O que é Compensação Bancária?

A Compensação bancária é o tempo de demora para que um depósito caia em determinada conta. Esse prazo se dá pela necessidade do banco em conferir os valores e dados.

Esse processo, em que o banco confere os dados e os valores recebidos pela operação, até liquidar títulos e transferir fundos, segue rigorosas normas que são estabelecidas pelo Sistema de Pagamentos Brasileiro.

Ou seja, compensação bancária é o prazo para que a transação bancária seja concluída. Esse prazo pode variar de investimento para investimento e de acordo com o tipo de transação.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Tipos de Compensação Bancária

Antes de explicarmos os prazos e o funcionamento apresentaremos todos os tipos de compensação bancária, são eles:

  • TED - Transferência Eletrônica Disponível;
  • DOC - Documento de Ordem de Crédito;
  • Cartão de crédito e débito;
  • Depósito em caixa eletrônico;
  • Depósito na boca do caixa.

Quais são os principais prazos?

Como já foi dito, os prazos de compensação bancária divergem conforme os diferentes tipos de operações. Para melhor planejar as operações, é importante ter o conhecimento desses prazos.

Anteriormente um dos maiores prazos de compensação que existia era o do depósito dos cheques, que podia levar até vinte dias para o dinheiro cair na conta.

O motivo para a demora é pelo fato do cheque ser um dos títulos mais falsificados.

Portanto, não apenas era necessário analisar o saldo da conta do responsável pela emissão, mas averiguar se foi ele quem realmente emitiu o eventual cheque.

Com o avanço de alguns recursos, dentre eles a tecnologia de imagem digital, a burocracia foi bastante reduzida, facilitando as análises que garantem a veracidade do cheque.

Ditos isso, devemos destacar que, nos dias atuais, a compensação é feita em dois dias úteis para cheques com valores superiores a R$ 300,00, e em um dia útil para valores menores.

No caso de pagamento de boletos bancários, o prazo de compensação é de 72 horas (três dias).

Já, o prazo para compensação no caso de depósito irá depender de como este foi realizado.

O prazo vai variar se o depósito foi feito na boca do caixa ou no caixa eletrônico. No caso do segundo, vai depender em qual horário foi feito o depósito.

Vamos entender melhor essa situação:

No primeiro caso, quando o depósito é feito na boca do caixa, a compensação é imediata, ou seja, o dinheiro entra na conta no mesmo momento.

Já, se o depósito for feito no caixa eletrônico, após as 16h (horário de fechamento), a compensação ocorre no final do próximo dia útil.

Se for feito antes do horário de fechamento, ocorre no final do mesmo dia.

Também vale lembrar que, para transferência TED, a compensação é feita na mesma hora, já, para transferência DOC, o prazo é de um dia útil.

Como funciona?

Em muitos casos as operações feitas no banco não são computadas de imediato, contudo, devido à digitalização de bancos tradicionais e a criação de bancos digitais, os prazos estão evoluindo.

Ainda assim, muitas operações necessitam de um prazo para serem concluídas.

Há algumas operações que necessitam de um tempo maior para que a análise seja feita.

Podemos citar o exemplo de uma transferência por DOC. Neste caso o banco vai fazer a análise, no final do dia, de todos os procedimentos que foram feitos durante o dia.

Pois bem, o banco precisa analisar se há saldo disponível em todas as contas das pessoas que fizeram o procedimento de transferência DOC, para assim, finalizar ou cancelar a transferência.

Outro exemplo que podemos citar é sobre os depósitos em caixas eletrônicos.

Neste caso, o banco também vai fazer o levantamento de todos os depósitos feitos e conferir se o valor bate com o descrito no envelope, para, assim, finalizar ou ajustar o valor.

Por fim, devemos dizer que a compensação não diz respeito ao momento em que o dinheiro sai da conta do pagador, e sim de quando cairá na conta do destinatário.