O que é o coordenador da oferta?

O coordenador de oferta é um instituição financeira que será responsável por organizar as ofertas públicas de ações, debêntures, notas promissórias comerciais e demais valores mobiliários de uma empresa.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Estes produtos financeiros serão vendidos para clientes institucionais e de varejo, enquanto que o coordenador da oferta receberá uma comissão pelas vendas.

Na maioria das vezes, o coordenador de oferta trabalha com outros bancos de investimento para formar um consórcio de subscritores e, desta maneira, criar a força de vendas inicial para os valores. 

Por isso, o coordenador de oferta também é chamado de coordenador líder.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o coordenador de oferta?

O processo de vender ativos financeiros no mercado é longo e complexo. Por isso, as empresas contrata um coordenador da oferta para ajudá-las.

O trabalho do coordenador de oferta líder começa quando uma determinada empresa decide captar recursos para financiar suas atividades . 

O primeiro passo do coordenador será o de decidir o tipo de oferta que será feita, podendo ser através da venda de ações, títulos ou qualquer outro tipo de ativo negociado em bolsa.

Uma vez determinado qual ou quais tipos de ativos a serem ofertados, o coordenador líder pode formar um sindicato com outros coordenadores para obter melhores resultados no processo.

Geralmente, esse sindicato é formado quando há grandes ofertas, para as quais o risco tende a ser alto e a operacionalização complexa.

A formação do sindicato, portanto, serve para compartilhar os riscos que surgem dessa oferta, de modo que nenhum coordenador seja afetado. 

Os riscos envolvidos são vários. 

Na oferta de ações, por exemplo,  pode ocorrer da empresa despencar na bolsa de valores assim que a negociação pública começar. 

Cabe ao coordenador líder a responsabilidade de montar e gerenciar o sindicato durante toda a oferta. 

Para oficializar a operação, um contrato formal é feito entre o coordenador líder e a empresa, como também entre o coordenador líder e outros membros do sindicato.

Feito isso, o próximo passo será o de avaliar as finanças da empresa e as condições atuais do mercado para se chegar ao valor e quantidade inicial de ativos a serem vendidos. 

Como funciona a precificação da oferta inicial?

A formação de preço dos ativos financeiros a serem vendidos no mercado é o ponto chave para o sucesso ou fracasso do processo de oferta pública de ativos financeiros.

Dois fatores gerais são responsáveis pela definição do preço e quantidade de oferta: 

  1. Os fundamentos financeiros e econômicos da empresa:

Dentre estes podemos citar a saúde financeira da empresa (endividamento, patrimônio líquido, receita líquida, margem financeira, entre outros), o market share, o setor da empresa, entre outros.

Quanto melhor as perspectivas da empresa frente às oportunidades do seu setor melhores serão as condições de oferta e, consequentemente, maiores serão os recursos a serem levantados.

  1. A facilidade de títulos ao público:

Aqui entram questões relacionadas à liquidez do mercado financeiro.

Quanto menores forem as taxas de juros, tanto de curto quanto de longo prazo, e melhores as perspectivas para a economia, maior será a quantidade de dinheiro disponível.

Ou seja, quanto melhor as condições de liquidez do mercado financeiro, maior será a facilidade de vender os ativos da empresa.

No geral, as definições sobre o preço justo são realizadas entre o coordenador líder e a empresa que emite os valores mobiliários. 

Depois de decidido o preço, falta o operador da oferta definir, junto ao sindicato, quantas ações ou outros valores mobiliários serão vendidos durante o período de oferta e data do processo.

Por fim, os ativos são distribuídos entre as várias instituições financeiras que participaram do processo e, em seguida, oferecido aos investidores.