A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições operação de cessão onerosa de rede entre Telefônica Brasil (VIVT3) e Claro, conforme despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 18.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Parecer do órgão explica que a operação consiste em um contrato de RAN sharing com cessão unilateral, envolvendo 81 Estações Rádio Base (ERB) ou sites, no qual a Telefônica compartilhará sua rede de acesso e espectro de radiofrequência à Claro por meio de contraprestação financeira.

As empresas argumentaram ao Cade que esse compartilhamento unilateral não configura qualquer divisão de riscos nem de resultados, "tratando-se apenas de fornecimento, pela Telefônica, do acesso à rede por meio de contrato que prevê remuneração".

Com isso, segundo as companhias, cada empresa continuará responsável, individualmente, por seus custos, estrutura organizacional e tomada de decisão.

Elas reforçam que "a operação não representa qualquer transferência de ativos entre as requerentes, não alterando a independência da Claro e da Telefônica na prestação de serviços de SMP e não impactando as suas estratégias comerciais".

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Telefônica no Primeiro Trimestre de 2021

O resultado da Telefônica (VIVT3) no primeiro trimestre de 2021 (1t21), divulgado no dia 11 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 942 milhões no 1T21, uma baixa de -18,3%% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Telefônica atingiu R$ 4,4 bilhões no 1T21, apresentando retração de -1,1% na comparação com o 1T20.

A Margem Ebitda da Telefônica totalizou 41,1% no 1T21, apresentando retração de 0,5 ponto percentual na comparação com o 1T20.

A Margem Líquida da Telefônica atingiu 8,7% no 1T21, apresentando retração de -1,9 ponto percentual na comparação com o 1T20.

As ações da Telefônica (VIVT3) acumulam alta de 0,11% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 0,97% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.