Desde 2008, em meio a maior crise financeira do século 21 não se via uma disfuncionalidade do mercado financeiro que pode beneficiar os investidores de bolsa, através de ações extremamente baratas.

Eu costumo chamar essa distorção da bolsa de valores de “Efeito Mola do Mercado Financeiro”.

Na prática são algumas ações que tendem a se recuperar mais rápido dessa crise.

O que vou falar aqui serve para todos que me acompanham e por isso peço para que você fique atento ao que será dito. 

Para identificar as melhores ações para investir hoje eu utilizei a análise única e exclusiva do GuiaInvest, desenvolvida internamente e usei a ferramenta do GuiaInvest.

A análise foi baseada em números e não em achismos ou opiniões.

Pensa bem:

nessas horas, qualquer análise que não seja baseada em dados fica sujeita a um viés emocional muito grande, dado o cenário que está posto, certo? 

E sabe por que isso é importante para você?

Por que é uma oportunidade real de você duplicar ou triplicar o seu capital com algumas dessas ações, pois são as empresas que tendem a se recuperar mais rápido dessa crise.

Com esse meu método você encontrará uma lista empresas sólidas, com folga financeira, companhias muito capazes de minimizar danos nos seus resultados nesse momento.

Além de apresentarem um histórico de bons resultados em crises passadas. 

Leia até o final e veja como escolher as melhores ações para investir hoje e surfar o Efeito Mola do mercado nos próximos meses.

Efeito Mola do Mercado Financeiro

O efeito mola do mercado é quando uma empresa sofre uma forte desvalorização na bolsa sem ter perdido seus fundamentos, e por isso tem o maior potencial de valorização.

São ações de empresas que estão mais bem preparadas para atravessar momentos sombrios, como o que estamos vivendo hoje no mundo.

Com o simples movimento de retorno ao preço que estavam antes da crise, já será o suficiente para mais do que dobrar seu o capital, já que algumas dessas ações caíram mais do que 50% na crise do Coronavírus.

A história das crises passadas tornam evidente o efeito mola do mercado financeiro:

Joesley Day

No fatídico Joesley Day, em 2017, a bolsa passou por uma correção de 9% e se recuperou em 3 meses.

Na greve dos caminhoneiros em 2018 a bolsa caiu 33% em dólar e levou 4 meses para se recuperar.

Crise do Subprime

Na crise do subprime em 2008, a bolsa caiu 44% e se recuperou em 8 meses.

Em 1999, quando alteramos o regime das taxas de câmbio de fixo para o câmbio flutuante, a bolsa caiu 45% e se recuperou em 3 meses.

Crise Russa

Em 1998, com a crise Russa que criou um temor nos mercados financeiros emergentes, a bolsa caiu 57% e voltou aos patamares originais em 7 meses.

Todas essas crises foram graves, com muitos temores, incertezas a frente e sempre havia o argumento de que “essa crise é diferente”.

Nessa horas, o que não falta é gente pregando o fim do mundo.

Corona Crise

Na atual crise do Coronavírus, conhecida por alguns como Corona Crise ou Corona Crash, o Ibovespa já cedeu 47%.

Essa queda é menor do que a crise Russa e muito semelhante a da crise cambial e a crise de 2008.

Para colocar as coisas em perspectivas, as crises de 1998 e 1999 previam uma falência do Estado Brasileiro pelo calote da dívida externa e a crise de 2008 previa um colapso do sistema financeiro mundial. 

Nos 3 casos os danos seriam irreversíveis, porque levaríamos décadas para recuperar os prejuízos.

Efeito Mola na Crise do Coronavírus

Olhando pelo cenário atual, possivelmente vamos ter uma retração econômica em 2020, mas NÃO estamos com a nossa capacidade produtiva esgotada, pelo contrário:

estamos passando por um choque temporário, sem consequências definitivas

Quando a quarentena for encerrada, teremos toda uma demanda reprimida para atender.

O efeito mola do mercado tem o mesmo efeito de uma mola que acumula energia quando fica muito comprimida e depois, quando solta, o movimento de retorno ao estado normal dela é rápido.

Nesse cenário, a recuperação de algumas empresas da bolsa deve ser mais rápido do que outras.

Eu estou aqui para te mostrar como selecionar empresas que devem puxar essa recuperação e que após uma queda média de 47%, hoje suas ações estão extremamente baratas na bolsa.

 São elas que vão surfar esse Efeito Mola do mercado.

Por que as Pessoas Perdem Dinheiro nas Crises

Agora, você não concorda comigo que pouca gente aborda o mercado de ações dessa maneira?

Pois é, talvez isso explique o fracasso da maioria dos investidores de bolsa.

Se eventualmente você investiu sem sucesso é porque provavelmente você seguiu a recomendação de um analista ou influenciador digital.

Ou comprou uma ação só porque o gestor de um fundo conhecido falou bem dela.

Você investiu em ouro e dólar para proteger os seus investimentos depois que o mercado já tinha caído, que é o mesmo que fazer seguro depois de bater o carro.

Tarde demais.

Isso tudo aconteceu com muita gente nas últimas semanas.

E fazer isso é a receita para fracassar.

Você precisa olhar para os fundamentos da ação, precisa saber se está investindo em uma boa empresa, que tenha bons resultados.

A opinião de um analista no máximo pode complementar a sua análise fundamentalista, mas é só isso.

Investir em boas empresas é o que realmente importa.

Investir se baseando em uma dica vai fazer com que você fique angustiado quando o preço da ação cair, até porque você não vai saber muito bem porque comprou a ação.

Você não vai saber se a empresa está preparada para o cenário que está dado a frente.

Agora, se você analisar a qualidade da empresa através de números, você entra na bolsa de forma lógica e racional.

Você saberá investir no que é bom e recusará o que é ruim. 

E como você pode fazer isso?

Qual o Potencial de Ganho nas Crises

É tudo uma questão de você focar nos fundamentos e começar a multiplicar o seu dinheiro na bolsa investindo em boas empresas.

Pegue os exemplos que eu acabei de mostrar.

Quem possuía posição em ações no auge de cada uma das crises que eu citei, teve um rápido ganho de capital.

No Joesley Day foi possível ter um ganho de 8% em 3 meses.

Na greve dos caminhoneiros, 50% em dólar em 4 meses.

Na crise do subprime, 78% em 8 meses.

Na crise cambial, 81% em 3 meses.

E na crise Russa, 132% em 7 meses.

Todas essas crises foram agudas, com quedas rápidas e recuperações rápidas.

A verdade é que os mercados são imunes a crises.

Eles sobrevivem a guerras, recessões financeiras, pandemias, escândalos de corrupção.

Repito, sabemos que é sério o que está acontecendo nesse momento, mas não caia na conversa de quem quer fazer terrorismo.

O dinheiro não some, ele apenas troca de mão.

Nesse exato instante, investidores impacientes estão vendendo as suas ações para investidores pacientes e é nesse segundo grupo que você deve se inserir. 

Por que Investir no Meio do Corona Crash

O noticiário está melhorando silenciosamente e você deve se ater aos sinais, e não aos ruídos.

O que você precisa agora é agir. 

A questão é que apesar desses sinais, o mercado ainda está disfuncional, operando em modo maníaco-depressivo, oferecendo excelentes empresas a preços de promoção para os investidores inteligentes.

Isso abre uma grande oportunidade para você, mas é necessário agilidade.

Gráfico: Rentabilidade da bolsa de valores sobe 25,72% após mínima na crise do coronavírus.
Gráfico: Rentabilidade da bolsa de valores sobe 25,72% após mínima na crise do coronavírus.

Ainda estamos no meio da crise do Coronavírus, porém o mercado já apresentou um forte alta desde a sua mínima, em apenas 17 dias já apresenta uma valorização de 25,72%.

Como você viu, nos casos passados as recuperações foram rápidas e lucrativas para quem soube agir.

“Se eu estou falando de um par de meias ou do mercado de ações, não importa. Eu busco sempre qualidade”.  - Warren Buffett

Como escolher as melhores ações para investir hoje

Para você investir de forma racional precisa aplicar pelo menos 5 critérios fundamentalistas para encontrar ações com grande potencial de valorização.

1° Critério: Volume de Negociação

O primeiro critério é só selecionar empresa com um volume médio de negociação nos últimos 21 dias maior que R$ 100.000.

Coloquei esse indicador para tirar do radar as ações de empresas que negociam, em média, menos que R$ 100 mil por dia.

Isso elimina todas as ações que possuem pouquíssima liquidez.

Assim você se certifica que está adquirindo um papel que pode ser comprado e vendido com certa facilidade.

2° Critério: Lucros nos últimos 5 anos

O segundo critério é ficar com empresas que só reportaram lucros nos últimos 5 anos.

Aqui o objetivo foi tirar do radar empresas que apresentam prejuízo nos últimos 5 anos.

Lembre-se estamos buscando ações de boas empresas.

E as boas empresas não podem reportar prejuízos.

Afinal, não podemos correr riscos desnecessários.

3° Critério: Distribuição de dividendos

A empresa deve ter feito distribuição de dividendos em todos os últimos 5 anos.

Eliminei as empresas que não apresentaram distribuição de dividendos nos últimos 5 anos.

Empresas que apresentam consistência no pagamento dos dividendos possuem mais probabilidade de continuarem assim no futuro.

4° Critério: Nível de Governança

O quarto critério exigido é que a empresa tenha algum nível de Governança Corporativa.

Aqui o objetivo é tirar do radar as empresas que não possuem algum nível de Governança Corporativa.

Caso você não saiba, empresas que apresentam algum nível de Governança Corporativa são mais bem vistas pelo mercado.

E isso tende refletir no desempenho de suas ações.

5° Critério: GI Score > 70

O quinto, e talvez mais importante critério, é GI Score de no mínimo 70 pontos.

O GI Score é o score geral que a plataforma do GuiaInvest calcula para cada ação.

O score leva em conta aspectos gerais da empresa, desde indicadores financeiros específicos até indicadores de mercado, como:

  • comportamento do preço da ação;
  • volume negociado;
  • governança corporativa;
  • histórico de lucros;
  • margens;
  • endividamento.

O indicador varia de 0 a 100 pontos.

Para ser bem criterioso nesta seleção, deixei apenas as ações com GI Score mínimo de 70 pontos.

Resultado da Seleção das Ações

Após aplicar esses filtros, que com a ferramenta GuiaInvest PRO levei menos de 5 minutos cheguei a uma lista de mais ou menos 40 ações excelentes com alto potencial de valorização.

Ou seja, ações de empresas elegíveis para qualquer pessoa investir sem medo.

E de todas estas, você pode montar uma carteira especial com ações de setores variados.

O Score mais alto de cada setor.

Você pode assinar a ferramenta com preço promocional e ainda receber gratuitamente o PDF das 13 Ações do Corona Opportunity, que são empresas de setores variados, com o Score mais alto de cada setor.

Ah, lembrando que a assinatura tem 7 dias para teste gratuito.

O mercado muda rápido, por isso não divulguei as ações que o estudo apontou neste momento.

Na próxima semana podem aparecer novas oportunidades ainda mais atraentes.

O sistema detecta essas oportunidades no exato momento em que elas aparecem, já que o banco de dados do GuiaInvest é atualizado diariamente após o fechamento de cada pregão. 

Não posso livrar você do sobe e desce da bolsa, muito menos da influência do comportamento maníaco-depressivo de outros investidores.

E muito menos das quedas oriundas de epidemias globais. 

O mercado de ações envolve riscos.

É da natureza desse tipo de investimento.

E rentabilidade passada não é garantia de retorno futuro.

Mas o que posso garantir é que através do sistema de inteligência do GuiaInvest PRO você não vai perder dinheiro fazendo besteira.