O que é ADS - American Depositary Share

ADS - American Depositary Share (Ações Depositárias Americanas em tradução livre) é como se chama individualmente cada parte que o lote de uma ADR - American Depositary Receipt (Depósito de Recibo Americano) representa. 

E assim como uma ADR, a ADS é por definição um produto que representa uma empresa estrangeira nas bolsas dos EUA. 

Na prática, na maioria das vezes uma ADS está na proporção de 1:1 com a ação original da empresa que ela representa. Em raros casos a proporção pode ser diferente.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como é criada uma ADS - American Depositary Share

A ADS só existe por causa da ADR, visto que a primeira é uma partícula da segunda. A ADR, por sua vez, é administrada pelos bancos americanos. Funciona assim:

  1. Empresas estrangeiras sinalizam a vontade de serem negociadas em bolsas americanas;
  2. Algum banco analisa a empresa e verifica se ela cumpre as normas internas do país;
  3. Este banco então compra várias ações dessa empresa e forma lotes de ADR;
  4. Dependendo da conformidade com as exigências do mercado americano a ADR é classificada em 3 níveis;
  5. A proporção de quantas ADS uma ADR representa é definida pelas empresas.

Portanto, quando o investidor compra uma ADR, o que ele está adquirindo, na realidade, são várias ADSs que são ali representadas pelo lote da ADR.

Na prática, a ADR serve como um recibo da compra das ADS, por isso o seu nome “depositary receipt” (Depósito de Recibo).

Como é negociada uma ADS - American Depositary Share

Negociar ações de empresas estrangeiras, caso elas não estejam diretamente listadas na bolsa de valores local, pode ser um processo complexo. 

Na realidade, a legislação americana impede que a maioria das empresas estrangeiras possam negociar suas ações diretamente nas bolsas americanas. Por isso que os EUA introduziram as ADS e ADR na década de 20.

Com esse mecanismo é possível comprar ações de empresas de fora do mercado americano sem precisar se submeter às regras das bolsas destes países. E qualquer investidor pode fazer isso.

Em todo caso é necessário se atentar ao fato de que ao comprar um lote de ADS, ou seja, uma ADR, você não está comprando a ação do país original, e sim uma representação desta.

Mas isso, todavia, não significa que o investidor não esteja intitulado aos mesmos benefícios de quem possui as ações originais, e isso inclui também o recebimento de dividendos.

Vantagens e desvantagens de uma ADS - American Depositary Share

A ADS assim como qualquer tipo de negócio que se faz no mercado da renda variável, possui suas vantagens e desvantagens, algumas vezes evidentes, outras um pouco menos claras.

Para as empresas que estão negociando suas ações em bolsas americanas por meio de ADSs, as principais vantagens são:

  • Expansão do alcance geográfico: uma vez estando listada na bolsa americana, a empresa pode se beneficiar de mais notoriedade e oportunidades de investimento estrangeiro;
  • Outra opção para aumentar o capital: é mais uma forma de aumentar o capital e a receita da empresa; 
  • Empregados americanos podem virar acionistas: se a empresa tiver empregados de nacionalidade americana, estes poderão investir na empresa.

Já quanto às desvantagens:

  • Risco de liquidação: Caso não haja muito interesse nas ações da empresa, esta pode acabar não conseguindo levantar o dinheiro ou capital que almejava ao começar a negociar ADSs e ADRs.
  • Risco do câmbio da moeda: dependendo do valor que o dólar tem comparado ao da moeda original, os retornos em dividendos podem divergir.

Já para os investidores a principal vantagem desse investimento é que ele é mais uma forma de diversificar o portfólio, tornando a carteira de investimentos mais forte.

O fato de que as ADRs e ADSs são negociadas no horário local dos EUA também ajuda bastante o investidor a não precisar ficar acordado altas horas.

Quanto aos riscos, investir em empresas estrangeiras é por si mais arriscado, pois é necessário contar com o clima político e econômico do país de origem e se atentar aos valores de conversão da moeda.

Ademais, o número de opções de empresas para investir é menor e também existem as questões tributárias que podem variar de país para país.