O que é Beta Desalavancado

Beta desalavancado é uma das diversas formas de se avaliar o risco de uma empresa no mercado de capitais a qual está inserida.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Esse recurso também é chamado de beta do ativo e é usado para mensurar o risco apresentado por uma empresa sem levar em consideração as dívidas de seu balanço financeiro.

Isso significa no fim das contas que desalavancar o beta acaba desconsiderando o impacto financeiro que é causado pela alavancagem.

Sendo assim, é possível avaliar qual a contribuição de patrimônio de uma instituição para o seu perfil de risco, propriamente dito.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Cálculo do Beta Desalavancado

O beta desalavancado, no fim das contas, é o valor de uma fórmula que pode acabar parecendo assustadora a princípio, mas que deve ser sempre bem avaliada.

Sendo assim, algumas instituições como a Bloomberg acabam divulgando alguns valores de beta das empresas para a consulta, o que pode acabar sendo muito prático para o investidor.

Ou seja, para calcular o Beta Desalavancado, é utilizada a seguinte fórmula:

β desalavancado = β alavancado/1 + ((1- t * d)/cp)), onde β alavancado é o beta estimado, t é

a alíquota de imposto, d é o capital de terceiros e cp é o capital próprio da empresa.

Essa fórmula acaba nos apresentando como resultado um coeficiente que acaba isolando o componente da fórmula que é a dívida do beta.

Mas como podemos interpretar esse coeficiente da melhor forma?

Simples, se o resultado do cálculo for igual a um, então a ação no fim das contas, acaba sendo tão arriscada quanto o mercado em si.

Porém, caso o resultado acabe sendo menor do que um, o risco dessa empresa vai acabar sendo menor do que o risco do mercado em si.

Por sua vez, caso o resultado acabe sendo maior do que um, o risco avaliado pela em´presa está maior do que o risco de mercado.

A análise de risco que geralmente é feita nesse caso acaba sendo feita a partir do coeficiente do beta e do índice de referência.

Isso acaba nos levando a outra pergunta: por que considerar o risco de uma empresa baseado apenas em seu patrimônio?

Considerando o que foi dito, podemos inferir que quando usamos o coeficiente beta desalavancado para acabar medindo o risco de uma determinada instituição, acabamos ignorando o impacto de suas dívidas.

A vantagem de tudo isso acaba sendo a transparência no fim das contas, que acaba mostrando ao investidor qual é o risco relacionado à aquisição de futuras ações.

Isso ocorre, pois, ao ser retirado o componente de dívida do cálculo em si, o beta desalavancado acaba apresentando qual o risco para o investidor.

Beta Desalavancado e risco sistemático

Antes de tudo, é importante ressaltar que ao analisar o coeficiente de beta desalavancado, acaba sendo tratado um contexto muito mais amplo, volátil e rico do mercado.

Ao considerarmos o risco sistemático como algo mais global, por conta dele ser algo que acaba impactando todo certo sistema financeiro, acaba colocando as empresas em risco.

Por conta disso, é possível concluir que o beta desalavancado é um coeficiente estatístico muito usado para comparar o quão volátil uma ação acaba sendo.

Considerando o que foi dito, é possível realizar uma análise do ativo, a qual consiste do coeficiente ser maior e mais arriscado em relação ao mercado em que está inserido.

Da mesma forma, se o beta acaba se mostrando menor, então a ação acaba sendo menos arriscada em relação ao risco de mercado

.Porém, é muito importante deixar claro que mensurar o risco de uma instituição por meio do beta, no fim das contas, é compreender todo o segmento e não as instituições específicas.