O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou há pouco a compra da Extrafarma, da Ultrapar (UGPA3), para o grupo farmacêutico Pague Menos (PGMN3).

A operação foi aprovada com restrições e transforma o grupo no segundo maior do país em número de lojas - cerca de 1,5 mil - atrás da Raia Drogasil.

Para obter o aval do órgão, a compradora terá que vender, em 180 dias, oito unidades da Extrafarma no Nordeste, uma em cada um dos seguintes municípios: Russas, Canindé, Limoeiro do Norte, Aracati e Horizonte (CE), Chapadinha e Codó (MA) e Caicó (RN).

Segundo o relator do caso, conselheiro Gustavo Augusto, a medida é necessária por conta da concentração excessiva gerada pelo negócio nessas localidades.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

A rede Bruno Farma (Drogaria Ultrapopular Itapipoca) manifestou interesse em adquirir as farmácias.

Em maio do ano passado, a Ultrapar Participações anunciou a venda da totalidade das ações da Extrafarma (Imifarma Produtos Farmacêuticos e Cosméticos S.A.) para o grupo farmacêutico Pague Menos.

A transação foi antecipada pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

O valor total da venda é de R$ 700 milhões, sujeito a ajustes devido a variações de capital de giro e à posição da dívida líquida da Extrafarma na data de fechamento da transação.

Resultado da Pague Menos no Primeiro Trimestre de 2022

resultado da Pague Menos (PGMN3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 04 de maio, apresentou um lucro líquido ajustado de R$ 24,4 milhões no 1T22, uma queda de -44,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Ebitda ajustado da Pague Menos atingiu R$ 162,4 milhões no 1T22, apresentando crescimento de 1,9% na comparação com o 1T21.

margem Ebitda ajustada da Pague Menos totalizou 7,7% no 1T22, apresentando retração de -0,6 ponto percentual na comparação com o 1T21.

margem líquida da Pague Menos atingiu 1,2% no 1T22, apresentando retração de -1,3 ponto percentual na comparação com o 1T21.

As ações da Pague Menos (PGMN3) acumulam queda de 2,24% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 23,93% nos últimos 30 dias.

Fonte: Estadão Conteúdo.