O que é Bem de Giffen

Bem de Giffen é um tipo específico de bem de consumo que quando vê o seu preço aumentar reage de forma contrária ao normal, sendo ainda mais requisitado pelos consumidores.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Na prática o Bem de Giffen contradiz a lei da oferta e procura, que estipula que quando o preço de um produto cai, sua procura aumenta e vice-versa.

Justamente por essa anormalidade comportamental, muitos estudiosos defendem que o Bem de Giffen não existe de fato.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Conceito do Bem de Giffen

O conceito do Bem de Giffen foi cunhado no século XIX pelo economista britânico Robert Giffen, tendo o seu sobrenome o batizando.

De acordo com Giffen, existem alguns bens de consumo que não seguem as regras mais básicas do mercado, reagindo de forma inversa à inflação do seu preço.

Estes bens, geralmente, são considerados bens inferiores, porém diferente da maioria dos outros bens inferiores, estes não possuem substitutos de qualidade melhor.

O motivo pelo qual estes bens não possuem substitutos, é porque eles são considerados bens essenciais por todas as pessoas. As pessoas o consomem independente da sua classe econômica.

Resumindo o Bem de Giffen:

  • É um bem inferior;
  • Não possui substitutos;
  • Todas as classes econômicas o consomem;
  • Subverte a lei da oferta e procura.

Bem de Giffen e as necessidades básicas

Quando um Bem de Giffen vê o seu preço despencar, ao invés de ele ver a sua demanda aumentar consideravelmente, como a maioria dos bens de consumo, essa demanda diminui.

A explicação para isso está no fato de que, como o Bem de Giffen é um produto insubstituível, ele sempre terá demanda, porque as pessoas precisam dele, ele é essencial.

Se por um lado, as pessoas precisam desse bem, não é apenas o prazer ou a satisfação que estão atrelados ao seu consumo. 

Então, a necessidade de consumir esse item indefinidamente, pode gerar um outro sentimento às pessoas: saturação. Quando as pessoas saturam de algo elas querem mudança.

Usando essa lógica, é possível implicar que quando o preço de um Bem de Giffen cai, as pessoas sentem um alívio de não precisarem gastar todo o seu dinheiro com ele.

O que elas fazem, então, é usar o dinheiro que antes só dava para o Bem de Giffen, para além de comprar o Bem de Giffen, adquirir coisas menos essenciais, porém mais prazerosas.

Devido a isso, quem comercializa um Bem de Giffen não se beneficia com o choque de oferta positivo, o que ocasiona preços mais baixos.

No entanto, o Bem de Giffen é um produto essencial e na prática não deve ter a sua oferta alterada de forma artificial apenas para se obter mais lucro.

Exemplos de Bem de Giffen

Um Bem de Giffen é um produto comum, que pode ser adquirido e encontrado em diferentes tipos de mercado. Talvez os melhores exemplos sejam o feijão e o arroz.

O feijão e o arroz fazem parte da dieta do brasileiro comum, independente da sua posição econômica. As pessoas sempre irão consumir esse item da culinária.

No entanto, as pessoas mais abastadas não precisam comer feijão e arroz todos os dias, ou mesmo apenas comer feijão e arroz, elas tem condições de diversificarem a sua dieta.

A maioria das pessoas de baixa renda, no entanto, não possuem essa alternativa e, portanto, muitas vezes precisam seguir uma dieta baseada nestes dois itens.

E o problema mora no fato de que a maior parte da população é formada por pessoas de baixa renda, ou que no mínimo não têm condições financeiras de mudarem seu cardápio diário.

Então, quando acontece uma queda no preço destes itens básicos, as pessoas irão buscar saciar não apenas suas necessidades, mas obter prazer também consumindo outras coisas.