O que é risco para você?

Para Warren Buffett, o conceito de risco é bem simples: "O risco advém de você não saber o que está fazendo".

Para compreender melhor o que é risco, vamos a um exemplo hipotético.

Imagine que você foi a um cassino e apostou em um número na roleta. 

Se você apostar no número 10 e a bolinha cair nesse número, você ganha bastante dinheiro. Se cair em qualquer outro número, você perde todo o valor apostado.

O número resultante da aposta é completamente aleatório, já que você não tem nenhuma influência sobre isso.

Não existe maneira de você melhorar suas chances de ganhar

A probabilidade de você perder todo o seu dinheiro na roleta é de aproximadamente 97,30%.

De qualquer maneira, não há nada que possa afirmar que o número que você escolheu é melhor ou pior que qualquer outro disponível. Ganhar dependerá unicamente da sua sorte.

E contar com a sorte é muito arriscado.

O que, então, fazer para não utilizar a sorte como meio para alcançar o sucesso financeiro?

Como Escolher Boas Ações? Baixe o Checklist de 5 Critérios para Analisar Ações.

Bom, se você basear suas decisões em quão lucrativa e promissora é uma empresa, e quão barata está sua ação em relação ao valor justo, daí sim você está trazendo as chances para o seu lado. 

Mas como funciona o risco no mercado financeiro?

O mercado trata o risco como sendo a volatilidade (variação de preços das ações em determinado período).

Veja o conceito mais utilizado pelo mercado para volatilidade:

“Uma medida de dispersão dos retornos de um título ou índice de mercado.
Quanto mais o preço de uma ação varia num período curto de tempo, maior o risco de se ganhar ou perder dinheiro negociando esta ação, e, por isso, a volatilidade é uma medida de risco.
O estimador mais simples da volatilidade é o desvio padrão histórico”.

Mas será que essa definição faz sentido para nós que utilizamos como estratégia o Value Investing?

Definitivamente, não. 

Na verdade, a volatilidade é o que nos permite ganhar dinheiro com a estratégia de investimento.

Utilizando a volatilidade podemos comprar ações de excelentes fundamentos a preços de barganha.

Na prática, isso significa que há mais oportunidades de o preço se tornar muito menor ou muito maior do que o valor intrínseco, permitindo ótimas oportunidades de compra e venda no value investing.

Sem a existência da volatilidade, o preço das ações seriam sempre justos, invalidando a estratégia.

A oscilação de preço deve ser encarada como uma oportunidade atraente de comprar barato, quando o preço cai, e de vender caro quando o preço sobe. 

Perceba que, sob essa ótica, a volatilidade não pode ser considerada uma medida de risco no value investing.

Muitas vezes, os investidores exageram sobre determinados eventos negativos a respeito de uma empresa. 

Basta que um resultado trimestral venha abaixo das expectativas do mercado para que o preço da ação entre em queda brusca. 

A queda ocorre porque as pessoas têm incertezas a respeito do futuro da empresa.

Onde Investir na Queda da Bolsa? Baixe a Lista de 3 Ações para Investir Agora.

O resultado de um único trimestre poderá levar uma empresa que vale bilhões de reais a quebrar? 

Improvável.

As incertezas dos outros sobre as empresas que temporariamente estão passando por momentos de preocupação criam oportunidades para nós.

A palavra chave aqui é "temporariamente". Se a empresa possui problemas crônicos, fique de fora.

Concentre-se em duas variáveis: preço e valor

Entendendo a diferença entre essas duas variáveis, você será bem sucedido.

Cito Warren Buffett para finalizar:

“O preço é o que você paga, o valor é que você leva. Falando de ações ou de meias, eu gosto de comprar mercadoria de qualidade quando está barato.”

Por isso eu afirmo, investir na bolsa de valores brasileira hoje é menos arriscada que antes.