Os resultados da Telefônica (VIVT3) referente a suas operações do segundo trimestre de 2022, foram divulgados no dia 26/07.

Veja neste artigo os principais destaques do resultado da Telefônica do 2T22 e a análise fundamentalista da empresa.

Confira o calendário de divulgação de resultados do 2T22 das empresas listadas na Bolsa de Valores e a análise das empresas que a equipe do The Capital Advisor está realizando.

Leia até o final e descubra se a ação VIVT3 vale a pena.

Sobre Telefônica

A Telefônica Brasil S.A. é a maior empresa de telecomunicações do país, com atuação em âmbito nacional e com um portfólio de produtos completo e convergente:

  • voz fixa e móvel;
  • banda larga fixa e móvel;
  • ultra banda larga;
  • dados e serviços digitais;
  • TV por assinatura e TI.

Com quase 94 milhões de clientes até o final de 2019, sendo 75 milhões de clientes na operação móvel e 19 milhões de clientes na operação fixa.

Veja aqui a análise de mercado da Telefônica, o que a empresa faz, seus diferenciais competitivos e principais concorrentes. 

Composição Acionária da Telefônica

AcionistaONPNTotal
Telefônica S.A.34,7%27,3%29,8%
Telefônica Latinoamérica Holding S.I8,2%32,2%24,1%
Outros5,1%30%21,6%
Artisan Partners Limited Partnership0,0%7,1%4,7%
Sp Telecomunicações Participações LTDA51,5%3,4%19,7%
Telefônica Chile S.A0,2%0%0,1%
Ações em Tesouraria0,4%0%0,1%

Avaliação de Governança

A Telefônica está listada na Bolsa de Valores no segmento Novo Mercado, nível mais alto da B3.

EmpresaTelefônica Brasil S.A.
CódigoVIVT3
SubsetorTelecomunicações
Segmento de ListagemNovo Mercado
Tag Along80%
Free Float26%
Principal AcionistaTelefônica S.A.
Siteri.telefonica.com.br

A Telefônica possui um free float acima de 25%, o que não representa nenhum problema de liquidez nas negociações das ações para o acionista.

A empresa possui um tag along abaixo de 80%, o que a meu ver, é um indicativo de alerta, sugiro que verifique a gestão da empresa, os administradores e o resto dos fundamentos com maior critério.

Ambos indicadores ajudam na análise da governança corporativa da empresa, porém não dizem respeito à sua capacidade de geração de caixa ou à sua rentabilidade.

Agora chegou a hora analisar os resultados e os principais múltiplos da análise fundamentalista da companhia.

Melhores Ações de Dividendos? Baixe o Ranking com Maiores Pagadoras de Dividendos.

Resultado Telefônica no 2T22

A Telefônica apresentou um lucro líquido de R$ 746 milhões no 2T22, baixa de -44,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Confira os principais destaques dos resultados da Telefônica do segundo trimestre de 2022:

Indicador2T221T22%2T21%
Lucro Líquido (R$)746 M749,9 M-0,5%1,3 B-44,6%
Margem Ebitda (%)38,7%39,7%-1 p.p.45,0%-6,3 p.p.
Margem Bruta (%)43,6%43,1%0,5 p.p.43,6%0 p.p.
Margem Líquida (%)6,3%  6,6%-0,3 p.p.12,6%-6,3 p.p.

Resultados Operacionais da Telefônica no 2T22

Confira os destaques dos resultados operacionais da Telefônica, referente às suas operações do 2T22, por divisão de negócio:

Negócio Móvel

No 2T22, houve performance excepcional da Receita de Serviço Móvel com crescimento de 15,1% na comparação anual. Excluindo o efeito da aquisição da Oi Móvel, o aumento seria de 9,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A Receita de Pós-pago, que representa 80% da receita de serviço móvel, cresceu 14,4% no 2t22 devido ao incremento expressivo da base de clientes e aos reajustes anuais de preço.

No último trimestre, a Companhia incorporou 4.671 mil acessos pós-pago com a aquisição da Oi Móvel.

Além do crescimento inorgânico da base, adicionamos 1.361 mil acessos pós-pago de forma orgânica nos últimos 3 meses, tanto pela migração de pré-pago para controle, quanto pelo saldo positivo de portabilidade de outras operadoras.

O churn mensal pós-pago se manteve em níveis mínimos históricos, em 1,1%.

O amplo portfólio de smartphones e acessórios, em conjunto com a experiência de compra nas lojas da Vivo, contribuiu para um incremento de 26,4% na receita de aparelhos em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Gráfico dos acessos móveis da Telefônica. Fonte: RI Telefônica

Negócio Fixo

A Receita Líquida Fixa cresceu 1,7% na comparação anual, impulsionada pela maior representatividade da Receita Core Fixa (+10,8% a/a), que corresponde a 73,3% (+6,0 p.p.) da receita líquida fixa.

A contribuição do negócio fixo para o crescimento de receita total da Companhia é uma mudança estrutural no mix de receitas, resultado da decisão estratégica de focar os investimentos em tecnologias mais avançadas, como fibra e serviços digitais B2B.

A receita de FTTx aumentou 10,6% a/a no 2T22, impulsionada pelo desempenho da Receita de FTTH que obteve alta de 23,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A Receita de IPTV, produto associado à conectividade de fibra, avançou 6,7% a/a no 2T22, mesmo com uma ligeira redução da base de acessos.

A sólida performance da Receita de Dados Corporativos, TIC e outros, de 12,9% a/a no trimestre, é resultado do portfólio completo de produtos e serviços oferecidos pela Companhia.

Melhores Ações de Dividendos? Baixe o Ranking com Maiores Pagadoras de Dividendos.

Resultados Financeiros da Telefônica no 2T22

A receita líquida da Telefônica atingiu R$ 11,8 bilhões no 2T22, apresentando crescimento de 11,1% na comparação com o 1T21.

O custo dos bens e serviços vendidos totalizou R$ 7,2 bilhões no 2T22, apresentando crescimento de 12,9% na comparação com o 1T21.

O Ebitda da Telefônica atingiu R$ 4,5 bilhões no 2T22, apresentando retração de -4,4% na comparação com o 1T21.

A margem Ebitda da Telefônica totalizou 38,7% no 2T22, apresentando retração de -6,3 ponto percentual na comparação com o 1T21.

O resultado financeiro da Telefônica totalizou um prejuízo de R$ 601 milhões no 2T22, apresentando crescimento no prejuízo de 282,1% quando comparado ao 1T21.

No 2T22, as despesas gerais e administrativas cresceram 12,3% em relação ao 1T21.

A margem bruta da Telefônica atingiu 43,6% no 2T22, permanecendo estável na comparação com o 1T21.

O lucro líquido da Telefônica atingiu R$ 746 milhões no 2T22, apresentando retração de -0,5% na comparação com o 1T22 e baixa de -44,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Gráfico do histórico de lucros trimestrais da Telefônica. Fonte: GuiaInvest

A margem líquida da Telefônica atingiu 6,3% no 2T22, apresentando retração de -6,3 pontos percentuais na comparação com o 1T21.

Para fazer uma análise do desempenho da empresa, quanto a empresa gera de retorno financeiro, avalie também outros indicadores de rentabilidade, como o giro do ativo e o Retorno sobre o Ativo (ROA).

Melhores Ações de Dividendos? Baixe o Ranking com Maiores Pagadoras de Dividendos.

Endividamento da Telefônica

Os indicadores de endividamento da Telefônica estão dentro da normalidade, apresentando uma dívida bruta / patrimônio líquido de 24,1%, acima da sua média dos últimos 3 anos.

Veja a evolução histórica dos últimos 10 anos do endividamento da Telefônica:

Gráfico do histórico de endividamento da Telefônica. Fonte: GuiaInvest

A dívida bruta da Telefônica em junho de 2022, totalizou R$ 3,88 bilhões, apresentando crescimento de R$ 270 milhões na comparação com março de 2022.

A companhia apresentou uma estrutura de capital preocupante no trimestre, mantendo 66,3% da sua dívida no longo prazo e 33,7% no curto prazo.

Além do endividamento, lembre-se sempre de analisar os outros indicadores de estrutura de capital da empresa, como o endividamento geral, terceiros, composição e imobilização de recursos e não recorrentes.

Faça uma comparação do endividamento dos concorrentes da empresa, que estão inseridas no mesmo setor.

Por fim, avalie também os indicadores de liquidez que fazem parte do conjunto de índices financeiros, para  medir a capacidade financeira da empresa em satisfazer seus deveres junto a terceiros.

Indicadores Fundamentalistas da Telefônica

Veja abaixo os principais indicadores fundamentalistas da Telefônica para iniciar a sua análise dos fundamentos da VIVT3.

Indicador03/202206/2022Evolução
Preço/Lucro (P/L)14,914,5-2,7%
Preço/Valor Patrimonial (PVPA)1,31,2-7,7%
Dividend Yield (DY) %6,5%7,6%1,1 p.p.
Payout %96,4%110,3%13,9 p.p.
Price Sales Ratio (PSR)2,01,7-15,0%
Valor de Mercado (R$)89,9 B78,6 B-12,6%
Ebit (R$)1,5 B1,4 B-6,7%
Ebitda (R$)4,51 B4,57 B1,3%
Lucro por Ação (LPA) $3,60013,2427-9,9%
Rent. Patr. Líq. (ROE) %8,6%8,0%-0,6 p.p.
Margem Líquida %13,6%11,9%-1,7 p.p.
Liquidez Corrente1,00,7-0,3 p.p.
Data Divulgação10/05/2226/07/22-

* Indicadores com base na data de 26/07/2022.  Fonte: GuiaInvest

Para aplicar todos esses filtros e fazer uma rápida análise fundamentalista, levei menos de 5 minutos com a ferramenta GuiaInvest PRO.

Teleconferência de Resultados Telefônica 2T22

Ouça aqui a Transmissão da Teleconferência da Telefônica do 2T22.

Documentos e arquivos dos Resultados da Telefônica do 2T22.

Para conferir os resultados de outros trimestres, em texto ou áudio, acesse a Central de Resultados da Telefônica.

VIVT3 Vale a Pena?

No 2T22, foi registrada aceleração do crescimento da base de clientes, atingindo 114 milhões de acessos totais.

No trimestre, as adições líquidas no móvel totalizaram 13,9 milhões, sendo 12,6 milhões provenientes da aquisição da Oi Móvel.

A Telefônica divulgou lucro líquido de R$ 746 milhões no segundo trimestre de 2022, decréscimo de 0,5% em relação ao 1T22 e redução de 44,6% em relação ao 2° trimestre de 2021.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 120,0 bilhões, aumento de 5,5% em relação ao saldo no segundo trimestre de 2021.

O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 68,1 bilhões no segundo trimestre de 2022, o que representou uma variação de -1,0% em relação ao saldo no 2T21.

Se você quer investir nas melhores ações pagadoras de dividendos e que estão sendo negociadas com DY acima do mercado, responda 4 perguntas rápidas e receba o meu aconselhamento gratuito.

Press Release da Telefônica 2T22

Confira abaixo os Press Release do Resultado da Telefônica do 2T22 na íntegra. 

  Press Release Do Resultado Da Telefônica Do 2T22 by The Capital Advisor on Scribd

Disclaimer: Declaro que as informações contidas neste texto são públicas e que refletem única e exclusivamente a minha visão independente sobre a companhia, sem refletir a opinião do The Capital Advisor ou de seus controladores.