O que é Ativo Intangível

Ativo Intangível é um ativo não monetário que não apresenta substância física, ou seja, não existe fisicamente, e que é de posse de certa empresa. São bens e direitos incorpóreos associados a uma organização.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Dito de outro modo, de acordo com o Pronunciamento Técnico CPC-04, é um ativo não físico por natureza e que não pode ser representado por dinheiro ou por direitos a serem recebidos em uma quantia fixa.

Esse tipo de ativo tem se tornado cada vez mais comum, a partir dos anos 2000, com o desenvolvimento tecnológico caracterizado pela virtualização de diversos setores da economia e pela expansão de grandes marcas.

Abaixo, veremos algumas de suas características, exemplos, bem como o que o distingue do ativo tangível.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Características do Ativo Intangível

Ativos intangíveis têm, dentre algumas, duas características principais que os definem. Primeiramente, são bens ou direitos não monetários que, portanto, não são representados por dinheiro ou por quantias fixas. 

Em segundo lugar, não têm uma substância física ou uma materialidade, logo, não existem fisicamente. No entanto, eles são peças importantes de uma empresa moderna, pois possuem valor e podem diferenciar uma empresa em seu ramo. 

Contudo, vale ressaltar que um bem ou direito não necessariamente será um ativo intangível somente se não existir fisicamente, pois existem outras normas de reconhecimento. 

Uma delas se trata do controle do ativo, isto é, um ativo intangível é de uso ou propriedade exclusiva de uma empresa, o que impossibilita o uso sem autorização por parte de terceiros. 

Há também um outro aspecto relacionado à identificabilidade do ativo, ou seja, da capacidade de separar o ativo da organização fazendo com que ele possa ser vendido, transferido, cedido ou alugado como um bem à parte.

Exemplos de Ativo Intangível

Preparamos uma lista de exemplos de ativos intangíveis. Confira abaixo:

  1. Softwares 
  2. Licenças
  3. Direitos autorais 
  4. Patentes
  5. Capital intelectual
  6. Marcas

Agora, pensemos no exemplo mais nítido de ativo intangível: a marca Apple. Essa grande empresa estadunidense costuma ser reconhecida como uma das maiores produtoras de eletrônicos, softwares e computadores.

Sua linha de computadores, dispositivos de reprodução de áudio e relógios são envolvidos por uma série de ativos intangíveis. Em razão disso, 82% de seu valor está alocado em ativos intangíveis.

O mesmo se passa com outras marcas como Google, Microsoft, Amazon e Facebook, todas com o percentual de valor alocado em ativos intangíveis superior ao da Apple.

Dessa maneira fica fácil perceber a importância do ativo intangível na economia e nos investimentos. A revolução digital consolidou a mudança de posição entre os bens tangíveis e os ativos intangíveis.

Agora, os investidores passaram a compreender que toda grande empresa necessita colocar esforços em desenvolver seus ativos intangíveis, trazendo conhecimento e inovação.

Em razão disso, a análise dos ativos intangíveis se tornou mais do que necessária, podendo compor uma análise fundamentalista certeira e atenta.

Ativo Intangível e Ativo Tangível

Dissemos que a revolução digital consolidou os ativos intangíveis como de grande importância, ultrapassando os bens tangíveis.

Os ativos tangíveis, ao contrário dos intangíveis, apresentam uma substância física e são utilizados para manutenção da atividade da empresa. 

Recordemos, então, que os bens tangíveis foram a base das primeiras revoluções industriais, como máquinas de tear, de produção de automóveis, rádios, telefones. 

Eram instrumentos grandes, robustos e pesados que faziam muita diferença entre as empresas.

Agora, o cenário mudou. Na era da inovação, do design thinking e do conhecimento, as marcas, pesquisas, patentes e propriedades intelectuais garantem o domínio das empresas modernas e agregam valor de mercado.

Voltemos à Apple. A marca em si vale simplesmente doze vezes o valor de seus ativos tangíveis. Assim, se analisarmos a Apple a partir de sua situação patrimonial, perdemos de vista grande parte de seu valor. 

Esse valor, vale recordar mais uma vez, está posto em seu potencial de geração de riqueza, em sua imagem, em suas licenças e patentes, portanto, no universo de seus ativos intangíveis.