Apesar de seu sucesso financeiro, o investidor norte-americano Jim Cramer, diz que é principalmente frugal e se recusa a gastar dinheiro a menos que a despesa seja importante ou tenha significado para ele.

Jim Cramer é ex-gerente de fundos de hedge e atualmente está apresentando o famoso programa de finanças, Mad Money, na CNBC. 

Seu interesse pelo mercado de ações remonta à infância, quando costumava memorizar símbolos de ações para sua futura carteira de ações. 

Ele encontrou um interesse renovado em ações quando se matriculou na Harvard Law School em 1981. 

Ele conseguiu um emprego na Goldman Sachs em 1984 e a deixou em 1987 para abrir seu próprio fundo de hedge, Cramer Levy Partners.

Considerado um dos investidores mais bem-sucedidos de todos os tempos, seu fundo de hedge gerou um retorno médio anual de 24% por quatorze anos, de acordo com um relatório da Bloomberg

De acordo com Cramer, os investidores devem escolher ações que estejam subvalorizadas e sempre diversificar seu portfólio

Ele acredita que a pesquisa é a essência da escolha de ações, pois isso determina seu valor e o potencial de crescimento. 

Apesar de todo sucesso, ele se considera um poupador e tenta economizar dinheiro onde pode, mesmo que isso signifique recusar bebidas em restaurantes.

Ele também evita produtos prejudiciais, como ações de tabaco, mesmo que pareçam uma boa oportunidade de investimento.

Aqui estão cinco coisas em que Jim Cramer se recusa a gastar dinheiro.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

1. Ingressos esportivos mais caros

“Se é um jogo de hóquei ou um jogo de beisebol, não importa onde eu consiga [assentos]; Eu apenas vou e assisto ”, disse Cramer à CNBC Make It. 

Mesmo quando ele leva as pessoas para os jogos de beisebol, ele prefere as arquibancadas mais baratas. “É divertido ir a um jogo” sem gastar “um braço e uma perna”, diz ele.

No entanto, ele faz uma exceção: para o futebol americano, Cramer faz alarde em camarotes de luxo, “porque sou um grande fã dos Eagles”.

2. Álcool ao jantar fora

Como o licor costuma ter preços de 20% a 30% nos restaurantes, Cramer evita comprar bebidas ao jantar fora. 

“Não vou gastar dinheiro com bebida”, diz ele. “Fui criado em uma casa frugal onde meu pai não queria que eu pedisse a Coca [nos restaurantes] até que a comida chegasse, porque ele tinha medo de que cobrassem pela segunda Coca” se Cramer bebesse sua primeira bebida rápido.

Essa mentalidade o seguiu até a idade adulta. “Quando vejo uma garrafa de vinho que custa US$ 500 – que desperdício. Por que você não foi comprar um lindo suéter? Você pode imaginar o tipo de suéter que você poderia obter por isso? Você pode conseguir dois grandes suéteres de cashmere.”

3. Estoques de tabaco

Cramer diz que costumava recomendar ações de tabaco como investimento, “porque você recebe o dividendo e pode fazer o que quiser com o dividendo”, como doar “a uma causa antifumo”.  

Mas ele mudou de ideia desde então e não recomenda mais ações de tabaco em seu programa.

“Acho que o tabaco é errado. Já matou muita gente. Matou meu falecido sogro. Eu assisti isso acontecer”, diz ele. “Quero parar de fumar no país.”

4. Hotéis caros em que você só dorme

Para Cramer, é um desperdício gastar muito dinheiro em hotéis durante as viagens quando você está principalmente passeando. “O quanto você precisa depende totalmente da extravagância”, diz ele.

Certa vez, ao visitar a Costa Rica, ele e sua esposa se hospedaram no caro e luxuoso hotel Four Seasons. Mas eles nunca estavam lá e não podiam justificar o custo.

“Estávamos fora a cada minuto”, diz Cramer. “Na próxima vez que fomos, ficamos em um hotel ecológico. Era um décimo do preço.” Eles também não usavam muito aquele quarto: “Nós nunca entramos nele até o momento em que íamos dormir”. 

“Você quer descobrir suas prioridades em uma viagem”, diz ele. “Você vai entrar ou sair?”

5. Produtos de marca 

Cramer compra apenas produtos genéricos ao fazer compras nas lojas Costco, Walgreens ou Kroger. Esses produtos geralmente são idênticos a outras marcas de varejo, exceto pelo fato de terem rótulos com a marca da loja e quase sempre são mais baratos.  

Fonte: CNBC