso em uma escala muito maior do que os indivíduos.

Títulos de dívida são promessas que uma organização faz aos credores em troca de financiamento

Eles geralmente são oferecidos com a adição de taxas de juros que costumam ser pré-fixadas, ou seja, não mudam. 

Além disso, as taxas de juros são determinadas pelas expectativas sobre as condições de pagamento das dívidas dos devedores.

Assim, quando as expectativas são boas, ou seja, quando se espera que as organizações terão boas condições para pagar suas dívidas, os juros tendem a ser menores.

O contrário ocorre quando se tem expectativas ruins, que no caso gera aumento de juros cobrados para a compra de títulos de dívidas.

Há duas formas gerais de se obter títulos de dívida, sendo uma por meio do mercado primário e outra pelo mercado secundário. 

O mercado primário é quando os governos e empresas emitem seus títulos e os investidores fazem a compra, de modo que o dinheiro vai diretamente para o emissor. 

Já o mercado secundário é onde os indivíduos que já receberam seus certificados de títulos vão revender o título por um preço maior ou menor, dependendo da oferta e da demanda.

Neste caso o dinheiro não vai para as organizações, mas sim para o investidor que fez a compra do título no primeiro momento.

Diferenças entre Debt Capital Market (DCM) e Equity Capital Market (ECM)

Uma dúvida muito comum entre os investidores está no funcionamento dos mercados de capitais. 

Basicamente, aqui podemos dividir o mercado de capitais em dois: 

  1. mercado de emissões de ações (Equity Capital Market, ou ECM);
  2. mercado de emissões de dívidas (Debt Capital Market, ou DCM).

Ambos os mercados têm o objetivo de permitir às organizações de captarem recursos para suas atividades. A diferença, portanto, está na forma pela qual isso é feito.

No ECM a emissão de ações corresponde ao processo em que o investidor torna-se sócio da companhia. É como se ele estivesse comprando uma participação ao investir no negócio.

Já no caso da emissão de dívida (DCM), o valor se classifica como um empréstimo tradicional, encontrando-se no Passivo da empresa (capital de terceiros). 

Aqui trata-se, portanto, de um pagamento pendente que a companhia assumiu quando emitiu títulos no DCM.

Classificação dos títulos de dívida

Sabemos que os títulos consistem em uma ampla gama de diferentes tipos de ativos para financiar diferentes tipos de organizações e também com diferentes tipos de risco e retorno. 

Para auxiliar o investidor a lidar com o complexo mundo dos investimentos de títulos de renda fixa, há muitas empresas que fazem a classificação de risco dos ativos.

Aqui temos uma lista dos tipos de títulos mais comuns que são negociados no DCM, com uma explicação geral de suas características:

  1. Títulos de grau de investimento:  esses títulos apresentam baixo risco e baixas taxas de juros. Eles geralmente são usados ​​para arrecadar dinheiro para financiar capital de giro e operações comerciais regulares.
  2. Títulos de alto rendimento: lembre-se que rendimento elevado significa risco elevado. Neste caso são títulos mais arriscados, emitidos por empresas que podem não cumprir suas obrigações de pagamento.
  3. Títulos do governo: os governos também vendem títulos aos investidores para financiar suas operações. Em geral, eles são mais seguros do que os títulos corporativos, mas os termos desses títulos ainda dependem de como o mercado avalia sua qualidade de crédito. 

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE