Como Investir em Ouro e Ganhar Dinheiro na Crise
|

Como Investir em Ouro e Ganhar Dinheiro na Crise

Saiba como Investir em Ouro de forma simples para proteger a sua carteira e ganhar dinheiro nas crises financeiras.

Por
Atualizado em 21/05/2020
Avalie esse texto

Investir em ouro é uma forma de proteger sua carteira em momento de crise econômica. O ativo milenar é considerado uma reserva de valor em tempos de instabilidade financeira.

O ouro é o investimento mais antigo do mundo. Há tempos esta commodity tem sido uma forma de garantir a estabilidade e segurança para a carteira.

Para muitos, investir em ouro é ainda mais atraente do que investir em dólar, uma vez que o metal lastreia a reserva monetária de várias economias ao redor do globo.

Em momentos de maior insegurança o ouro é uma proteção contra a desvalorização que os outros ativos podem sofrer.

A lógica é que o ativo milenar se movimenta em sentido oposto às ações de empresas listadas em bolsa e dos títulos de dívida. 

Se a bolsa e os títulos caem, o ouro sobe e vice-versa.

Em meio à pandemia de coronavírus, marcada por semanas de forte volatilidade nas bolsas ao redor do mundo e a alta do índice do medo dos investidores (VIX),

O ouro foi um dos poucos ativos que valorizou.

Desde o começo de janeiro, o preço da grama do ouro teve uma valorização acumulada de 27% em 2020.

Então, você está pronto para saber como investir em ouro e ganhar dinheiro na crise?

Você vai descobrir tudo o que precisa para investir em ouro ainda hoje:

  • O que é Investimento em Ouro;
  • Como investir em ouro;
  • Vantagens e desvantagens;
  • Por que investir em Ouro.

 Leia até o final e veja o rendimento do ouro e se investir em ouro vale a pena.

O que é Investimento em Ouro?

O investimento em ouro é uma forma de amortecer eventuais perdas de patrimônio ou até ganhar dinheiro em períodos de alta inflação e crise financeira.

Como sua cotação é mais estável, diversifica e protege a carteira contra as oscilações do mercado de renda variável.

Também por isso, o investimento em ouro não deve ser baseado em uma valorização do ativo.

Mas sim na garantia de estabilidade do valor investido no longo prazo, com um potencial de valorização.

Para investir em ouro, o investidor tem basicamente dois caminhos: 

  • comprar barras de ouro fisicamente;
  • adquirir títulos atrelados à variação do valor do ouro.

O fundo de ouro é a forma mais fácil de investir em ouro, além da menor burocracia, a administração fica a cargo de um gestor.

Este é responsável por escolher as melhores estratégias para maximizar o lucro com o ativo.

Banner will be placed here

Por que Investir em Ouro?

Diferente de outros investimentos, em que o objetivo é obter a maior valorização possível, o investimento em ouro funciona como uma proteção de capital para momentos críticos.

Ao contrário de outros ativos, o preço do ouro tende a subir em momentos de crises financeiras que impactem negativamente a bolsa de valores, gerando o Bear Market.

O preço do ouro tende a cair em momentos de situação econômica favorável, gerando um movimento de busca por investimento em renda variável, Bull Market.

Assim, se o investidor tiver perdas com ações ou fundos imobiliários, por exemplo, a commodity poderá funcionar como um amortecedor e amenizar as perdas.

Uma estratégia para a proteção de capital é realizar o investimento fora de momentos de crises econômicas, pois o preço do ouro costuma estar melhor.

O investimento em ouro deve ter foco no longo prazo.

Uma boa alocação de ativos destina até 10% da carteira para investir em um seguro, como dólar ou ouro.

Tipos de Investimento em Ouro

Existem 3 formas  principais de investir em ouro:  ouro em barra, contratos futuros de ouro ou fundos de investimentos em ouro.

Os fundos de investimento em ouro, ou Fundos de Ouro, é a opção mais acessível a maioria dos investidores.

Dessa forma, não é preciso se preocupar com a burocracia de comprar o ouro físico e nem com os cursos do mercado futuro.

Pode-se ainda investir em ouro indiretamente através de ações de mineradoras.

Ouro Físico

Apesar de não ser usual nem a mais recomendada, é possível comprar ouro físico e guardar em casa.

Neste caso, o investidor pode ter problemas de segurança além de pagar um “spread” (diferença entre o valor de compra e o valor de venda) ao comprar o metal.

O ouro físico, também conhecido como ouro em barra, pode ser comprado por meio de instituições autorizadas pelo Banco Central e pela CVM.

O Banco do Brasil, Ouro Minas e a Reserva Metais são algumas que oferecem esse tipo de serviço.

Contratos de Ouro

Outra opção disponível para investir em ouro é por meio dos contratos negociados na B3 (Bolsa, Brasil, Balcão), como os contratos futuros, a termo, à vista, entre outros.

A opção com maior liquidez é o contrato à vista, porém, esta costuma exigir aportes bem mais elevados do que as demais opções.

A operação funciona da mesma forma que a compra e venda de ações e é realizada por meio de uma corretora de valores.

A liquidação do contrato ocorre apenas no dia seguinte (D+1).

Quem opta por esse tipo de aplicação paga taxas de corretagem e de custódia.

Atualmente, há três tipos de contratos de ouro à vista negociados na B3.

OZ1D (lote-padrão)

  • Maior liquidez;
  • Contrato de 250g. 

OZ2D (lote-fracionário)

  • Menor liquidez;
  • Contrato de 10g.

OZ3D (lote mais fracionado)

  • Pouca liquidez;
  • Contrato de 0,225g. 

Fundo de Ouro

Fundo de ouro é um fundo de investimento lastreado em contratos financeiros de ouro.

É a opção mais acessível para investir em ouro em comparação com as outras existentes.

Além de possuírem maior liquidez, os fundos de investimento em ouro são a maneira mais fácil, prática e de baixo custo de se investir em ouro.

Assim como outros fundos de investimentos, o fundo de ouro funciona como uma espécie de condomínio, onde o investidor adquire uma cota.

Ou seja, compra a participação de uma parte do fundo, o qual é gerido por um gestor.

É este profissional o responsável pela composição dos ativos da carteira, que, além do ouro também costumam investir em títulos públicos e derivativos. 

Esta administração pode ser tanto passiva quanto ativa, na qual se compra e vende ouro de acordo com o momento de mercado, na busca por rentabilidades maiores.

O ouro, por mais que seja um ativo mais estável ainda assim é uma commodity e, por isso, tem seu preço controlado pela lei da oferta e da procura.

Nos últimos tempos o ouro vem sendo uma aposta de muitos gestores de fundos renomados.

Existem dois tipos de fundos de ouro, um com risco único relativo ao ouro e outro em com risco duplo, envolvendo o risco de variação do ouro e do dólar.

Investimento no Exterior

Outra opção para investir em ouro é indiretamente por meio de ações de empresas produtoras de ouro, as quais são negociadas nas bolsas americanas.

Algumas opções no mercado são os papéis da Newmont Mining, Goldcorp e Barrick Gold

Como são negociados na bolsa de Nova Iorque, é preciso abrir conta em corretora estrangeira para investir nelas, veja aqui como investir no exterior morando no Brasil.

Ao investir em ações de mineradoras, o investidor enfrenta um risco duplo: 

  • mudanças na cotação da commodity (risco ouro);
  • problemas operacionais da empresa (risco empresa).

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Vantagens de Investir em Ouro

O ouro pode ser considerado uma proteção de capital em momento de crise ou oscilação do mercado.

Além disso, pode registrar uma rentabilidade maior do que a de outros investimentos considerados seguros, como os de renda fixa.

Veja mais vantagens de ter esse ativo na carteira: 

Proteção de Carteira (hedge)

O ouro é considerado um tipo de proteção de carteira (hedge) durante momentos de crises econômicas.

Além de pouco suscetível a desvalorizações, ele costuma apresentar uma alta valorização em momentos turbulentos. 

Liquidez

Por ser reconhecido mundialmente, o ouro pode ser facilmente convertido em dinheiro quando comparado a outros investimentos. 

Manutenção de valor

Por ser um bem natural finito e perene, o ouro não pode ser fabricado nem possui prazo de validade. Sendo assim, seu valor não deprecia.

Como não está sujeito a intervenções governamentais na economia, sua cotação tende a ser mais estável do que a de outros ativos, como moedas

Diversificação

Uma boa alocação de ativos é fundamental para diminuir os riscos dos investimentos.

Por ser um ativo mais seguro, o ouro pode ser uma opção interessante para diversificar a carteira.

Ao investir em um Fundo de investimento lastreado em ouro, o investidor poderá investir em diferentes ativos e mercados ao mesmo tempo.

Gestão profissional

Os Fundos de Investimento em Ouro contam com o serviço de gestores especializados que escolhem a composição da carteira.

Assim, o investidor não precisa acompanhar diariamente o valor do ativo a fim de decidir a melhor estratégia.

Desvantagens de Investir em Ouro

Apesar de ser uma proteção em momentos de crise, investir em ouro de forma especulativa não é sinônimo de segurança nem de rentabilidade no curto prazo.

Portanto, o investimento em ouro não é recomendado para todos os perfis de investidores, cada pessoa tem uma tolerância à risco e prazo nos investimentos.

Antes de fazer esse investimento, descubra o seu perfil através deste teste online de perfil e receba uma sugestão de ativos para a sua carteira.

As principais desvantagens de investir em ouro são volatilidade, não gerar renda mensal, contrato caro e taxas.

Volatilidade

Por mais que o ouro mantenha seu valor no longo prazo, no curto prazo ele é extremamente volátil por conta de sua alta liquidez no mercado secundário.

Diversos fatores afetam a cotação do ouro, tais como a oferta e demanda nas bolsas do mundo, fluxos de importação e exportação do metal  e períodos de sazonalidade.

Custo do Contrato de Maior Liquidez

Em momentos de crescimento da economia, a demanda por ouro é menor e ele pode ter baixa liquidez nos contratos mais acessíveis negociados na bolsa.

Caso queira maior liquidez é necessário ter mais capital disponível.

Não é um Ativo Gerador de Renda

O ouro não é um investimento que oferece ao investidor uma renda regular, como juros e dividendos.

O investidor somente obterá renda quando vender no mercado por um preço maior do que pagou. 

Taxas

O investimento em ouro pela Bolsa de Valores está sujeito a cobrança de taxas que reduzem o valor final do investimento.

Riscos de Investir em Ouro

Apesar de ser um investimento mais conservador e com a finalidade de proteção de capital, o investimento em ouro possui riscos.

Como a falta de garantia do FGC ou roubo, no caso do ouro físico.

Sem cobertura do FGC

O investimento em ouro não é coberto pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) como outros investimentos seguros, a exemplo de CDBs, LCIs e LCAs.

Risco de Roubo

Caso adquira ouro em barras ou na forma de jóias ele exige despesas com segurança.

Se for guardado em casa, há sempre o risco de ser roubado que deve ser considerado.

Por isso, o investimento em Fundo de Ouro é o mais indicado, uma vez que dispensa qualquer contato físico com o metal.

Taxas do Investimento em Ouro

Ao investir em ouro por meio da Bolsa de Valores, existem duas taxas: a taxa de custódia e a taxa de corretagem.

A taxa de custódia é cobrada mensalmente pela B3 com base na cotação diária do ouro acrescida de 0,07%.

O resultado é multiplicado pelo valor investido e dividido por 30.

As melhores corretoras do Brasil já oferecem taxa de corretagem zero.

O Fundo de Ouro ainda tem a taxa de administração, uma vez que é gerido por um profissional, que varia conforme o fundo escolhido.

As taxas cobradas pelos gestores costumam variar entre 0,10% e 2% ao ano.

Alguns fundos podem cobrar ainda a taxa de performance quando o gestor ultrapassa uma meta definida.

Como Investir em Ouro? 

O investimento em um Fundo de Ouro acontece de forma simples.

A maneira mais prática e segura de investir em ouro é investir em fundos de investimentos em ouro por meio de uma corretora.

Passo 1. Descubra seu Perfil de Investidor

Antes de começar a investir, é essencial fazer o Teste de Perfil de Investidor para descobrir os riscos que está disposto a correr em função da rentabilidade.

Sabendo o seu perfil, saberá quais os investimentos que melhor se encaixam nas suas características e objetivos.

Passo 2. Escolha uma Corretora e abra sua conta

Investir em corretoras independentes é mais vantajoso do que investir pelo banco.

Nas Melhores Corretoras de Valores as taxas são mais baixas e o leque de opções de investimentos é maior.

Muitas delas disponibilizam a abertura de conta pela internet, direto no site da corretora.

Passo 3. Selecione o Fundo de Ouro que Investirá

Fundos de uma mesma categoria podem adotar estratégias completamente diferentes.

Por isso, antes de investir, observe aqueles que estão mais alinhados com os seus objetivos.

Verifique também as taxas cobradas, pois elas correm a rentabilidade dos investimentos.

Passo 4. Transfira o Dinheiro

Transfira o dinheiro da sua conta corrente para a sua conta da corretora.

Lembre-se que é necessário a conta de saída deve estar no mesmo CPF da de entrada.

Passo 5. Faça a Aplicação

Acesse o home broker e faça o investimento no fundo de ouro de sua escolha.

Na corretora de valores, você terá acesso aos contratos futuros de ouro, a ETF e os fundos de investimento em ouro.

Passo 6.  Aguarde o momento para sacar

Resgate somente em caso de emergência. Esta é uma aplicação com objetivo principal de proteção da carteira.

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Investir em Ouro Vale a Pena?

O investimento em ouro vale a pena para ser usado como proteção contra a desvalorização do patrimônio em períodos de inflação e crise financeira.

É também uma forma de diversificar a carteira para quem já possui outras aplicações financeiras de risco.

No entanto, por ser uma commodity, o ouro pode apresentar alta volatilidade nos preços e afetar o pequeno investidor.

Por conta destas oscilações e do longo tempo de aplicação, não é recomendável para investidores que não tem experiência e que precisam resgatar o dinheiro no curto e médio prazo.

Lembre-se que, antes de investir em ouro é necessário conhecer seu perfil de investidor para fazer uma boa alocação de ativos e se expor a um nível adequado de risco.

Descubra o seu perfil através deste teste online de perfil e receba uma sugestão de ativos para a sua carteira.

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais