O Banco do Brasil (BBAS3) vai reduzir em até 0,5% as taxas para financiar carros híbridos e elétricos novos ou com até dois anos de fabricação.

A iniciativa do banco visa incentivar a compra desse tipo de veículo pelos clientes, e aumentar a carteira que o BB classifica como sendo de negócios sustentáveis.

De acordo com o BB, as taxas mínimas para o financiamento de carros híbridos e elétricos passam a ser de 1,09% ao mês.

O banco financia até 100% do valor, com prazos entre dois e 60 meses, e a possibilidade de carência de até 180 dias para o pagamento da primeira prestação.

"A iniciativa dá início a uma nova fase de negócios do Banco no mercado de financiamento de veículos, que prevê outras ações e melhorias para 2022", afirmou em nota Daniela Avelar, diretora da área de empréstimos do BB.

Em março, a carteira orgânica de financiamento de veículos do banco no segmento de pessoas físicas era de R$ 4,630 bilhões.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

A carteira sustentável do BB somava no final do primeiro trimestre mais de R$ 289 bilhões em saldo, alta de 10,8% e chegando a cerca de um terço da carteira do banco.

A instituição classifica essas operações em segmentos como negócios sustentáveis ou de impacto positivo do ponto de vista ESG.

Segundo Antonio Barreto Jr, vice-presidente de governo e sustentabilidade empresarial do banco, a ideia do BB é auxiliar clientes e parceiros a serem mais sustentáveis.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

"Incentivá-los a optarem por veículos que diminuam significativamente as emissões de gases do efeito estufa contribui com a promoção de uma economia verde, de baixo carbono, e reforça nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável do nosso país", diz ele em nota.

Resultado do Banco do Brasil no Primeiro Trimestre de 2022

resultado da Banco do Brasil (BBAS3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 11 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 6,6 bilhões no 1t22, apresentando crescimento de 57,6% na comparação com o 4T20.

A margem financeira bruta do Banco do Brasil atingiu R$ 15,3 bilhões no 1T22, apresentando crescimento de 5,6% na comparação com o 1T21.

Índice de Basiléia do Banco do Brasil em março de 2022, totalizou 17,7%, apresentando retração de -0,1 ponto percentual na comparação com dezembro de 2021.

As ações do Banco do Brasil (BBAS3) acumulam queda de 1,47% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 7,31% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.