O que é balancete

Balancete é um demonstrativo contábil não obrigatório, mas muito utilizado por contadores e outros profissionais para visualizar a situação financeira e patrimonial das organizações em determinado espaço de tempo.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Através do balancete é possível analisar os lançamentos contábeis, assim como também, seus débitos, créditos e saldos.

Não sendo de caráter obrigatório, o balancete é visto como um documento de apoio gerencial, muito utilizado por gestores e administradores em suas tomadas de decisão.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Diferença entre balancete e balanço

O balanço patrimonial, representa o patrimônio da empresa, ou seja, seus bens, direitos e obrigações, sendo gerado após o registro de todos os fatos contábeis de uma organização.

Por sua vez,  os fatos contábeis são todos os eventos que ocorrem na empresa, passíveis de se determinar um valor monetário.

O balanço patrimonial deve ter o equilíbrio dos bens e direitos com as obrigações. Desta forma, ele tem uma igualdade patrimonial. 

Através do balanço patrimonial será apresentado o patrimônio da entidade tanto da forma quantitativa quanto qualitativa, ou seja, cada item será apresentado com o seu valor correspondente.

Por fim, vale destacar que apesar de semelhantes, o balancete não se confunde com o balanço patrimonial, uma vez que o primeiro é um relatório interno não obrigatório, enquanto que o segundo é obrigatório.

Destaca-se ainda, que nas companhias de capital aberto, o balanço também se destina ao público externo e aos investidores.

Como um balancete é elaborado

Um balancete é elaborado a partir de um plano de contas e as respectivas movimentações contábeis lançadas nesse plano de contas.

O Plano de Contas é um conjunto de contas criadas para atender às necessidades de registros contábeis que possibilite fazer o balancete e outros relatórios e atender a todos em uma organização.

Na prática, o plano de contas, é uma lista que traz as contas necessárias para que uma organização aponte todos os fatos e movimentações financeiras e contábeis que ocorreram durante determinado período.

Vale destacar, que o plano de contas deve possuir contas em número suficiente para registrar todos os valores positivos, todos os valores negativos  e todas as despesas de forma detalhada a fim de não ocorrerem confusões.

Um plano de contas, costuma dividir-se em quatro grandes grupos:

  • Ativo;
  • Passivo e Patrimônio Líquido;
  • Receitas;
  • Despesas.

Logo, o conjunto de ativos, passivos, receitas e despesas formam o balancete e também o balanço patrimonial de uma organização.

Tipos de contas em um balancete

Ao observar um balancete é possível perceber que determinadas linhas ou contas representam na verdade, o somatório de um grupo de valores.

Devido a essa características, podemos dividir as contas de um balancete em dois grupos:

Analíticas: As contas analíticas são aquelas que representam os elementos

patrimoniais no maior grau de detalhamento,ou seja, recebem diretamente o

valor lançado.

Sintéticas: As contas sintéticas não recebem lançamentos e são de menor grau

são aquelas cujo saldo é calculado através da soma de duas ou mais contas

analíticas. , ou seja, a conta sintética será a soma de diversas contas analíticas.

São exemplos de agrupamentos sintéticos importantes em um balancete:

Saldo anterior (Receitas): É o saldo das receitas no período anterior a emissão do relatório;

Receitas: Valores recebidos no mês ou no período selecionado;

Saldo anterior (despesas): É o saldo das despesas no período anterior a emissão do relatório;

Despesas: Valores gastos no mês ou no período selecionado;

Disponibilidade: É a movimentação das contas bancárias e do caixa no período selecionado.

Outros relatórios e demonstrativos contábeis

Além do balancete e do balanço patrimonial, a contabilidade conta com outros demonstrativos importantes, como por exemplo:

  • Demonstração de Resultados do Exercício - DRE;
  • Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados - DLPA;
  • Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido - DMPL;
  • Demonstração dos Fluxos de Caixa - DFC;
  • Demonstração do Valor Adicionado - DVA.

Por fim, vale destacar, que o balancete é um dos demonstrativos mais utilizados na contabilidade.