O que é o Conglomerado Financeiro?

Conglomerado diz respeito a um conjunto de empresas que são dependentes de uma única empresa, a matriz, ou seja, é a junção de empresas de diversos ramos sob a mesma estrutura corporativa.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Podemos chamar também de conglomerado empresarial, conglomerado econômico, grupo empresarial, dentre outras denominações que lhe cabem.

Diz respeito à união de um grupo de grandes empresas, geralmente multinacionais.

O conglomerado é uma forma de oligopólio, onde uma corporação controla todas as outras organizações deste amontoado.  A prática do holding é bem comum na formação de oligopólios.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Portanto, fazendo um importante adendo, iremos esclarecer como funciona essa prática no próximo tópico, para facilitar a compreensão do tema.

O crescimento do conglomerado ocorre pela inserção de novas empresas, acarretando aumento do lucro das empresas já existentes. A meta é obter cada vez mais lucros, com a expansão das organizações participantes.

Em um cenário globalizado e competitivo, as empresas do segmento se unem para formar organizações fortes e dominantes, o que configura em grande vantagem competitiva para os negócios envolvidos nessa dinâmica.

Ao falarmos de conglomerado financeiro podemos citar especificamente empresas desse segmento, como: bancos; seguradoras; instituições de crédito; dentre outras modalidades atuantes no mercado financeiro.

Os conglomerados iniciaram nos EUA, na década de 1960, e, por muitos anos, foi muito valorizado trazendo retornos sobre os investimentos. Sua natureza era agressiva e suficiente para muitos investidores.

Os preços altos das ações permitiam conseguir mais empréstimos e, assim, comprar mais empresas, alcançando o rápido crescimento.

Contudo, essa ilusão não durou muito e, com as altas das taxas de juros, para controlar a inflação, os lucros caíram.

Para manter as empresas, muitos conglomerados tiveram que abrir mão das indústrias que haviam comprado e, no início dos anos 1970, os conglomerados haviam diminuído.

Os conglomerados, com o passar do tempo nos EUA, país de origem, foram sendo substituídos por outras idéias, como foco em uma empresa núcleo competência.

O que é uma Holding?

Quando se trata de conglomerado financeiro, não podemos deixar de citar o conceito de holding. Prática que é muito comum no sistema organizacional de diversas empresas.

Holding, resumidamente, é a empresa matriz, bastante comum na formação de conglomerado financeiro, com as instituições dos grupos sendo controladas por uma sociedade.

No Brasil temos alguns exemplos de holding, como a J & F Investimentos, Itaú Unibanco (ITUB4), e a BRF (BRFS3), dentre outros.

As holdings também são oportunidades de ancorar capital em companhias controladas por ela, fato muito relevante para os investidores da bolsa de valores.

Vantagens do Conglomerado Financeiro

A grande vantagem do conglomerado financeiro é o grande volume de negócios que acarreta a vantagem competitiva diante dos concorrentes.

Outro importante ponto é relacionado à maior chance de sobrevivência diante de grandes crises, muito por conta de seu próprio tamanho.

Vale ressaltar que é nesses momentos (de crise) que eles aproveitam para expandir seus poderes, como por exemplo, a compra de uma nova empresa do segmento.

A crise sofrida por uma subsidiária pode ser compensada pela expansão em outra divisão.

Riscos e Desvantagens

Nesses casos nos deparamos com maiores dificuldades na gestão desses grupos.

Ou seja, organizar informações contábeis e divulgar os resultados, no que diz respeito a empresas de capital aberto, permite uma análise muito superficial e sem aprofundamento em cada unidade do negócio.

Portanto, a complexidade de contas torna-se mais difícil para os gestores quando se trata de conglomerados financeiros.

Além disso, não há uma diversificação setorial, o que gera maior proteção, ao contrário de outros formatos de grupos.

Devido à estrutura mais complexa, os conglomerados financeiros são organizações menos flexíveis, tornando mais desafiadoras a implementação de novidades ou mudança de cultura.