O que é custo de captação?

Custo de captação é o custo que instituições financeiras e grandes empresas têm ao captarem dinheiro no mercado financeiro para fazer seus investimentos.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Este custo normalmente é cobrado na forma de juros sobre o capital captado. 

No caso das instituições financeiras, o custo de captação é um dos custos mais importantes, visto que o dinheiro é o seu principal insumo. 

O custo de captação é um importante fator na hora de determinar os juros que os bancos aplicam para seus empréstimos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o custo de captação?

Para instituições financeiras, como bancos e cooperativas de crédito, o custo de captação é determinado pela taxa de juros paga aos clientes sobre o dinheiro aplicado.

Ou seja, o custo de captação abrange os juros pagos sobre os recursos que as pessoas depositam em contas de poupança, depósitos a prazo e compra de títulos de renda fixa, como os CDBs

Embora o termo seja frequentemente usado em relação a instituições financeiras, este custo é também importante para as grandes corporações.

Isso porque as grandes empresas costumam ter acesso facilitado no mercado financeiro e de capitais

Neste caso, em vez de pegarem empréstimos nos bancos, as corporações podem emitir títulos de dívidas (debêntures) e vender para os investidores, devendo pagar uma taxa de juros sobre o valor captado.

Assim, as empresas que emitem debêntures conseguem obter custos de captação bem menores, pois não terão que pagar os spreads cobrados pelos empréstimos dos bancos.

Os bancos comerciais cobram taxas de juros sobre empréstimos e outros produtos que consumidores e empresas precisam. 

A taxa de juros que os bancos cobram sobre esses empréstimos deve ser maior do que a taxa de juros que pagam para obter os fundos inicialmente, ou seja, deve ser maior que o custo de captação.

Assim, a diferença entre os juros cobrados pelos bancos para emprestar dinheiro e os custos de captação é chamado de spread.

O spread nada mais é do que o ganho dos bancos com a concessão do crédito para os seus clientes.

Por exemplo, um banco que emite CDBs com taxas de juros de 5% e empresta dinheiro para empresas a uma taxa de 20% terá um spread de 15%.

Custo de captação no sistema bancário

As fontes de captação que os bancos utilizam para conseguir fundos de empréstimo são de várias formas, tendo cada uma um custo diferente. 

No geral, os depósitos (poupança) são a principal fonte de captação dos bancos no Brasil.

Isso porque este é um mecanismo bastante popular de aplicação financeira utilizada pela população e que também têm custo baixo para os bancos.

Apesar de pagar juros baixos em relação a outras aplicações, as pessoas gostam de guardar dinheiro na poupança principalmente devido à sua elevada liquidez.

Ou seja, é possível sacar os recursos a qualquer instante, enquanto que os títulos de renda fixa levam alguns dias para serem liquidados.

Os bancos também obtêm recursos por meio de outros mecanismos como a emissão de dívida. 

Neste caso, as dívidas são emitidas em forma de títulos de renda fixa, e podem ser utilizadas para financiar atividades específicas ou apenas para compor o nível de liquidez.

É a partir destes instrumentos de captação que os bancos irão conceder o crédito ao público, que neste caso são os consumidores e empresas.

Determinação do custo de captação

O custo de captação é determinado por dois fatores principais: nível de liquidez da economia e risco de empréstimo. 

Quanto maior a quantidade de dinheiro disponível para captação menor serão os juros e, consequentemente,menor será o custo de captação.

Se há muitas pessoas dispostas a emprestar dinheiro, então tempos que os bancos e empresas terão mais poder para negociar os juros de suas dívidas.

Por outro lado, se as pessoas entenderem que a economia está ruim e os riscos de calote são altos, então provavelmente elas irão exigir um retorno maior para emprestar seus recursos.

Neste caso, temos que quanto maior os riscos que as pessoas julgam, maior será o custo de captação que as empresas e os bancos terão.