O que é Commercial Paper?

O Commercial Paper, emitido por sociedades anônimas abertas ou fechadas, diz respeito a um título de dívida de curto prazo, também chamado, no mercado financeiro global, de nota promissória sem garantia.

Diz respeito a um valor imobiliário na feição de nota promissória, contendo características próprias e sem garantia.

Geralmente utiliza-se este financiamento para alguns tipos de despesas, como é o exemplo dos gastos com fornecedores e folha de pagamentos. Portanto, visa suprir uma necessidade imediata de capital de giro.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

O financiamento é de curta duração, sendo seu prazo máximo para empresas de capital fechado de 180 dias, e 360 dias para empresas de capital aberto.

Devemos ressaltar que o Commercial paper é um valor mobiliário, tal fato faz com que, para sua emissão, a companhia tenha que ser registrada na CVM.

Conforme as condições e garantias estabelecidas nestas notas promissórias, os recursos serão pagos aos investidores, podendo a remuneração ser pré-fixada ou pós-fixada.

Mesmo não sendo uma das opções mais comuns no que tange os investimentos, o Commercial paper ainda é regularmente encontrado no mercado financeiro global.

Portanto, é importante o conhecimento sobre seu funcionamento geral, mesmo para quem não quer embarcar nesse investimento, que é habitualmente oferecido no mercado secundário.

Como funciona Commercial Paper?

O Commercial paper oferece ao detentor do título de dívida o direito de crédito perante a empresa. Ou seja, o investidor está, basicamente, emprestando dinheiro para empresa ao comprar uma nota promissória.

Esse instrumento pode ser emitido por qualquer empresa sociedade, de capital aberto ou fechado, não financeira, assim como ocorre com as debêntures.

No caso das debêntures, que são títulos que detêm praticamente as mesmas características, os prazos são superiores a 360 dias.

No caso do commercial paper, como já assinalado, o prazo é de até 180 dias quando emitida pelas S.A. de capital fechado e até 360 dias quando emitida pelas S.A. de capital aberto.

Esse instrumento é atraente, do ponto de vista das empresas, para o financiamento do capital de giro.

É devido à facilidade e rapidez da obtenção de recursos que os títulos desses títulos ganham destaque no mercado financeiro global.

Além disso, trazem uma ótima oportunidade de rápidos lucros para os investidores e simples forma de financiamento para empresas.

Vantagens e Desvantagens

As vantagens do commercial paper são:

  • Aumento da competitividade no mercado, o que torna mais eficiente;
  • Possibilidade de acessar recursos com custos mais baixos no comparado aos empréstimos bancários;
  • Empresas com maiores flexibilidades operacionais, tornando menos dependente do sistema bancário;
  • Relação mais próxima entre as empresas e o mercado;
  • Título detém um percentual de juros mais alto do que outros instrumentos.

As desvantagens do commercial paper são:

  • Falta de proteção por parte do investidor, ocasionada pela frágil regulamentação;
  • Órgãos reguladores possuem dificuldades em controlar a circulação deste título;
  • Mesmo sendo acessível a qualquer investidor, em regra, o instrumento é destinado a investidores pessoa física do segmento private banking e investidores qualificados como fundos de investimentos.

Compra de Commercial Paper

Esse título pode ser adquirido através de fundos de investimento ou no mercado secundário e, apenas é comprado pelos investidores, pois há a possibilidade de receber o dinheiro de volta com algum rendimento.

O Commercial paper não teria acesso caso não houvesse a possibilidade do investidor receber de volta o dinheiro com rendimento sobre ele, ou seja, a compra é simplesmente devido ao lucro.

Portanto, o investidor irá comparar o título ofertado pela empresa com uma taxa de desconto previamente acordada, para readquiri-la, no futuro, com valor original.

Ou seja, ao readquiri-la, o investidor receberá tanto o valor investido quanto o seu rendimento.

Devemos ressaltar que, ao comprar um Commercial paper, não há garantia real de retorno, portanto, pode não ser um bom negócio adquirir um título de empresas com reputação duvidosa.