Jeff Bezos está deixando o cargo de CEO da Amazon nesta segunda-feira (5), encerrando uma carreira de mais de duas décadas liderando a empresa.

A companhia que começou em 1994 como uma livraria online, agora é um gigante do comércio eletrônico no valor de US$ 1,7 trilhão e Bezos a pessoa mais rica do mundo com quase US$ 200 bilhões.

Nesses 27 anos como CEO, Jeff Bezos desenvolveu uma série de princípios de liderança que formam a espinha dorsal de seu sucesso. 

Regularmente o bilionário compartilha conselhos e lições aprendidas durante esse tempo em entrevistas e em suas cartas anuais aos acionistas da Amazon (AMZO34).

Veja as 5 melhores lições que Bezos compartilhou ao longo dos anos, segundo a CNBC.

Assumir riscos

“Quando você pensa sobre as coisas das quais você se arrependerá quando tiver 80 anos, quase sempre são as coisas que você não fez. Eles são atos de omissão. Muito raramente você vai se arrepender de algo que fez que falhou e não funcionou ou o que quer que seja”, disse Bezos em uma entrevista de 2018.

Essa filosofia ajudou a moldar a vida de Bezos antes mesmo dele lançar a Amazon. 

Quando tinha apenas 30 anos, ele tinha um emprego em Wall Street no fundo de hedge DE Shaw, mas seu fascínio pela Internet o levou a criar uma livraria online que depois se transformaria na gigante Amazon.com.

O chefe de Bezos concordou que a ideia tinha potencial, mas ainda tentou convencê-lo de que seria menos arriscado manter o emprego que tinha.

“Eu me imaginei [aos] 80 anos, pensando em minha vida em um momento silencioso de reflexão”, disse Bezos. “Eu me arrependeria de deixar esta empresa no meio do ano? E abandonando meu bônus anual?”

Bezos decidiu ir em frente, se mudou para o outro lado do país para abrir a Amazon em uma garagem nos subúrbios de Seattle no verão de 1994. O site foi ao ar um ano depois, em 16 de julho de 1995.

“Eu não pensei que me arrependeria de tentar e falhar. E suspeitei que sempre seria assombrado pela decisão de não tentar, disse Bezos em 2018. 

Então, ele “escolheu o caminho menos seguro para seguir minha paixão, e estou orgulhoso dessa escolha”.

Imaginar-se como uma pessoa de 80 anos olhando para trás em sua vida e as escolhas das quais você pode se arrepender também funciona para decisões pessoais.

“Não estou falando apenas de negócios”, disse ele. “É tipo, ‘Eu amo aquela pessoa e nunca disse a ela’, e você sabe, 50 anos depois você fica tipo, ’Por que eu não contei a ela? Por que não fui atrás?′"

“Então esse é o tipo de arrependimento pela vida que é muito difícil de ser feliz quando você está contando a si mesmo, em um momento privado, aquela história de sua vida.”

Faça boas decisões - rápido

Bezos acredita que a chave para manter um negócio inovador é tomar “decisões de alta qualidade e alta velocidade”.

Em sua carta de 2015 aos acionistas da Amazon, Bezos escreveu sobre a importância da velocidade e “agilidade” em tornar a Amazon “uma grande empresa que também é uma máquina de invenção”. 

Embora ele admita que algumas decisões são “irreversíveis ou quase irreversíveis”, a maioria não é.

“A maioria das decisões ... são mutáveis, reversíveis - são portas de mão dupla”, escreveu ele. 

Nesses casos, quando você toma uma decisão “abaixo do ideal”, de acordo com Bezos, “você não precisa viver com as consequências por tanto tempo. Você pode reabrir a porta e voltar.”

Esse tipo de decisão deve ser feito “rapidamente”, caso contrário, escreveu ele, as pessoas ou empresas que passam muito tempo deliberando sobre decisões reversíveis correm o risco de estar sujeitas a “lentidão, aversão ao risco impensada, falha em experimentar o suficiente e, conseqüentemente, diminuição da invenção.”

Todas as minhas melhores decisões nos negócios e na vida foram feitas com coração, intuição, coragem - não [com] análise”, disse Bezos em uma entrevista no Economic Club Washington DC em 2018.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Encontre sua vocação

Descobrir sua paixão na vida é um ponto central.

Esse é o conselho que Bezos diz dar com mais frequência tanto para seus funcionários mais jovens, como para seus quatro filhos, disse o bilionário no Fórum de Liderança do Centro Presidencial George W. Bush em 2018.

“Você pode ter um emprego, uma carreira ou uma vocação”, disse Bezos. “E se você pode de alguma forma descobrir como ter uma chamada, você tirou a sorte grande, porque esse é o grande negócio.”

Em outras palavras, encontrar uma maneira de fazer carreira a partir de sua paixão é a ideia de verdadeiro sucesso de Bezos. 

E ele acredita que todo mundo tem uma paixão.

“Você não escolhe suas paixões, suas paixões escolhem você”, disse ele na época. “Todos nós somos dotados de certas paixões, e as pessoas que têm sorte são aquelas que seguem essas coisas.”

Embora Bezos tenha dito que seguiu sua paixão como um “inventor de garagem” quando lançou a Amazon, nos últimos anos o bilionário admitiu que sua verdadeira paixão ao longo da vida foi o espaço.

“Desde que eu tinha 5 anos - foi quando Neil Armstrong pisou na superfície da lua - sou apaixonado por espaço, foguetes, motores de foguete, viagens espaciais”, disse ele em 2019. 

No seu discurso de formatura do ensino médio até mencionou seus planos de um dia construir colônias espaciais.

Bezos gastou bilhões de dólares financiando sua empresa espacial, Blue Origin, e uma de suas primeiras ordens de negócios após deixar o cargo de CEO da Amazon será voar no primeiro voo espacial de passageiros da empresa com seu irmão.

Abrace a ineficiência 

Em sua carta de 2018 aos acionistas da Amazon , Bezos incluiu uma seção intitulada “Intuição, curiosidade e o poder da digressão”. 

Nessa seção, o CEO da Amazon escreveu sobre a importância de reservar um tempo para explorar sua curiosidade a fim de apresentar soluções novas e inovadoras para os desafios. 

Os negócios da Amazon podem depender da eficiência, com os clientes solicitando quase todos os produtos e esperando que eles sejam entregues em sua porta em alguns dias ou menos. Mas, Bezos acredita que uma boa dose de ineficiência é necessária para ter sucesso. 

Na carta, ele descreve isso como “vagar” ou explorar e experimentar, mesmo que isso signifique seguir um caminho indireto para uma solução.

“Vagabundear é um contrapeso essencial para a eficiência”, disse ele. “Você precisa empregar os dois.”

“Às vezes (na verdade, muitas vezes) nos negócios, você sabe para onde está indo e, quando o faz, pode ser eficiente. Elabore um plano e execute”, escreveu Bezos na carta.

“Em contraste, perambular pelos negócios não é eficiente ... mas também não é aleatório”, continuou ele. “É guiado - por palpite, instinto, intuição, curiosidade e alimentado por uma profunda convicção de que o prêmio para os clientes é grande o suficiente para que valha a pena ser um pouco confuso e tangencial para encontrar o nosso caminho até lá.”

De acordo com Bezos, uma das lições que ele aprendeu ao construir a Amazon foi “que o sucesso pode vir por meio da iteração: inventar, lançar, reinventar, relançar, começar de novo, enxaguar, repetir continuamente”, escreveu ele, acrescentando que “o caminho para o sucesso é tudo menos direto. ”

Não perca sua originalidade

Em abril, em sua carta final aos acionistas como CEO da Amazon, Bezos escreveu sobre a importância de manter sua “originalidade”.

“Todos nós sabemos que a distinção - originalidade - é valiosa”, escreveu Bezos. “Todos nós somos ensinados a ‘ser você mesmo’. O que realmente estou pedindo que você faça é abraçar e ser realista sobre quanta energia é necessária para manter essa distinção. O mundo quer que você seja típico - de mil maneiras, isso puxa você. Não deixe isso acontecer. ”

Bezos prosseguiu dizendo que “vale a pena” manter sua distinção, embora exija “trabalho duro contínuo”.

“A versão de conto de fadas do [conselho] ‘seja você mesmo’ é que toda a dor para assim que você permite que sua distinção brilhe. Essa versão é enganosa. Ser você mesmo vale a pena, mas não espere que seja fácil ou grátis ”, escreveu Bezos.

Bezos fará a transição para ser presidente executivo do conselho da Amazon e disse que está passando a se concentrar em projetos pessoais como o Blue Origin.