Usar o débito, crédito ou dinheiro é uma escolha pessoal, mas a forma de pagamento que você utiliza pode afetar seus resultados financeiros de mais maneiras do que imagina. 

No crédito, o valor só será pago mais à frente na fatura do cartão, já no débito, o valor é debitado da conta do consumidor na hora da compra.

Muitos especialistas financeiros sugerem escolher o crédito sempre que possível, a fim de ganhar dinheiro de volta ou outras recompensas valiosas. 

Já outros alertam dos perigos do crédito, encorajando o uso de dinheiro ou débito para se proteger contra o excesso financeiro.

Há um elemento de verdade em ambos os argumentos, por isso, a melhor forma de pagamento depende de suas próprias habilidades de gerenciamento de caixa, com algumas exceções importantes.

O mais importante é que o uso do crédito ou débito seja feito de modo consciente, colocando em práticas as lições da educação financeira.

Veja as vantagens e desvantagens de cada opção de pagamento e qual é a mais indicada de acordo com a sua personalidade e comportamento financeiro.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Pagar no crédito

Apesar de ser taxado como vilão, o cartão de crédito é um grande aliado do planejamento financeiro quando bem utilizado.

Uma das principais vantagens do cartão de crédito é a possibilidade de parcelamento muitas vezes sem juros

Essa opção facilita a compra de produtos mais caros, pagando apenas uma parcela mensalmente. 

No entanto, se essa compra não for planejada com cuidado, as parcelas podem pesar no orçamento ao longo dos meses. É aí que muitas pessoas se perdem. 

O mau uso do cartão de crédito pode fazer com que suas dívidas virem uma bola de neve.

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), o cartão de crédito corresponde a 80,3% dos motivos das dívidas.

A postergação do pagamento é um bom instrumento, desde que você tenha dinheiro para pagar quando a fatura vier.

Além disso, quando o determinado produto não tem desconto à vista, parcelar pode lhe beneficiar por conta da inflação.

O uso do cartão de crédito também é uma forma de pagamento que traz mais facilidade para compras online, reserva em hotéis, além de oferecer a oportunidade de aproveitar as promoções em programas de fidelidade e cashback.

Assim, cada compra é convertida em pontos, que podem ser trocados por produtos, passagens aéreas, descontos, dinheiro de volta, entre outros benefícios.

Por fim, outra grande vantagem do cartão de crédito, se bem utilizado, é ser um excelente instrumento de visualização do nosso comportamento de consumo.

Ao centralizar todos os gastos numa única fatura, fica mais fácil controlar e organizar seu orçamento, identificar os excessos e eliminá-los.

É possível conciliar o vencimento da fatura com o dia do recebimento do salário e pagar tudo em uma única data.

Se você geralmente tem um bom controle do orçamento e paga todas suas contas de cartão a cada mês, faz sentido maximizar o dinheiro de volta ou recompensas pagando no crédito. 

As exceções incluem circunstâncias em que há altas taxas ou onde a tentação pode levar a gastos excessivos.

Pagar no débito

A principal vantagem do cartão de débito é que, em muitos casos, ele evita as compras por impulso, já que não há a opção de parcelar dada pelo cartão de crédito.

Diferente do cartão de crédito onde pode existir a tarifa de anuidade, o cartão de débito não possui tarifas.

Ainda é possível usufruir de preços menores em estabelecimentos que oferecem descontos nas compras feitas no débito, já que, em teoria, esse método equivale a um pagamento à vista para o consumidor.

Ao pagar no débito, o consumidor utiliza o dinheiro disponível em conta, mesmo assim exige controle, pois corre o risco de entrar no crédito especial. Por isso, sempre monitore o saldo de sua conta corrente.

Pagar no dinheiro

Pessoas com maus hábitos de gestão de crédito devem usar o dinheiro até que possam dominar o uso do débito e do crédito. 

Estudos mostram que pagar em dinheiro torna mais fácil controlar seu consumo e aumenta a aversão aos gastos.

Em outro estudo, pagar em dinheiro não só levou a escolhas mais criteriosas, mas também aumentou o apego emocional ao produto adquirido. 

Outra vantagem do uso do dinheiro são os descontos para compras à vista.

Como controlar os gastos no cartão de crédito e débito

Seja qual for a forma de pagamento utilizada, o mais importante é manter seus gastos sob controle. 

Ter um bom planejamento financeiro auxilia a eliminar os gastos e aumentar sua taxa de poupança para começar a investir.

Confira algumas dicas extras para controlar seus gastos nos cartões de crédito e débito para não comprometer seu orçamento.

Fixe um teto de gastos

Trate o cartão de crédito ou débito como mais um item em seu orçamento e estipule um valor máximo para gastar.

Dessa maneira, você reduz as chances de ficar sem dinheiro na conta ou se assustar com a fatura no mês seguinte.

Monitore o extrato e a fatura

Depois de estabelecer um teto de gastos para o cartão, monitore seu saldo e fatura semanalmente.

Se os seus gastos estiverem dentro do previsto, continue. Caso esteja acima do que estipulou, deixe o cartão em casa e passe a usar somente o dinheiro.

Felizmente, está muito mais fácil acompanhar o extrato bancário e a fatura do cartão de crédito através dos aplicativos para smartphones.

Não considere o limite como parte da sua renda

O limite do cartão de crédito e o cheque especial não fazem parte da sua renda.

Tanto o cheque especial quanto o rotativo do cartão são os juros mais caros do mercado e fazem com que as contas saiam de controle facilmente.

No cartão de crédito o risco de se endividar é maior, uma vez que você não vê o dinheiro saindo da sua conta toda vez que passa o cartão.

Por isso, acompanhe sempre seus gastos. Caso não tenha esse controle financeiro, estipule o limite disponível para que ele nunca seja superior a sua renda. Assim, você não gastará mais do que pode.

Tenha poucos cartões

Ter muitos cartões dificulta o controle de gastos e aumenta as chances de se endividar ao gastar mais do que deve ou confundir as datas de pagamento.

O ideal para quem não tem um bom controle é concentrar os gastos em apenas um cartão.

Negocie tarifas

Já não faz muito sentido pagar tarifas para manutenção da conta ou dos cartões. Esses são gastos que podem ser evitados. Recorra a cartões isentos de anuidade e contas sem cobranças. 

Por mais que eles não costumam ter programas de pontos, dependendo do seu nível de gastos, isso não será nem sentido.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Quando pagar à vista

O pagamento à vista, assim como a escolha da forma de pagamento entre débito, crédito ou dinheiro depende do seu nível de controle financeiro.

Em geral, quem controla bem seus gastos, o pagamento à vista é recomendado sempre que tiver um desconto considerável.

Especialistas financeiros estipulam que o pagamento à vista vale a pena quando o desconto for superior a 10%, levando em conta que ao deixar o dinheiro na poupança, por exemplo, o rendimento será menor.

Assim, para quem tem o dinheiro, o pagamento à vista é mais vantajoso quando o desconto supera os rendimentos de aplicações financeiras.

Caso o consumidor precise retirar o valor do pagamento da reserva de emergência e fique com pouco saldo, o ideal é pagar parcelado, sem juros.

Uma vez que não é aconselhável usar todos os recursos e ficar sem nada para despesas inesperadas.

Para quem não tem um bom controle de suas finanças, vale a pena economizar para pagar à vista, mesmo sem desconto, do que correr o risco de parcelar e não honrar com o pagamento.

Afinal, débito, crédito ou dinheiro?

Usar o débito, crédito ou dinheiro é uma escolha pessoal que depende de sua situação financeira e controle de gastos.

Embora pagar com dinheiro ou débito não ofereça as vantagens e incentivos do cartão de crédito, são mais indicados para aquelas pessoas que possuem dívidas e que não conseguem controlar o orçamento como deveriam.

Já o crédito de crédito é um grande aliado daqueles que possuem um bom controle de gastos, pois oferece vantagens e incentivos significativos como pagamento parcelado sem juros e programa de recompensas.

Independente da sua escolha, use os ensinamentos da educação financeira para melhorar seu relacionamento com as finanças e usufruir das vantagens de cada forma de pagamento.

Depois que dominar o básico das finanças pessoais e se ver livre das dívidas, está na hora de dar um passo adiante na sua vida financeira e descobrir os benefícios de investir bem o seu dinheiro.

Para saber por onde iniciar, baixe gratuitamente o livro digital "Como Investir Começando do Zero" e veja que trilhar seu caminho para a independência financeira está mais próximo do que você imagina.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.