A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou que o tribunal do órgão antitruste avalie o ato de concentração entre a Pague Menos (PGMN3), a Ipiranga Produtos de Petróleo e a Imifarma e que a aprovação da operação seja condicionada à celebração de Acordo em Controle de Concentrações (ACC).

O despacho com a decisão da superintendência está publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira.

De acordo com informações disponibilizadas pelo Cade, a operação envolve a aquisição, pela Empreendimentos Pague Menos S.A de ações representativas de até a integralidade do capital social da Imifarma Produtos Farmacêuticos e Cosméticos S.A (Extrafarma), atualmente detidas pela Ipiranga Produtos de Petróleo S.A. A transação tem acesso restrito.

De acordo com o Cade, em novembro de 2021, a Drogaria São Paulo protocolou pedido de intervenção como terceiro interessado.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

"Em suas considerações, defende que a Operação envolve a aquisição do 6º player pelo 3º player em escala nacional, ressaltando que a Operação 'resultará em um reforço das atividades da Pague Menos nas regiões Norte e Nordeste do País', regiões estas em que tal Parte 'já possui uma posição consolidada, enfrentando concorrência majoritariamente de drogarias de pequeno porte, além da própria Extrafarma, objeto da aquisição'", diz o parecer do Cade.

Para que fossem afastadas preocupações concorrenciais identificadas ao longo do processo, a Superintendência do Cade analisou a possibilidade de adoção de "eventuais remédios" para serem aplicados.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

"Após diversas rodadas de negociação com a SG, as Requerentes apresentaram uma proposta de Acordo em Controle de Concentrações contemplando remédio estrutural destinado a mitigar os efeitos da operação", diz o parecer da Superintendência.

A operação deverá ser então analisada e submetida ao tribunal do Cade.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Pague Menos no Primeiro Trimestre de 2022

resultado da Pague Menos (PGMN3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 04 de maio, apresentou um lucro líquido ajustado de R$ 24,4 milhões no 1T22, uma queda de -44,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Ebitda ajustado da Pague Menos atingiu R$ 162,4 milhões no 1T22, apresentando crescimento de 1,9% na comparação com o 1T21.

margem Ebitda ajustada da Pague Menos totalizou 7,7% no 1T22, apresentando retração de -0,6 ponto percentual na comparação com o 1T21.

margem líquida da Pague Menos atingiu 1,2% no 1T22, apresentando retração de -1,3 ponto percentual na comparação com o 1T21.

As ações da Pague Menos (PGMN3) acumulam queda de 8,75% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 36,83% nos últimos 30 dias

Fonte: Estadão Conteúdo.