O que é Atualização Monetária

Atualização Monetária é o nome dado aos ajustes financeiros e contábeis do Real em relação a outras moedas, inflação e taxa de juros. Basicamente, é a adequação da moeda a fim de compensar as perdas econômicas.

Em outros termos, a correção monetária, como também é conhecida, ajusta financeiramente o real a partir do valor das moedas que circulam em outros países, a índices de inflação ou à cotação do mercado financeiro.

Instituída por volta de 1958, ainda como indexação, a correção monetária somente se popularizou após 1964, de acordo com o CPDOC da FGV. Atualmente, ela é considerada um princípio extremamente importante da contabilidade.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona a Atualização Monetária

Uma compreensão correta da Atualização Monetária é de suma importância para toda a população, inclusive para os investidores, pois sem essa correção os preços estariam flutuando.

Nesse sentido, o que a Atualização faz é estabilizar o poder de compra do cidadão, compensando as perdas decorrentes do aumento geral dos preços na economia.

A Atualização Monetária acontece tanto de acordo com as taxas de juros dos bancos quanto com o índice de inflação, tendo como principal responsável o Banco Central.

O cálculo da correção monetária é feito a partir de alguns índices, a depender do que estiver sendo calculado, ou seja, o índice adequado dependerá do propósito. Os principais índices são:

  1. IGP-M, da FGV (Índice Geral dos Preços - Mercado)
  2. INPC, do IBGE (Índice Nacional dos Preços ao Consumidor)
  3. IPCA, do IBGE (Índice Nacional dos Preços ao Consumidor Amplo)
  4. IPC-SP, da FIPE (Índice de Preços ao Consumidor - São Paulo)
  5. TR - Taxa Referencial, calculada pelo Banco Central

Por exemplo, quando o assunto são investimentos da poupança e saldo do FGTS o índice que se ocupa de não desvalorizá-los pela inflação é a Taxa Referencial.

Já em situações mais corriqueiras e gastos mais comuns da população, como cesta básica de alimentos, energia elétrica, transporte, o índice mais utilizado é o IPCA.

Popularmente conhecido como “inflação do aluguel”, o IGP-M é um dos mais famosos indexadores de contratos, como aluguéis, tarifas públicas e seguros.

Como calcular a Atualização Monetária

Calcular um valor com correção monetária não é uma tarefa muito difícil. Basta consultar qual o índice acumulado a ser utilizado e multiplicar pelo valor que será reajustado.

Suponha que um contrato de aluguel firmado entre duas partes definiu um valor mensal de R$ 1.000,00 e um reajuste anual conforme o IGP-M. Esse índice acumulou-se em 7,56% no ano de 2019.

Para tanto, basta multiplicar o valor de R$ 1.000,00 por 1,0756 e teremos um valor atualizado de R$ 1.075,60.

Outra opção mais simples é realizar o cálculo de atualização monetária em ferramentas online, como a Calculadora do Cidadão, fornecida pelo Banco Central.

Essa calculadora oferece gratuitamente diversas opções, como calcular o valor de depósitos mensais, o valor de um financiamento com prestações fixas, o rendimento da poupança e valores com correção monetária de diversos índices.

Para que serve a Atualização Monetária

A Atualização Monetária é utilizada fundamentalmente para recompor o poder de compra dos cidadãos brasileiros.

A inflação, ao longo do tempo, corrói o salário do cidadão e, para manter o poder de compra deste, é necessário reajustar monetariamente os valores.

Mas a Atualização Monetária e seus índices também auxiliam investidores e empresas, por exemplo as exportadoras.

Isso se deve ao fato de que muitos dependem diretamente do valor do dólar e às vezes é necessário uma atualização monetária que esteja relacionada com o dólar.

O Princípio da Atualização Monetária

Vale mencionar que a correção monetária é considerada um princípio fundamental da contabilidade, de acordo com o Conselho Federal de Contabilidade. É o chamado Princípio da Atualização Monetária.

Ele postula que os efeitos da alteração do poder aquisitivo da moeda nacional devem ser reconhecidos nos registros contábeis através do ajustamento da expressão formal dos valores dos componentes patrimoniais.