A agenda econômica dessa semana trará diversos indicadores econômicos relevantes. Na terça-feira (26), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará os dados do IPCA-15 referentes a setembro.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

No exterior, os mercados estarão atentos à divulgação da inflação nos Estados Unidos.

Todo domingo, o TheCap analisa o Calendário Econômico brasileiro e mundial, junto com a Agenda do Mercado Financeiro, destacando os principais eventos que afetarão o mercado financeiro da semana.

Esses comentários são sobre os destaques do mercado financeiro da semana de 25/09 a 29/09.

Viver de Renda do Mercado Financeiro? Veja a Melhor Ação para Receber Dividendos.

Sondagem do Consumidor

Na segunda-feira (25), o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre) está agendando a divulgação do Índice de Confiança do Consumidor (ICC) referente a setembro.

Em agosto, o ICC registrou um avanço de 2,0 pontos, alcançando 96,8 pontos, o patamar mais elevado desde fevereiro de 2014, quando estava em 97,0 pontos.

Considerando a média móvel trimestral, o índice teve um acréscimo de 2,9 pontos, marcando a quinta alta consecutiva e atingindo 94,6 pontos.

Ata do Copom

Na terça-feira (26), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) disponibilizará a ata da reunião realizada em setembro.

Na ata da reunião de agosto do Copom, os dirigentes do Banco Central (BC) mencionaram que a inflação ao consumidor continua seguindo uma trajetória mais favorável, especialmente nos componentes relacionados a bens industriais e alimentos.

Os elementos mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária, que possuem uma maior inércia inflacionária, tiveram uma queda, mas ainda se encontram acima da meta estabelecida para a inflação.

Viver de Renda do Mercado Financeiro? Veja a Melhor Ação para Receber Dividendos.

IPCA-15

Na terça-feira (26), os investidores estarão de olho na divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de setembro, considerado uma prévia da inflação oficial do país, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em agosto, o IPCA-15 registrou um aumento de 0,28%, representando uma elevação de 0,35 ponto percentual em relação à taxa de julho, que havia sido de -0,07%.

No acumulado do ano, o IPCA-15 apresenta uma elevação de 3,38%, e nos últimos 12 meses, um aumento de 4,24%, superando os 3,19% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

IGP-M

Na próxima quinta-feira (28), o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre) está programado para apresentar os dados do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) referentes a setembro.

Em agosto, o IGP-M registrou uma queda de -0,14%, seguindo uma redução de -0,72% no mês anterior.

André Braz, o coordenador da pesquisa, enfatiza que na análise do IGP-M para este mês, os produtos agropecuários e industriais contribuíram para a redução menos acentuada do índice ao produtor. No setor agrícola, a maior influência veio da soja, e no setor industrial, do óleo diesel.

Viver de Renda do Mercado Financeiro? Veja a Melhor Ação para Receber Dividendos.

PIB dos EUA

Na quinta-feira (28), está prevista a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos referente ao 2T23 pelo Escritório de Análise Econômica do país.

No 1T23, o PIB dos Estados Unidos apresentou um crescimento de 2,0% em relação ao trimestre anterior, em termos anualizados.

Na segunda revisão do PIB para o 1T23, foi registrado um crescimento de 1,3%, e os analistas previam um aumento de 1,4% na terceira revisão.

Inflação dos EUA

Na sexta-feira (29), os investidores aguardam com expectativa a divulgação do índice de inflação PCE dos Estados Unidos referente a agosto pelo Escritório de Análise Econômica do país.

A expectativa é que o núcleo do índice de preços PCE, considerado o indicador de inflação preferido pelo Federal Reserve (Fed), tenha registrado um aumento de 0,2% em agosto em relação ao mês anterior, resultando em uma redução na taxa anual para 3,8%, comparado aos 4,2% de julho.

Para o Fed, que está atento a um aperto excessivo, essa leitura provavelmente seria suficientemente baixa para levar a uma reflexão sobre o aumento das taxas em novembro ou dezembro.

Viver de Renda do Mercado Financeiro? Veja a Melhor Ação para Receber Dividendos.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.