O que é CDCA?

O CDCA ou Certificado de Crédito do Agronegócio é um título de renda fixa, gerado por instituições financeiras, como as cooperativas de crédito referentes ao agronegócio.

Através do CDCA, empresas vinculadas ao agronegócio conseguem recursos para financiar seus investimentos.

Do outro lado existem os investidores que compram o CDCA para conseguir boas remunerações atreladas ao papel de renda fixa que é considerado seguro.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

CDCA na Prática

Quem faz a emissão do CDCA é uma instituição financeira, portanto a mesma deve estar buscando formas de financiar algum projeto do agronegócio através do CDCA.

Ao realizar a emissão do CDCA a instituição faz a oferta aos clientes e demais investidores. Concluindo a oferta, os valores são repassados ao projeto ou linha de crédito.

Os investidores receberão rendimentos que podem ser atrelados ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário) ou a juros prefixados. Existe até a possibilidade de contar com rendimentos atrelados ao dólar.

Além da remuneração, o CDCA possui garantias que envolvem direitos creditórios. Tais direitos devem estar sob custódia da B3. Inclusive o CDCA fica sob custódia da bolsa de valores também.

Vale destacar que o CDCA não possui muita procura e não existem muitos deles por aí. Aliás, comparado a outros investimentos ligados ao agronegócio, como a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), o CDCA existe em pouca quantidade.

Os papéis quando emitidos possuem vencimentos que podem chegar ao curto e médio prazo. Sendo uma alternativa interessante de investimento.

Vantagens do CDCA

A tributação do CDCA é uma das principais vantagens. Segundo a Lei 11.076 de 2004, o CDCA é isento de impostos.

Ou seja, se o seu título está rendendo R$ 400,00, você receberá os R$ 400,00 de remuneração sem qualquer tipo de desconto (excluindo eventuais custos que a instituição financeira cobrar, como custódia, por exemplo).

Outra vantagem, mas essa não é referente ao investidor, é do emissor. O emissor do CDCA pode abater o valor do título da base de cálculo do imposto de renda.

Por ser um papel com vencimento mais curto e isento de impostos, os CDCA de vencimento abaixo dos dois anos, podem render muito mais do que qualquer tipo de CDB (Certificado de Depósito Bancário).

Isso acontece devido ao efeito nocivo que os impostos retidos têm sobre os ganhos. Quando não há incidência dos impostos, os ganhos, por menores que sejam, acabam sendo potencializados pela isenção.

Por exemplo: um CDB de R$ 1.000,00 que paga 10% ao ano, em um ano vai gerar um ganho líquido de R$ 82,50, devido aos 17,5% de IR.

Já o mesmo valor investido em um CDCA que paga 9% ao ano, vai render R$ 90,00. Uma rentabilidade menor, mas que devido à isenção, vai proporcionar ganhos líquidos maiores.

Desvantagens do CDCA

Por ser um produto financeiro pouco conhecido, o mesmo não tem procura, logo o CDCA não existe em quantidade similar a outros pares, como o CDB.

Não havendo tantas emissões a desvantagem está em não conseguir contar com a alternativa de investimento.

A pouca procura pelo CDCA também influencia na baixa liquidez do ativo. Assim, aqueles que possuem, dificilmente conseguem vender o papel e liquidar a posição antes do vencimento.

Outro ponto negativo com relação ao CDCA é a sua garantia. A LCA, por exemplo, possui garantia vinculada ao FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Desse modo, valores de até R$ 250 mil reais estão garantidos pelo fundo.

Já a CDCA, como já mencionado, conta com garantias alinhadas ao direito creditório vinculado à empresa do agronegócio.

Em caso de quebra por parte da instituição financeira, buscar ressarcimento através do direito creditório pode ser mais demorado do que através do FGC.