O que é Conciliação Bancária e como funciona
SIMULE AGORA

Conciliação Bancária

O que é Conciliação Bancária. Significado, conceito, para que serve e como funciona.

O que é Conciliação Bancária?

Para o desenvolvimento e sucesso de sua empresa é necessária muita organização, controle, e empenho para garantir maior segurança dos dados por ela gerados.

Por isso, os setores da companhia, principalmente o financeiro e contábil devem estar trabalhando de forma alinhada e conjunta para garantir a efetividade da gestão.

Além disso, um dos principais pontos para ser levado em conta é quanto às estratégias que as empresas traçam para sua organização financeira.

Banner will be placed here

Nesse caso, entra em cena um artifício que pode muitas vezes ser esquecido, porém, muito necessário, que é a chamada conciliação bancária.

A conciliação bancária é um mecanismo que promove a comparação entre os valores que entram e saem da empresa com os valores anotados no controle financeiro interno.

Ou seja, tem o objetivo de validar as informações através da análise entre tudo que foi gasto e recebido com o que foi registrado internamente, buscando assim maior regularidade dos valores.

Portanto, se é uma empresa que utiliza diversas formas de pagamento como cartão de crédito/débito, boletos, entre outros, é muito importante que tenha esse tipo de controle.

Pois, assim, evita divergências e possíveis problemas quanto às finanças, diminuindo as chances de fracasso da companhia.

Qual a importância da realização da Conciliação Bancária?

A principal importância de se realizar a conciliação bancária é quanto a organização financeira da empresa.

Através disso evita-se uma série inconsistências dos dados, prevenindo assim que existam problemas na hora de cumprir suas obrigações perante a realização das tarefas da empresa.

Além disso, existem outros pontos em que esse tipo de controle é muito eficaz, como:

  • Permitir organização orçamentária;
  • Gerenciar melhor as movimentações financeiras;
  • Controle sobre possíveis fraudes;
  • Entender o fluxo de caixa.

Quanto a organização orçamentária, essa serve para que se estabeleça o que será feito pela empresa em relação aos investimentos, despesas, custos, entre outros.

Logo, ao se realizar a conciliação contábil e definir o capital dessa empresa, fica muito mais fácil que tudo seja organizado sem que existam distorções.

Em relação a gerenciar melhor as movimentações financeiras, através da conciliação é possível ter uma visão ampla e consistente de como sua empresa está atuando.

Tal fato faz com que ela mostre qual o melhor caminho a ser tomado em relação às finanças.

Outro benefício é quanto ao controle de fraudes. Esse que pode ser evitado de forma decisiva a partir desse mecanismo de conciliação.

Dessa forma há um monitoramento para verificar depósitos errados, se há cheques não compensados, e até mesmo depósitos com valores diferentes do real, permite que sejam bloqueadas as fraudes.

E, por último, é possível entender o fluxo de caixa. Ou seja, com as contas organizadas é possível cumprir funções e tomar medidas necessárias para o fluxo financeiro.

Como realizar a Conciliação Bancária?

Para realizar a conciliação bancária de forma eficiente e segura, é indicado seguir alguns passos, como os que serão mostrados abaixo.

  • Registre diariamente as movimentações;
  • Análise o extrato bancário;
  • Analise as regularidades dos lançamentos;
  • Realize correções.

No passo número um, é necessário ter o controle de todas as contas bancárias e de suas movimentações no dia, sendo incluso nisso pagamentos e recebimentos, empréstimos, salários, entre outros.

Até porque, nesse primeiro passo podem ser encontrados erros e divergências que já devem ser corrigidas evitando problemas futuros.

Quanto ao passo 2, parece simples, porém muito necessário, sendo que devem ser comparadas todas as entradas e saídas da empresa com o extrato bancário buscando valores iguais.

Feito isso, é hora do passo três. Nele é um momento de maior organização, pois deve ser verificado todas as datas em que foram feitos lançamentos, visando assim menores riscos.

Além das datas, é interessante comparar valores, saldo inicial e final, se existem lançamentos que foram esquecidos ou não, e se os lançamentos foram feitos de forma correta.

Por fim, chega a hora do passo quatro, das correções. Aqui, caso sejam encontrados erros e divergências de valores, deve ser buscado a raiz do problema e feita a correção.

No mais, é essencial que seja armazenado todos os comprovantes, notas fiscais, boletos, extratos para garantir segurança dos processos realizados.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE