O lendário investidor Bill Miller acredita que há pelo menos sete apostas atraentes no mercado, mesmo no atual ambiente de ansiedade geopolítica e aperto da política monetária.

Em sua última perspectiva de mercado nesta semana divulgada pelo Business Insider, Miller disse que ninguém pode ter certeza do resultado da guerra da Rússia contra a Ucrânia.

Para ele, as consequências ocorrerão ao longo de muitos anos, não meses.

"Ninguém sabe quanto tempo a guerra na Ucrânia vai durar nem qual será o seu resultado", escreveu ele. "Ninguém sabe até onde a inflação vai subir, nem quando começará a diminuir."

Os mercados foram atingidos por volatilidade desencadeada por riscos de curto prazo e os bancos centrais estão aumentando as taxas de juros para combater a inflação.

Miller observou que, mesmo após um rali de alívio na semana passada, as ações dos EUA permanecem em queda no acumulado do ano. 

O S&P 500 perdeu 5% até agora este ano, enquanto o Nasdaq, pesado em tecnologia, está 9,5% mais baixo no mesmo período.

O presidente e CIO da Miller Value Partners acredita que a combinação atual de uma forte economia dos EUA, com seu baixo desemprego, amplo número de empregos e aumento dos salários, como o início dos aumentos das taxas do Fed, desencadeou uma rotação das ações de crescimento para as ações de valor.

As ações de valor são aquelas cujo preço parece barato, ou subvalorizado, em relação ao crescimento de longo prazo quando analisado seu desempenho financeiro. 

Já as ações de crescimento são aquelas empresas que se espera que cresçam muito mais rápido do que seus pares.

Ele destacou a Amazon (AMZO34) e Meta (FBOK34), dona do Facebook, como apostas atraentes.

O setor de energia também tem um bom valor, disse Miller, porque as ações do setor estão baixas, considerando o aumento do preço do petróleo no momento.

As avaliações das ações chinesas também parecem baixas, principalmente porque Pequim prometeu ajudar a manter os mercados estáveis, disse ele.

Outros setores a serem observados são o financeiro, que se beneficia com o aumento das taxas, o estoque de imóveis e os setores relacionados a viagens, como companhias aéreas e navios de cruzeiro, porque os consumidores armazenaram a riqueza para gastar, de acordo com Miller.

"Finalmente, olhar para uma cesta de nomes com queda de 50% ou mais em relação às máximas de 52 semanas provavelmente revelará algumas pechinchas de longo prazo", concluiu.

Fonte: Business Insider