O que é Bolsa de Mercadorias

A Bolsa de Mercadorias é um local para negociar commodities através de contratos de derivativos agropecuários, minerais e de recursos naturais.

No Brasil, a principal Bolsa de Mercadorias é a BM&FBovespa - Bolsa de Mercadorias & Futuros. Ela faz parte da B3, junto com a Bolsa de Valores. Mesmo sendo uma única bolsa, elas atuam em diferentes segmentos. 

Por tratar de mercadorias e futuros, a BM&FBovespa também permite negociar derivativos financeiros (moedas e taxas de juros, por exemplo).  Suas atividades são fiscalizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

História da Bolsa de Mercadorias  

A Bolsa de Mercadorias & Futuros é o resultado da fusão de duas bolsas: a Bolsa de Mercadorias de São Paulo e a Bolsa Mercantil & de Futuros. A fusão se deu em 1991. 

A primeira surgiu em outubro de 1917, em São Paulo, quando empresários paulistas ligados à exportação, ao comércio e à indústria deram início à bolsa a fim de negociar contratos agropecuários (café e algodão, principalmente).

Já a segunda, surgiu em Julho de 1985 e conquistou posições de destaque nas principais bolsas do mundo.

Em 2008, se deu a fusão entre a BM&F e a Bovespa holding, dando origem à BM&FBovespa. Após novas fusões, hoje ela faz parte da B3, que negocia ações, futuros e mercadorias e títulos de renda fixa

Bolsa de Mercadorias e Bolsa de Valores 

Por mais que no Brasil a bolsa de valores e mercadorias estejam juntas na B3, elas possuem funções diferentes e atuam com diferentes tipos de investimento.

A Bolsa de Valores é um local para negociar ações de empresas de capital aberto. 

Investidores compram ações diretamente da empresa (quando é feito um IPO) ou podem comprar de outros investidores no mercado secundário, ganhando a partir da variação do preço das ações. 

Na bolsa de mercadorias e futuros, não se negocia ações. Investidores podem comprar e vender commodities através de contratos de derivativos agrícolas .

Como funciona a Bolsa de Mercadorias

Na bolsa de mercadorias e Futuros, são negociados contratos. Isto é, ninguém chega à bolsa de mercadorias com um caminhão de sacas de café para vender, mas produtos como o café serão negociados através destes contratos.

No passado, as commodities agrícolas até foram comercializadas fisicamente, mas hoje, para investir no segmento, o investidor deve comprar um contrato futuro, pela internet, através de uma corretora. 

Essas negociações são realizadas a partir de um lote mínimo.

Para o caso do milho, por exemplo, o contrato mínimo é de  27 toneladas, com características físicas determinadas pela bolsa. Pode-se comprar esses contratos com expectativas em relação às variações de preço. 

Por outro lado, também é comum que investidores façam outros contratos para essas negociações, a fim de se proteger de possíveis variações.

As principais commodites negociadas no Brasil são: 

  • Café
  • Petróleo
  • Suco de laranja
  • Minério de ferro
  • Alumínio
  • Soja

Como investir na Bolsa de Mercadorias 

O primeiro passo antes de investir na Bolsa é entender os riscos e vantagens desse investimento. É fundamental que o investidor verifique se essa modalidade está alinhada com seus objetivos e com seu planejamento financeiro.  

Avaliar a liquidez do ativo (bem como fazer uma análise do mercado) antes de investir em um contrato futuro é um passo importante para que o investidor não corra o risco de não encontrar demanda para ele.

Esse é um investimento que envolve altos riscos, porque envolve oscilação dos valores de compra e venda. Apesar das chances de bons resultados, é importante estar ciente dos riscos antes de fazer uma compra.

Depois disso, o investidor deve buscar uma corretora de valores. É possível abrir uma conta em corretora através da internet e existem muitas opções. A corretora será a responsável por conectar os investidores com a bolsa de mercadorias.