O que é análise de viabilidade

A análise de viabilidade nada mais é do que um processo que realiza diferentes estudos no mercado financeiro para a empresa solicitada.

Como o próprio nome sugere, uma análise de viabilidade permite identificar se alguma prática atrelada ao negócio é viável ou não. Ela pode se atentar a diferentes aspectos, como a viabilidade financeira ou operacional.

Por conta disso, é sempre aconselhável que o analista de viabilidade e o gestor da empresa realizem um estudo para possíveis negócios envolvendo a empresa não se tornarem um problema no futuro.

Vale ressaltar que, a viabilidade sobre o negócio em si que está atrelado à empresa, pode se tornar algo inviável tanto financeiramente quanto economicamente.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Objetivo da análise de viabilidade

Um motivo que faz com que as empresas procurem realizar uma análise de viabilidade é o fato de prever alguma variável negativa que tende a surgir no futuro, seja ele de origem econômica ou financeira.

Sendo assim, a partir do estudo realizado pelo analista de viabilidade, é possível definir se há de fato um grande risco assombrando a empresa.

Um outro grande motivo que faz com que a empresa também acabem adotando essa prática é a necessidade que a companhia tem de um planejamento estratégico para alavancar seu negócio.

Dessa forma, a análise de viabilidade acaba se tornando uma previsão e mostra ao investidor a taxa de sucesso em futuros investimentos.

Apesar de apresentar uma margem de incerteza quanto aos investimentos, a probabilidade de uma aplicação dar errado é muito menor com a ajuda de um analista de viabilidade.

Pois, ao serem trabalhados diferentes cenários envolvendo a empresa no mercado financeiro, o analista consegue distinguir as variáveis positivas das negativas.

Além disso, a análise de viabilidade permite definir em quanto tempo o investidor acabará tendo um retorno financeiro sobre a sua aplicação no mercado de capitais.

Vale ressaltar que, é possível mensurar também quais serão os lucros e perdas financeiras do investidor.

Passos para a análise de viabilidade

A primeira etapa da análise de viabilidade envolve os custos da empresa, despesas dos investimentos a serem realizados. Enfim, busca fazer uma projeção baseada em dados financeiros.

Nessa etapa, é calculada a capacidade da empresa passar a render dinheiro com o tempo, sendo assim, acaba se tornando fundamental esse passo para a empresa caso ela não queira ter perdas no futuro.

Porém, para que ela seja o mais realista possível, é necessário que sejam estudados outros aspectos, tais como: o mercado financeiro, período sazonal do mercado, entre outros fatores.

A segunda etapa consiste em analisar o fluxo de caixa no futuro. O fluxo de caixa consiste basicamente em analisar a entrada e saída de dinheiro da empresa.

Ao realizar a projeção do fluxo de caixa, é possível definir como estará a receita da empresa e os seus custos no futuro, apresentando dessa forma se alguma nova oportunidade se torna viável.

O último passo para realizar uma análise de viabilidade é a análise de indicadores. Esse passo consiste em prever qual é, afinal, a expectativa de lucro para a empresa.

Sendo assim, na última etapa, o analista de viabilidade tem a função de prever qual o tempo necessário para recuperar um investimento, rentabilidade, taxa mínima de atratividade, entre outros itens.

Saiba fazer uma análise de viabilidade

Existem várias formas de realizar uma análise de viabilidade, cada uma acaba apresentando vantagens e desvantagens, sendo assim, cabe ao analista decidir a mais viável.

Para uma análise bem sucedida o analista deve, portanto, definir alguns dos pontos abaixo a serem estudados:

  • Despesas e receitas da empresa;
  • Necessidade de avaliar o fluxo de caixa;
  • Avaliar o capital investido no negócio;
  • De que forma o capital será investido;
  • Qual será o lucro final acerca do capital investido.

Além do que foi dito, vale ressaltar que o gestor e analista de viabilidade devem estar sempre em consenso a respeito das variáveis negativas e positivas para a empresa atingir sua independência financeira.