O que é curva flat?

Curva Flat é um termo usado para expressar um fenômeno da curva de juros.

Quando se diz que a curva de juros está “flat” significa que ela está em posição horizontal.

Ou seja, temos que os juros de curto e longo prazo não apresentam diferenças significativas entre si.

Em situações normais, os títulos de longo prazo costumam pagar juros maiores que os de títulos de curto prazo. 

A curva flat é uma situação que chama atenção pois o normal é que os juros dos títulos de longo prazo se diferenciem dos de curto prazo, de preferência com valor positivo.

Os profissionais do mercado financeiro costumam ver este tipo de fenômeno como sinal de que algum problema está por vir, como uma recessão ou crise, por exemplo.

Para entender mais a respeito da curva flat, assim como as formas de interpretar este fenômeno financeiro, devemos entender o funcionamento da curva de juros.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

O que é curva de juros?

Curva de juros (yield curve) é uma linha que traça os rendimentos, em termos de taxas de juros, de títulos com qualidade de crédito igual, mas com datas de vencimento diferentes. 

A expressão também pode ser encontrada como “curva a termo”, “curva de rendimentos” ou “curva de juros”.

A inclinação da curva de juros é muito útil para quem opera no mercado financeiro.

Ela nos dá uma ideia sobre as expectativas atuais do mercado sobre as mudanças futuras nas taxas de juros e da atividade econômica. 

Como funciona a curva de juros?

Como já dito, a curva de juros expressa a taxa de juros cobrada para um título de mesma qualidade mas com períodos de tempo diferentes.

Conforme podemos ver na figura abaixo, quanto maior o tempo de maturidade de um título, ou seja, quanto mais longo for o seu vencimento, maior tenderá a ser os juros pagos pelo título.

Gráfico de Curva Flat

Atenção para a palavra “tender”, pois a inclinação positiva da curva de juros não é uma regra geral.

Como você já deve entender, a função social do mercado financeiro é ser um mecanismo de alocação de ativos. 

Dessa forma, os agentes do mercado irão sempre tentar comprar ativos que lhes entregarão o maior retorno garantido possível.

Uma pessoa que comprar títulos de longo prazo poderá pedir juros maiores ou menores a depender do que ela acredita que acontecerá com os juros dos títulos de curto prazo.

Se alguém acredita que os juros no curto prazo irão cair no futuro, então poderá aceitar juros de títulos de longo prazo iguais, ou até menores, que os juros de curto prazo atuais.

Assim, temos que a curva de rendimento pode ser horizontal (também chamada de flat), ou negativamente inclinada (invertida).

O seu formato dependerá do comportamento do mercado financeiro.

Em economia, sabemos que quanto maior o horizonte de tempo, maior a incerteza, ou seja, menos noção temos sobre o que irá acontecer.

Assim, avaliar a inclinação da curva de juros é fundamental para saber o que o mercado espera da economia e também decidir em quais títulos de renda fixa investir.

Tipos de curva de juros 

A curva de juros pode ter, basicamente, três formatos diferentes: normal (positivamente inclinada), invertida (negativamente inclinada) e flat.

Vejamos um pouco o que significa cada um desses casos e o que esperar do comportamento do mercado financeiro.

Curva de juros com inclinação normal

Quando a curva de juros estiver com inclinação normal (positivamente inclinada) temos que o mercado está acreditando que a economia irá se aquecer no futuro.

Isso é percebido porque os investidores estão exigindo juros maiores para comprar títulos de prazos maiores.

Quando a economia cresce, tende a pressionar a inflação do país. Para equilibrar o sistema, o Banco Central aumenta os juros para diminuir a demanda.

Logo, se as pessoas acreditam que a economia irá crescer e gerar inflação, é de se esperar que elas exijam juros maiores para comprar títulos de curto prazo.

Caso contrário, elas ficarão com os títulos de curto prazo.

Curva de juros com inclinação invertida

Uma curva de rendimento invertida, ou inclinada para baixo, sugere que os rendimentos dos títulos de longo prazo podem vir a cair.

Isso representa que o mercado espera uma recessão econômica. 

Em uma recessão é esperado que a autoridade monetária venha a baixar os juros de curto prazo.

Isso é feito para estimular o crédito e a demanda da economia.

Tendo isso em mente, os investidores irão preferir comprar títulos de longo prazo, pois esperam que os juros dos ativos de curto prazo irão cair.

Neste caso, a partir dessa expectativa, os investidores irão aceitar receber juros menores para os títulos de longo prazo.

Muitas vezes poderão aceitar, inclusive, juros para os títulos de longo prazo até menores do que os de curto prazo.

Assim, o crescimento  da demanda por títulos de prazo mais longo eleva seus preços e, consequentemente, derruba os juros ao patamar mais baixo que os títulos de curto prazo.

Curva de juros com inclinação flat

Por fim, temos o caso em que a curva de juros se torna plana (flat).

Geralmente isso é sinal de um momento de transição na economia, ou seja, reversão de expectativas.

Quando a economia está passando da expansão para uma estagnação, ou até mesmo recessão, os rendimentos dos títulos de vencimento mais longo tendem a cair.

Já quando a economia está passando de uma recessão para uma recuperação, temos que os rendimentos dos títulos de vencimento mais longo devem subir e alcançar os juros dos títulos de curto prazo.

Nessa transição é normal a curva de juros ficar flat por um tempo.

Quer saber mais sobre investimentos em renda fixa? Temos um artigo completo sobre o tema bem aqui neste link.