O que é Agente de Custódia

O Agente de Custódia é a entidade que cuida da custódia de ativos financeiros, às mantendo seguras em nome de seus representantes e também cuidando das suas transações.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Para fazer isso, elas criam contas no nome de seus representantes, com o respaldo dos órgãos responsáveis, e se certificam de cuidar de toda a parte burocrática, desde a remuneração até a negociação dos ativos.

O Agente de Custódia é, por fim, responsável pelo que acontece aos ativos que ela estiver guardando. Para assumir essa responsabilidade algumas taxas podem ser cobradas como contrapartida.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Finalidade do Agente de Custódia

A principal finalidade do Agente de Custódia é tornar mais simples a vida dos investidores, simplificando o processo de compra e venda de ativos financeiros.

O Agente de Custódia também administra as questões corporativas ligadas aos ativos. Uma situação comum é se por exemplo uma empresa distribui dividendos. Quem vai repassá-los ao acionista é o Agente de Custódia.

Outro ponto importante é que por meio de um Agente de Custódia é possível ter vários investimentos diferentes sendo gerenciados pela mesma instituição. O que torna a vida do investidor mais organizada.

E são vários os produtos e ativos financeiros que podem estar sob a guarda de um Agente de Custódia. Podemos lembrar de alguns:

  1. Ações negociadas na bolsa de valores B3;
  2. Títulos do Tesouro direto emitido pelo governo;
  3. Debêntures;
  4. Mercado Futuro e commodities;
  5. Fundos de Investimento;
  6. DBR;
  7. LCA e CRI e CRA
  8. Opções e etc.

Entre outros investimentos e produtos menos convencionais. 

Como escolher um Agente de Custódia

Existem muitas opções de agentes custodiantes no mercado hoje em dia. Cada um deles, por sua vez, possui características diferentes, movidas por condições de serviço diferenciadas.

Algumas dessas condições podem variar nos seguintes pontos:

Alguns custodiantes podem não cobrar uma determinada taxa, porém cobrar outras. Dependendo do agente, muitas vezes a maioria das taxas é isenta.

A taxa de custódia, por exemplo, que é uma das mais tradicionais taxas cobradas, no mercado atual está em completo declínio de uso. Cada vez mais as instituições isentam seus clientes desta taxa.

Também não é incomum a cobrança de uma porcentagem para a corretora por cada ação que o investidor compra, a chamada taxa de corretagem. Esta é outra taxa que vem desaparecendo do mercado.

Quanto aos canais de atendimento, é muito importante que o investidor consiga entrar em contato com o seu Agente de Custódia com facilidade. E isso implica pelo menos existir várias opções.

Apenas o site não é o suficiente. Um telefone de contato, perfis nas principais redes sociais, um e-mail oficial, whatsapp e o que mais for possível sempre ajudam na decisão.

Por último, mas não menos importante, é sempre válido verificar o que o Agente de Custódia oferece como facilidade e, se todas as condições e o serviço prestado estão bem esclarecidas em seu site.

Analisar a plataforma que o Agente de Custódia disponibiliza para os seus clientes executarem as operações de compra e venda também é fundamental. Algumas interfaces podem ser mais complicadas que outras.

Quem são os Agentes de Custódia

Existe uma certa limitação em relação às instituições que podem agir como um Agente de Custódia e, cada uma delas possui uma abordagem diferente para com os seus clientes.

Não obstante, os principais atores deste mercado são:

  • Bancos, comerciais, de investimento ou os múltiplos;
  • Corretoras de valores;
  • Distribuidoras de títulos.

O motivo de haver essa limitação de quem pode atuar no mercado é para resguardar o investidor de se meter com instituições menos preparadas para assumirem a responsabilidade desse serviço.