O que é crédito consignado?

Crédito consignado é uma modalidade de empréstimo no qual o valor das parcelas é descontado diretamente de um fluxo mensal de renda.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Geralmente o crédito consignado é descontado do salário mensal da pessoa que se encontra em regime formal de trabalho ou daquela que recebe benefício da aposentadoria pelo INSS.

Por ser um tipo de empréstimo com maior garantia de pagamento das parcelas, tende a ser uma modalidade com liberação facilitada e juros menores. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Quem tem direito ao crédito consignado?

O crédito consignado é disponível para uma ampla classe de pessoas.

Os que conseguem obter crédito consignado com mais facilidade são pessoas que recebem renda do Estado, visto que a capacidade de pagamento deste é mais garantida.

Neste grupo estão incluídos os aposentados, pensionistas, servidores públicos federais, estaduais e municipais e militares.

Já aqueles que recebem de empresas do setor privado, quem tem direito são os trabalhadores com carteira assinada, ou seja, que trabalham sob o regime da CLT.

No caso do trabalhador CLT, é necessário antes se informar para saber se a empresa na qual trabalha oferece empréstimo consignado privado

Isso porque nenhuma empresa é obrigada a oferecer o convênio como um benefício para seus empregados.

Outra diferença entre pessoas do setor público e privado na hora de contratar o crédito consignado se refere ao prazo de duração do financiamento.

Primeiramente, os servidores públicos recebem um prazo para pagar o empréstimo consignado em até 96 meses. 

Já no caso dos aposentados e pensionistas do INSS, o prazo máximo é de 72 meses. 

Por sua vez, os trabalhadores de carteira assinada têm um prazo menor, de 48 meses.

Além disso, quanto maior a idade de quem está solicitando o crédito consignado, menor será o limite de tempo disponibilizado.

Isso se deve porque o processo de análise de crédito considera a garantia do recebimento associado à renda. 

Entende-se que quanto mais tempo de trabalho uma pessoa tem, maiores são as chances de obter o empréstimo e pagá-lo sem imprevistos.

Apesar disso, é importante mencionar que quem estiver com o nome sujo, como no SPC, não é impedido de acessar o crédito consignado.

Inadimplências passadas interferem menos na credibilidade de pagamento nessa modalidade de crédito.

Isso porque o pagamento será feito diretamente da conta da pessoa, assim que ela receber seu pagamento mensal.

Taxa de juros

As taxas de juros de crédito consignado geralmente são mais baixas do que as do mercado.

O principal motivo é devido aos bancos terem facilidade para receber o valor, uma vez que ele é descontado diretamente da folha de pagamento.

A taxa de juros do empréstimo consignado varia a depender da instituição financeira, mas geralmente fica entre 1,5% a 4% ao mês.

As variações dependem de vários fatores, como o histórico do devedor, score de crédito e modalidade de consignado.

Limite de valores

Por via de regra, não é possível solicitar o empréstimo consignado cujos valores das prestações ultrapassem os 30% do valor do pagamento ou benefício da aposentadoria. 

Por exemplo: se uma pessoa ganha 2 mil reais por mês, as parcelas do crédito liberado não poderão passar de R$ 600,00.

Este limite é uma segurança para não comprometer a renda mensal dos consumidores e evitar o superendividamento.

O que acontece em caso de desemprego?

Caso o trabalhador CLT seja demitido, ou peça demissão, a execução do restante da dívida deverá ser feita mediante o que foi estipulado no contrato.

A regra geral é que o trabalhador com carteira assinada poderá sofrer um desconto do valor referente ao acerto de contas com a empresa.

Neste caso, o valor recebido será descontado do valor integral do que resta pagar de empréstimo consignado.

Se isso não estiver em contrato, é preciso informar à instituição que concedeu o empréstimo sobre a situação. 

Neste caso, poderá ser preciso renegociar as condições para o pagamento da dívida.

Assim, o empréstimo deixará de ser consignado e passará a ser um crédito pessoal, o que impactará no prazo, nos juros e na forma de pagamento.