Como Descobrir se uma Corretora de Valores é Confiável?
|

Como Descobrir se uma Corretora de Valores é Confiável?

Veja como saber se a corretora é confiável e os órgãos responsáveis pela regulamentação e fiscalização.

Por
Atualizado em 06/07/2020

A corretora é confiável se atender a uma série de requisitos do Banco Central, da B3 e da CVM, a entidade reguladora desse mercado.

Encontrar uma corretora de valores confiável é uma das maiores preocupações de quem está começando a investir.

É muito importante alocar seu dinheiro em instituições sólidas e que estejam autorizadas pelos órgãos reguladores do mercado.

Abrir uma conta em uma corretora de valores é o primeiro passo para investir.

São elas as responsáveis por intermediar a negociação de ativos entre o investidor e a Bolsa de Valores.

Então, como saber se uma corretora é confiável?

Escolher as melhores corretoras é uma tarefa que exige calma e pesquisa.

Mais do que avaliar os produtos oferecidos e as taxas, o mais importante é se sentir seguro.

Veja como descobrir se a corretora é confiável.

Regulamentação das corretoras

Uma corretora de valores confiável e segura deve atender uma série de requisitos.

Para funcionar, a corretora depende de registro prévio da CVM, entidade pela qual é regulamentada e fiscalizada através da Lei 6.385/76 e pela instrução 505 da própria CVM.

Portanto, a primeira coisa para descobrir se uma corretora é confiável, é verificar se a instituição financeira está registrada na Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

O registro na CVM é o primeiro passo, mas somente isso não basta para saber se a corretora é confiável.

Então, deve-se consultar outras entidades responsáveis pela organização e fiscalização, como a própria B3.

No site da Bolsa de Valores brasileira você encontra a lista das corretoras em operação no Brasil.

Lá é possível filtrá-las de acordo com seus produtos, serviços, selos de qualificação, entre outros.

No Brasil, a criação de uma corretora de valores depende de autorização prévia do Banco Central do Brasil (Bacen).

Portanto, verifique no site do Banco Central se a corretora se encontra na relação de instituições em funcionamento no país.

Há ainda alguns selos de certificação da CETIP Certifica, que são um ponto positivo em relação à confiabilidade das corretoras.

Principais caminhos para verificar se uma corretora é confiável:

As corretoras de valores, além de regulamentadas, também são  fiscalizadas pela CVM.

Para garantir que todos os processos internos estejam em conformidade com o exigido pelos órgãos reguladores, elas possuem um Departamento de Compliance.

O investidor poderá buscar auxílio junto ao Departamento de Compliance da instituição.

Seja em caso de dúvidas ou verificação de condutas arriscadas e demais atividades que não estejam em conformidade com as normas do mercado financeiro.

Cadastro na CVM

Todas as Corretoras de Valores confiáveis devem estar cadastradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A CVM é um órgão regulador de investimentos responsável por regular e fiscalizar  o mercado de valores mobiliários no Brasil.

Com o intuito de proteger os interesses dos investidores e garantir a transparência das transações, uma das funções da CVM é fiscalizar bancos de investimentos, corretoras de valores e agentes financeiros.

Para descobrir se a empresa está  autorizada e cadastrada na CVM basta uma pesquisa rápida na Central de Sistemas, no site da comissão.

Registro de participantes CVM
Registro de participantes CVM

A CVM oferece ainda uma ferramenta para verificar a idoneidade das corretoras.

Através do menu “Consulta a Processos Sancionadores”,  é possível consultar se determinado participante já cometeu alguma infração no mercado de valores mobiliários e sua resolução.

Cadastro no Banco Central

Compete ao Banco Central, entre outras funções, a habilitação e supervisão das instituições financeiras que atuam no país.

Para saber se a corretora está ou não habilitada e regulamentada pelo Banco Central, acesse o site do BC e pesquise o nome da instituição na Relação de Instituições em Funcionamento no País.

Certificações na B3

No site da B3 você encontra uma lista com todas as corretoras em operação no Brasil.

Atualmente, são 92 corretoras que podem auxiliar os investidores na realização de negócios.

É possível filtrá-las de acordo com seus produtos, serviços, selos de qualificação PQO, entre outros.

busca de corretoras site b3
Busca de corretoras site B3

A própria B3 criou um mecanismo para certificar a qualidade dos serviços prestados pelas corretoras e bancos que atuam nos mercados de valores.

É o  Programa de Qualificação Operacional ou PQO.

Esse sistema de selos da B3 é outra forma de verificar a segurança da corretora escolhida.

O programa atesta a qualidade da corretora em diferentes requisitos e indicadores operacionais.

Dentre os certificados estão: Agro Broker, Carrying Broker, Execution Broker e Retail Broker.

Para o investidor pessoa física, o selo mais importante é o Retail Broker.

O selo Retail Broker avalia as corretoras dentro dos seguintes indicadores:

  • Oferta de serviços de assessoria e plataforma eletrônica de negociação de produtos financeiros;
  • Diversificação de produtos, conteúdo educacional e de alternativas de investimento;
  • Oferta de ferramentas de negociação de tecnologia móvel e plataformas eletrônicas voltadas a investidores;
  • Disponibilização de diferentes canais de relacionamento e atendimento de clientes.

Selo Cetip Certifica

O selo Cetip Certifica é atesta a qualidade das corretoras sobre suas aplicações de renda fixa.

O selo fornecido pela empresa é a garantia de que a corretora registra e identifica os investimentos de renda fixa sob sua tutela com o CPF ou CNPJ do investidor.

Os principais produtos certificados pelo CETIP CERTIFICA são:

Certificados para profissionais do Mercado Financeiro

Não são somente as instituições financeiras que precisam estar registradas pelas entidades fiscalizadoras.

Os profissionais que atuam no mercado financeiro também devem obter certificações financeiras para atuar.

No Brasil, existem diversos certificados do mercado financeiro que variam conforme o cargo do profissional.

Os principais são o CNPI (Certificado Nacional do Profissional de Investimento), o CPA-10 (Certificação Profissional Anbima – 10), e o CPA-20 (Certificação Profissional Anbima – 20).

CNPI – Certificado Nacional do Profissional de Investimento

O CNPI é um selo da APIMECAssociação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais destinado a especialistas em análises e emissão de relatórios.

É considerado obrigatório pela CVM para função de Analista de Valores Mobiliários.

A certificação se divide em três tipos: CNPI (para analistas fundamentalistas), CNPI-T (para analistas técnicos) e CNPI-P destinada aos analistas técnicos e fundamentalistas. 

CPA – Certificado Profissional ANBIMA

O CPA-10 é voltado para profissionais que vendem produtos de investimento ao investidor comum, tanto pessoa física quanto jurídica com renda aplicável menor que 300 mil.

Já o CPA- 20 é direcionado a profissionais em contato com investidores qualificados – incluindo os gerentes que atendam os segmentos private, corporate e investidores institucionais.

O agente autônomo de investimento também deve ser certificado, por responsabilidade da Ancor (Associação Nacional das Corretoras de Valores, Câmbio e Mercadorias). 

O que acontece se a corretora falir?  

Se a corretora falir, seus ativos não desaparecem. Você continua com eles, desde que estejam devidamente registrados em seu CPF.

Você viu até aqui como descobrir se uma corretora é confiável.

Verificar os registros da instituição é importante para que confie seus investimentos a uma corretora séria.

Porém, o fato de estarem listadas na CVM, no BC e na B3 não necessariamente significa que estejam isentas de virem à falência.

Afinal, as corretoras são empresas e podem ter problemas para continuar funcionando.

Por isso existem algumas medidas de proteção ao investidor que são tomadas para evitar problemas caso a corretora feche

Se o seu medo é perder todo o seu dinheiro aplicado se a corretora falir, pode ficar tranquilo.

A corretora é só uma intermediária dos seus investimentos.

O dinheiro dos seus investimentos não está na corretora, mas sim, em uma custodiante.

Ou seja, quando você compra os ativos através de uma corretora confiável, eles ficam registrados em entidades chamadas de Centrais de Custódia.

Nessas centrais, os títulos são registrados no nome e CPF do investidor.

As principais centrais de custódia no Brasil são:

  • Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic);
  • Câmara de Custódia e Liquidação (Cetip);
  • Câmara Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC).

Cada uma delas é responsável por guardar um tipo de ativo.

Então, mesmo se a sua corretora quebrar, seus ativos continuam.

Em caso de falência, você deve pedir transferência de custódia para outra corretora.

Com a conta aberta em outra corretora e a transferência concluída, poderá movimentar seus ativos pela home broker da nova corretora.

Agora, se além dos investimentos você também tinha um dinheiro parado na conta da corretora, o cenário muda um pouco.

Toda corretora é amparada pelo Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP), uma parte da bolsa responsável por garantir ao investidor o ressarcimento de até R$ 120 mil.

Porém, esse mecanismo tem regras bem específicas.

Uma das exigências do ressarcimento em caso de falência da corretora é que o saldo parado seja proveniente de uma operação feita na bolsa.

Por exemplo, da venda de uma ação. Nesse caso, seu ressarcimento está garantido.

Se o dinheiro existente só foi transferiu da sua conta do banco para a corretora e ainda não tinha sido aplicado, o mecanismo não garante o retorno.

Portanto, escolha uma instituição sólida e confiável e evite deixar muito dinheiro parado na conta da corretora. 

Conclusão

As Corretoras e as Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários são instituições financeiras responsáveis por intermediar as operações nos mercados regulamentados de valores mobiliários.

Dentre as operações que as corretoras e distribuidoras podem fornecer estão:

  • Execução de ordens de compra e de venda de valores mobiliários para seus clientes;
  • Disponibilização de informações de análise de investimentos;
  • Administração de carteiras de valores mobiliários;
  • Prestação de serviços de custódia.

Como confiará seus dinheiro e investimentos a esta instituição, é fundamental que tenha confiança na corretora escolhida.

Colher informações de quem já utiliza o serviço pode te ajudar a decidir por uma corretora confiável.

Mas sua escolha também deve se basear nos produtos oferecidos e custos em relação aos benefícios que elas oferecem.

Se ainda estiver em dúvida, veja nosso guia completo de como investir nas melhores corretoras do Brasil.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais
[PDF]
[PDF]