O que é Agente Econômico

O Agente Econômico é toda e qualquer entidade capaz de exercer alguma influência na economia de forma direta ou indireta.

Um Agente Econômico pode ser uma pessoa, um grupo de pessoas, uma instituição ou até mesmo a configuração de um ambiente, segundo alguns teóricos.

Na realidade, definir o que são agentes econômicos pode ser um pouco confuso, visto que existem muitos fatores que afetam a economia. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Tipos de Agentes Econômicos

Apesar das confusões conceituais, existem pelo menos três agentes econômicos que são um consenso entre os economistas e estudiosos. São estes:

  1. Familia;
  2. Entidades empresariais;
  3. Estado.

Cada um desses agentes está interligado com o outro no sentido de que um depende do outro para sobreviver.

Família

A família é o Agente Econômico de maior influência. Quem compõe a família são indivíduos que se agrupam de forma a combinarem entre si o que é melhor para todos.

Famílias podem ser formadas tanto por vínculo de sangue entre as pessoas, como também ser uma simples junção de interesses em comum.

A principal função da família é usar do seu poder econômico para consumir bens e serviços e assim fazer a economia de um país se movimentar. 

Também são os membros da família que: 

  • Cedem sua mão de obra para as empresas;
  • São os donos das empresas.

Entidades Empresariais

As entidades empresariais são as empresas que ofertam os produtos e serviços. Seu objetivo é maximizar o lucro competindo entre si para oferecerem as melhores soluções.

Mas isso é claro, só é possível em um ambiente que haja livre mercado, pois caso uma empresa não tenha concorrência, ela se torna um monopólio

Os monopólios, por sua vez, não possuem o incentivo para oferecer qualquer tipo de qualidade. Mas isso não significa que não possa ser um Agente Econômico.

Empresas estatais em sua maioria são um exemplo de empresas que exercem funções ou atividades monopolistas com a justificativa de ser uma área estratégica que não deve ser gerida visando lucro.

Estado

E por fim o Estado, cuja principal função é equalizar a sociedade usando da promoção de serviços públicos e por meio de programas de distribuição de renda.

Outras ações que o Estado impõe como a contribuição de impostos e regulações diversas afetam diretamente o exercício das atividades econômicas de quase todos os setores.

Outros Agentes Econômicos

Vale ressaltar que algumas definições de Agentes Econômicos também incluem o Mercado como entidade em si e o resto do Mundo, estes considerados macroagentes econômicos. 

A inclusão do Mercado no conceito de Agente Econômico se deve ao fato de que é nele que acontece o processo de compra e venda entre consumidores e empresas.

O restante do mundo, por sua vez, tem relação com o conceito de globalização, ou seja, a relação econômica e social entre os países.

Isso ocorre porque cada vez mais os países dependem de exportações e importações, e microagentes econômicos como a Alfândega acabam cumprindo um papel muito importante.

A relação dos principais Agentes Econômicos

Se o estado resolver subir os impostos das entidades empresariais privadas, esse valor extra será repassado às famílias, que por sua vez serão propaladas a consumir menos.

Por outro lado, se as famílias resolvem consumir menos das entidades financeiras, essas empresas vão sentir o baque nas suas contas e terão dificuldades de contribuir ao estado com impostos.

Já se as empresas diminuírem a sua contribuição tributária com o estado, este não terá dinheiro para manter suas ações de distribuição de renda e serviços públicos, afetando diretamente as famílias.

E se o estado afeta direta ou indiretamente as condições da família com o corte na promoção de serviços públicos, esta ficará sem meios de consumir os bens e serviços das entidades empresariais.

A conclusão que se tira é que a relação entre família, entidades empresariais e estado é intrinsecamente dependente da existência e contribuição uma da outra.