O que é Contabilidade Social?

A contabilidade social é o ramo das ciências contábeis responsável por estudar, registrar e mensurar agregados macroeconômicos. Ou seja, as grandezas e variáveis que compõem o comportamento dentro da macroeconomia.

Diferente do que acontece na contabilidade tradicional, a social ou ainda conhecida como contabilidade nacional, é caracterizada como uma análise macroeconômica

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Pois, sua metodologia baseia-se em um sistema de análise geral (macro), diferentemente das demais que fazem avaliações individuais (micro). Mas, sem deixar de lado seus cálculos quantitativos.

Aqui a macroeconomia é avaliada de forma matemática, ao usar números e indicadores. Desse modo, sendo capaz de identificar quando determinada conjuntura econômica tem gerado crescimento ou contração.

É por isso que a contabilidade social não se limita apenas aos valores econômicos monetários. Ela tem como objetivo também, analisar e quantificar os impactos das atividades empresariais considerando aspectos:

  • Ambientais/ecológicos;
  • Sociais;
  • Éticos.

Logo, a monografia do curso de contabilidade ou o TCC nesta área pode estar atrelada a diversas áreas

Portanto, a contabilidade social, pega termos teóricos muito abordados dentro da macroeconomia e os traz para uma metodologia prática.

O que permite sua avaliação de forma completa através dos números.

Como Funciona a Contabilidade Social?

A contabilidade social é desenvolvida através do princípio da identidade das contas nacionais. Esse princípio aponta os 3 parâmetros que podem ser usados para mensurar atividades econômicas, sendo eles:

  • Despesa Nacional ou DN: é o somatório das despesas realizadas em um período na aquisição de serviços e bens finais, por empresários, pessoas físicas, estrangeiros e o próprio Governo;
  • Produto Nacional ou PN: representa a soma de todos os serviços e bens que foram produzidos pelo país em um período;
  • Renda Nacional ou RN: é a soma dos rendimentos pagos a todos que detém os fatores de produção, como remuneração ao uso de seus serviços em determinado período.

Apesar de serem parâmetros distintos, eles devem se equivaler e gerar o mesmo resultado. Isso faz com que a equação básica da contabilidade nacional seja DN = PN = RN.

Em termos de metodologia, essa ciência contábil funciona da mesma forma que a contabilidade empresarial, apurando despesas e receitas. Mas, seu objetivo não é entender a realidade de uma empresa.

Sua finalidade é a de medir o progresso de um país ou determinada região. Para isso ela precisa incorporar em sua ótica tanto os aspectos monetários, quanto aqueles humanos. 

O sistema adotado é o das contas nacionais que simplifica a forma como a macroeconomia funciona.

Essas contas são indicadores essenciais capazes de quantificar aspectos mais humanos, sendo os mais comuns:

  • Produto Nacional Líquido;
  • Produto Nacional Bruto;
  • Produto Interno Líquido; 
  • Produto Interno Bruto;
  • Produto Nacional; 
  • Renda Nacional; 
  • Investimentos
  • Poupança.

Qual é o Conceito Fundamental da Contabilidade Social?

O fluxo circular de renda é o conceito fundamental usado na contabilidade social. Ele representa o ciclo de trocas que movem a economia por meio de consumidores e produtores.

Através disso são formados dois mercados, o de fatores de produção e de bens. Os fatores de produção representam a força de trabalho que move o mercado produtor e gera despesas.

Essas despesas são referentes a remuneração paga aos seus funcionários que, por sua vez, são ainda consumidores. Como consumidores, eles se tornam o fator que alimenta o mercado produtor.

Logo, entram os bens que representam os serviços e produtos vendidos que geram receita aos produtores.

Portanto, todas as pessoas dentro da contabilidade social, são produtoras e consumidoras dependendo da situação.

Assim como você consome bens no cotidiano, você também atua como fator de produção dentro de outro negócio. Por isso o fluxo circular de renda é considerado um ciclo.

Pois, todo mercado produtor gera despesas e receitas que alimentam outros. Algo que, por sua vez, só existe por causa dos consumidores que alimentam a sua demanda.

De forma básica, esse conceito não analisa fatores de importação e exportação, algo que envolve outras macroeconomias. Quando esses parâmetros são acrescentados, passamos para um princípio mais complexo.

Qual a Importância e Benefícios da Contabilidade Social?

A importância da contabilidade social está na sua capacidade de mensurar mais do que aspectos monetários simples. Pois, ela leva em consideração os impactos sociais dentro de uma macroeconomia. 

Isso porque são considerados fatores étnicos, sociais e ambientais. Seus indicadores pensam além do desempenho financeiro, alguns se voltam aos aspectos relacionados à qualidade de vida, por exemplo.

O que não é algo naturalmente tangível, mas se torna através da contabilidade social. Isso melhora as decisões dentro de empresas e entidades  governamentais, gerando maior responsabilidade corporativa e social.

Antes uma tomada de decisão poderia considerar apenas os impactos financeiros.

Contudo, conforme a aplicação desse tipo de contabilidade, a distribuição de recursos passa a ser pensada também pela ótica humana.