O que é Ativismo Societário

Ativismo Societário

O que é Ativismo Societário. Significado, exemplos, origem e como funciona.

O que é Ativismo Societário

Ativismo Societário, ou shareholder activism, refere-se à situações em que um investidor adquire uma posição relevante em uma empresa aberta e, consequentemente, passa a pressionar a administração da companhia por mudanças em suas operações.

Dito de outro modo, o ativismo societário acontece em casos nos quais um acionista de uma empresa tenta usar sua participação acionária para influir na administração e atingir certos objetivos.

Banner will be placed here

Como funciona o ativismo societário

Em geral, o objetivo dos acionistas ativistas é fazer mudanças nos rumos administrativos da empresa. Essa mudança de comportamento ocorre, normalmente, através do poder de voto ou da influência sobre outros acionistas.

Assim, um acionista que queira influir em alguma empresa irá se utilizar de seu poder de voto ou fazer acordos com outros acionistas para obter êxito em seus objetivos.

Uma participação pequena, de menos de 10% das ações em circulação, já é suficiente para lançar uma campanha de sucesso. Portanto, um acionista ativista não necessariamente precisa de uma grande participação na empresa.

Indubitavelmente, vale lembrar que uma grande participação acionária oferece condições melhores de influência nas operações da empresa. 

Formas e exemplos de ativismo societário

As formas de influência podem variar de acordo com os objetivos dos acionistas. Por via de regra, esses estão divididos em objetivos financeiros e não financeiros.

Alguns exemplos de objetivos financeiros são: aumento do valor para o acionista, alterações na estrutura corporativa ou financeira, corte de custos, fusões e outras.

Exemplos de objetivos não financeiros são: abandono de operações em certos mercados ou países, adoção de políticas sociais ou ambientais.

Dessa forma, pode-se depreender que as causas de um ativismo societário advém de interesses econômicos, ambientais, sociais ou mesmo políticos.

Os meios pelos quais é possível exercer um ativismo societário também são variados. Destacamos alguns a seguir.

  1. Proposição por parte de um acionista de uma resolução para a assembleia anual da empresa.
  2. Constituição de um grupo insatisfeito com a gestão da empresa e persuasão de outros acionistas.
  3. Construção de uma campanha publicitária na mídia para chamar a atenção do público.
  4. Negociação com a gestão corporativa.
  5. Abertura de uma ação legal contra a administração da empresa.

Origem do ativismo societário

O ativismo societário nasceu no mercado de capitais estadunidense

As causas são múltiplas, como a dispersão acionária, predominância de estruturas de controle minoritário e gerencial, inexistência de um regime regulatório sobre aquisições comunicadas ao mercado e o papel das proxy advisory firms.

Essa já é uma prática mais consolidada em terreno norte-americano, mas nos países da América Latina ela ainda está se espraiando.

No Brasil, embora seja uma prática inconstante, ela tem se desenvolvido bastante, como no caso das interferências de terceiros no processo de venda da Estácio para a Kroton.

Ativismo societário e absenteísmo acionário

O ativismo societário se opõe ao absenteísmo acionário. Essa segunda é uma prática muito mais comum no mercado brasileiro, pois requer menos engajamento e menos dedicação.

O absenteísmo acionário nada mais é do que a aquisição de ações de uma empresa em que você não pretende dedicar seu tempo para influenciar nas decisões, se ausentando das assembleias e dos votos.

Logo, se o ativismo societário se caracteriza por ter um acionista ativo nos negócios, o absenteísmo acionário tem como atributo a ausência de engajamento e a passividade do acionista nas decisões da empresa.

Para finalizar, pensemos em um exemplo não financeiro.

Se um acionista de uma empresa de extração de madeira percebe que os impactos de uma extração em determinada área causa fortes impactos na opinião pública, ele poderá reagir de duas maneiras.

No primeiro caso, ele pode se abster e deixar que a empresa lide com os impactos e a rejeição da opinião pública. Trata-se do absenteísmo acionário.

No segundo, dispondo dos meios necessários, ele pode tentar influenciar as decisões da empresa e propor a saída desta área a fim de minimizar a rejeição da opinião pública. Trata-se do ativismo societário.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE