O que é Capital Estrangeiro? 

Capital estrangeiro é o termo utilizado para designar a entrada de recursos financeiros, bens e serviços internacionais destinados à atividade econômica em território nacional. 

No mercado financeiro, por exemplo, esse capital surge na própria atividade na bolsa de valores, quando investidores estrangeiros ou brasileiros domiciliados no exterior adquirem ações de empresas nacionais.  

Além disso, o capital estrangeiro percorre outros caminhos, como o investimento estrangeiro direto (IED). 

Segundo a APEX Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), o IED é a movimentação de capitais internacionais para propósitos específicos de investimento. 

Sob essa forma, o capital estrangeiro é aplicado em fusões e aquisições, construção de novas instalações, reinvestimento de lucros auferidos no exterior e empréstimos entre empresas do mesmo grupo econômico. 

Cabe ressaltar que o capital estrangeiro não necessariamente vem de investidores de outras nacionalidades. 

Qualquer pessoa física ou jurídica com residência no exterior que investe recursos gerados além das fronteiras com foco em uma atividade econômica  no Brasil gera capital estrangeiro. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Capital Estrangeiro no Mercado Brasileiro

Como país emergente, o Brasil significa oportunidades nos mais variados setores para investidores do mundo todo. 

Na atualidade, o capital estrangeiro tem representação significativa no mercado nacional. 

Porém, o país nem sempre esteve aberto para que os recursos internacionais entrassem no mercado financeiro e de capitais. 

Até meados da década de 1980 o país apresentava resistência contra esses aportes. 

Mas, o momento econômico, a instabilidade de um país em transição política e a escassez de recursos que se seguiu a ela impulsionaram uma abertura gradual a partir de 1987.

Desde então, novas oportunidades de que o capital estrangeiro chegue ao mercado brasileiro foram criadas, dadas as vantagens que essa modalidade de investimento apresenta. 

Entre elas, é possível citar:  

  • Geração de Empregos;
  • Transferência de competências e desenvolvimento;
  • Transferência de tecnologia;
  • Acesso a redes de marketing internacionais;
  • Efeito de transbordamento na economia doméstica;
  • Desenvolvimento da infraestrutura.

O capital estrangeiro permite que as empresas expandam suas atividades, atua como nivelador das economias em mercado doméstico, promove maior produtividade, rentabilidade e geração de riqueza. 

Esses aportes se tornam ainda mais valiosos quando o retorno é dedicado ao reinvestimento local. O ciclo recomeça, são geradas novas oportunidades e a economia do país ganha impulso. 

Porém, não há forma de garantir que os lucros registrados pelo investimento de capital estrangeiro sejam reinvestidos no Brasil. 

De fato, o ponto negativo da entrada de capital estrangeiro no país é a possibilidade de retirada desses recursos, o que é motivo de preocupação para especialistas e para o governo.  

Alguns especialistas defendem o estabelecimento de uma exigência de reaplicação de lucros, alegando que a remessa desse dinheiro ao exterior inviabiliza o desenvolvimento da economia doméstica.

Esses especialistas afirmam ainda que tais recursos podem criar concorrência desleal com as empresas brasileiras. 

O argumento em contra é básico: definir o que o investidor pode fazer com seu dinheiro é desencorajador.

Um dos efeitos possíveis de uma regra como essa seria o afastamento dos investidores estrangeiros. 

Captação de Capital Estrangeiro

A captação de capital estrangeiro por empresas brasileiras acontece de diversas formas. As mais comuns são através da bolsa de valores e dos programas de investimento

Os programas de  investimento propiciam o contato entre novos empreendedores e investidores que se interessam por seus projetos. 

Em linhas gerais, esses programas procuram empresas com um perfil inovador e escalável, e alguma tecnologia agregada. 

Além disso, o mercado busca empresas com faturamento, protótipo funcional desenvolvido e de difícil réplica. 
Como incentivo ao investimento direto de capital estrangeiro no Brasil, o governo brasileiro conta com a APEX Brasil, agência que seleciona empresas para apresentá-las a investidores nacionais e internacionais.