O Banco do Brasil (BBAS3) lançou nesta terça, 19, para o público em geral um fundo espelho em parceria com a gestora Ibiuna Investimentos que captura ganhos nos ciclos de política monetária.

Segundo o BB, o novo produto, denominado BB Espelho Multimercado Ibiuna Hedge STH, replica o fundo Ibiuna Hedge STH FIC FIM, que, por meio da exposição nos mercados de juros, moedas, ações ou commodities, busca capturar ganhos com os movimentos de política monetária.

O banco também destacou que o fundo da Ibiuna é o principal produto com estratégia macro global da casa.

O patrimônio é de R$ 14,8 bilhões e, nos últimos 12 meses, o retorno foi de 254% do CDI.

Com o fundo espelho, o BB replica as condições do produto original, como a estratégia, a taxa de administração e a rentabilidade, mas permite que o cliente faça aplicações dentro da plataforma do banco, por meio de um valor reservado para investimento no fundo.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

Segundo o banco, o aporte mínimo é de R$ 1.000, menor do que se o investimento fosse feito diretamente no fundo original.

"Nossa curadoria de investimentos tem a preocupação de selecionar o que há de melhor no mercado, no sentido de disponibilizar para nossos investidores tudo o que ele precisa na combinação entre um portfólio completo e diversificado, assessoria humana especializada e as melhores soluções digitais", destaca Eduardo Vilela, executivo da área de Captação e Investimentos do BB.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

Janaína Klichowski, estrategista-chefe para private banking do banco, destaca a parceria antiga com a Ibiuna, já que o BB distribui outro fundo espelho (BB Espelho Ibiúna Hedge Private) para seus clientes desde 2014.

Resultado do Banco do Brasil no Primeiro Trimestre de 2022

resultado da Banco do Brasil (BBAS3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 11 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 6,6 bilhões no 1t22, apresentando crescimento de 57,6% na comparação com o 4T20.

A margem financeira bruta do Banco do Brasil atingiu R$ 15,3 bilhões no 1T22, apresentando crescimento de 5,6% na comparação com o 1T21.

Índice de Basiléia do Banco do Brasil em março de 2022, totalizou 17,7%, apresentando retração de -0,1 ponto percentual na comparação com dezembro de 2021.

As ações do Banco do Brasil (BBAS3) acumulam alta de 5,35% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 18,09% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.